A Escrava Isaura

Romance de uma escrava branca publicado no período da escravidão no Brasil

“A Escrava Isaura” é um romance publicado em 1875, escrito por Bernardo Guimarães. O romance é responsável pela fama do escritor, sendo reconhecido até pelo imperador Dom Pedro II.

“A Escrava Isaura” foi publicado em pleno centro da escravidão no Brasil e faz parte de um rol de outras obras do tipo folhetins, com romances românticos.

É um livro que obedece a sua escola literária, o romantismo, e caminha para o romantismo de terceira fase ou terceira geração. E se tornou um clássico da literatura brasileira.

“A Escrava Isaura” possui personagens planos e rasos que não evoluem ao longo da narrativa, e segue a linha tradicional dos romances populares com a tríade de vilão, heroína e herói.

A obra trata de amores trágicos, dramas humanos, idealização da mulher e romantização da morte, sem aprofundamento dos personagens.

A Escrava Isaura
Capa do livro A Escrava Isaura. (Foto: Amazon Site)

“A Escrava Isaura”: principais personagens

  • Isaura: personagem principal, é filha de uma mulher negra com um homem branco.  Ela é branca, bonita e mesmo tendo sido criada como uma dama da sociedade, após a morte da sua protetora, fica à mercê dos poderes de Leôncio.
  • Leôncio: é o vilão do romance e após a morte dos pais passa a ser dono de Isaura.  É um homem cruel e inescrupuloso casado com Malvina. É apaixonado por Isaura, e não cumpre a promessa da mãe de libertá-la. 
  • Álvaro: personagem herói e abolicionista que se apaixona por Isaura. É um homem rico, nobre e lutava pelas ideias de igualdade e contra os valores da sociedade da época. Mesmo sendo um cavalheiro e abolicionista, era um homem original e excêntrico que amava a luxuria, a elegância, e sobretudo, as mulheres.
  • Miguel: homem simples, trabalhador, pai de Isaura e feitor da fazenda de Leôncio. Contudo, era um feitor que fugia do comportamento usual, pois tratava bem os escravos. Sonhava em conseguir a libertação da filha.
  • Juliana: mãe de Isaura. faleceu logo após o nascimento da filha por complicações no parto. Foi escrava e mucama de dona Ester, matriarca e protetora de Isaura.
  • Belchior: jardineiro da casa e representa o homem feio e deformado que é apaixonado por Isaura. Seu personagem remota ao Corcunda de Notre Dame, de Victor Hugo.
  • Malvina: jovem rica e ingênua, que é esposa de Leôncio. Tratava bem a escrava Isaura, mas após descobrir as intensões do marido para com a moça começa a tratá-la diferente. 
  • Rosa: escrava bonita e ousada que nasceu na senzala de Leôncio e invejosa da atenção que a escrava Isaura recebia. Filha de um Coronel que se engraçou com sua mãe, é irmã de Malvina.
  • Geraldo: advogado e amigo fiel de Álvaro. Personagem que balança os pensamentos do amigo, mas não o abandona.
  • Branca: irmã de Geraldo, rica e apaixonada por Álvaro. Inconformada com o amor de Álvaro por Isaura, torna-se cúmplice de Leôncio tramando situações para separá-los.
  • Martinho: por ser ganancioso, entrega Isaura a Leôncio na esperança de receber muito dinheiro, mas acaba ficando sem nada.

Resumo de “A Escrava Isaura”

O romance se inicia antes do nascimento de Isaura, no século XIX, nos primeiros anos de reinado de Dom Pedro II. A história acontece em uma fazenda do município de Campos de Goitacazes, no Rio de Janeiro, região Sudeste do país.

Com a morte de Juliana após o parto, a menina passa aos poderes da proprietária da fazenda, matriarca e sua protetora.  Isaura é tratada como uma filha, e aprende todos os afazeres de uma moça da sociedade prendada e educada.

Antes de morrer, Dona Ester pede para sua nora, Malvina, casada com seu filho Leôncio, libertar a escrava favorita. Mas, quando o herdeiro Leôncio toma posse da fazenda, demonstra o amor cego e doentio que nutre por Isaura.

Ao perceber o interesse de Leôncio, Malvina exige que ele a liberte. Enquanto isso, o pai de Isaura aparece com uma quantia relacionada ao acordo com Leôncio para libertá-la, mas o mesmo se recusa.

Após muitas investidas de Leôncio e recusas de Isaura, que alega que jamais se casará sem amor, ele manda Isaura para a senzala, onde passa por castigos físicos.

Com isso, Miguel usa o dinheiro para fugir com a filha em direção a Recife, e assumem o nome de Elvira e Anselmo.

Lá, Isaura conhece o jovem liberal republicano e abolicionista Álvaro. O rapaz é dono de uma fortuna de dois mil contos de réis e ao ouvir Isaura cantar apaixona-se perdidamente sem saber que trata-se de uma escrava.

Álvaro convida pai e filha para um baile. Todos os olhares estão voltados para a nova acompanhante de Álvaro, inclusive o de Martinho, que a reconhece através dos anúncios no jornal. 

Martinho denuncia a Leôncio o paradeiro da escrava, e ele vai até o Recife buscá-la. Ele a prende em um quarto escuro.

Endividado, Leôncio tenta se conciliar com a esposa Malvina, pois é a única que pode salvá-lo. Diz que irá libertar a escrava Isaura desde que ela se case com o jardineiro Belchior. Satisfazendo o desejo da mulher, mas mantendo a escrava perto dele.

Isaura reluta, mas ao receber uma carta de Álvaro, forjada por Leôncio dizendo que só a queria como mucama, aceita se casar com Belchior.

Enquanto isso, Álvaro ainda apaixonado por Isaura, descobre que o senhor dela está todo endividado. Então, compra todas a dívidas de Leôncio e legaliza a carta de desapropriação de bens.

No dia do casamento, Álvaro invade a cerimônia e conta que tudo que pertence a Leôncio agora é dele, inclusive a escrava Isaura, pois era agora credor das suas dívidas. Inconformado com a perda da fortuna e da escrava, Leôncio vai para o quarto ao lado e se mata com um tiro na cabeça.

Com a morte de Leôncio, Malvina se casa com o amigo advogado de Álvaro, Dr. Geraldo. E Álvaro e Isaura ficam juntos, podendo viver o amor entre eles.

A Escrava Isaura
Telenovela da Rede Record entre o ano de 2004 e 2005, baseado no romance de Bernardo Guimarães. (Foto: Wikipédia)

Análise da obra

“A Escrava Isaura” é um romance romântico que apresenta uma narrativa em terceira pessoa e segue as convenções do romantismo no Brasil.

Diante da obra, Bernardo Guimarães busca fazer um libelo antiescravagista e libertário, no intuito de conquistar o imaginário popular.

A construção dos personagens segue a linha da escola literária. Com a protagonista, Isaura, mulher branca portadora de um beleza esplêndida acompanhada de uma nobreza de caráter.

A escrava Isaura defende a todo custo a sua honra aceitando apenas galanteios do homem que amar. Assim como o seu par romântico, Álvaro.

Os vilões são bem definidos como vilões, pois são incapazes de bondade e cheio de elementos cruéis e negativos.

A história romântica também segue a mesma linha da fase do romantismo com o tradicional amor à primeira vista entre os protagonistas, característica comum nos folhetins da época.

Em relação a linguagem, na escola literária era valorizado a descrição exagerada dos personagens e da natureza que estava ao redor. 

O autor pode ser considerado audacioso por contar um pouco do período de escravidão através de uma escrava branca, mas Bernardo Guimarães conhecia o público burguês da época. Tanto que o romance quanto o sofrimento da protagonista agradou o público feminino da época, tornando-o um clássico da literatura até hoje.

“A Escrava Isaura” na TV

Bianca Rinaldi, A Escrava Isaura da RecordTV
Bianca Rinaldi interpretou a personagem principal em A Escrava Isaura da RecordTV. (Foto: Wikipédia)

O sucesso da obra de Bernardo Guimarães foi tão grande que ela já foi adaptada duas vezes no formato de telenovelas. Intitulada "Escrava Isaura" na primeira vez e "A Escrava Isaura" na segunda, as novelas foram adaptadas pela Rede Globo e RecordTV, respectivamente. 

A primeira adaptação foi feita pela Rede Globo, e foi ao ar no dia 11 de outubro de 1976, sendo exibida até 5 de fevereiro de 1977, em 100 capítulos. A novela foi a 10ª a ser exibida no horário das 18 horas na emissora.

Já a adaptação da RecordTV começou a ser exibida em 18 de outubro de 2004, ficando no ar até 29 de abril de 2005, tendo ao todo 167 capítulos.

Os atores de “A Escrava Isaura” na TV

Na versão da Rede Globo, a atriz Lucélia Santos interpretou Isaura, Rubens de Falco interpretou Leôncio e Leá Garcia fez o papel de Rosa. O ator Edwin Luise deu vida a Álvaro, Gilberto Martinho fez o papel de Leopoldo, Roberto Pirilo interpretou Tobias e Norma Blum fez o papel de Malvina.

Já na versão da RecordTV, a atriz Bianca Rinaldi foi quem deu vida a Isaura. Os atores Leopoldo Pacheco, Patrícia França, Théo Becker e Maria Riberiro deram vidas aos personagens Leôncio, Rosa, Álvaro e Malvina, respectivamente.

Sobre Bernardo Guimarães

A Escrava Isaura
Busto de Bernardo Guimarães, na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte. (Foto: Wikipedia)

Bernardo Joaquim da Silva Guimarães foi romancista, poeta, jornalista, magistrado e professor. Nasceu em 15 de agosto de 1825, vindo a falecer aos 58 anos, em 10 de março de 1884. 

Filho do poeta João Joaquim da Silva Guimarães e Constança Beatriz de Oliveira Guimarães, é formado em direito pela Faculdade de Direito de São Paulo e junto com os poetas Alvares de Azevedo, Aureliano Lessa e mais outros estudantes fundaram a Sociedade Epicureia.

Publicou “A Escrava Isaura” em 1875. A obra está sob domínio público. Faça o download e boa leitura.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Lima, Cleane. A Escrava Isaura; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/a-escrava-isaura >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 15:33.

Copiar referência