A Revolução dos Bichos

Cansados de tanta exploração, os bichos da granja planejam uma grande mudança

A Revolução dos Bichos” é uma fabula do autor George Orwell. Através da sátira política, a obra aborda temas como a manipulação política, o poder, a revolução, as fraquezas humanas e o totalitarismo.

Resumo

A história se passa na Granja do Solar, uma fazenda no interior da Inglaterra, propriedade do Sr. Jones. Galinhas, pombas, porcos, cachorros, cavalos, cabras, burros, ovelhas e vacas são os personagens centrais dessa narrativa.

Insatisfeitos com a vida miserável, exploração, acesso ao mínimo de alimento necessário para continuar respirando e forçados a trabalhar até a última parcela de força, os animais decidem mudar esse cenário.

– O Homem é a única criatura que consome sem produzir. Não dá leite, não põe ovos, é fraco demais para puxar o arado, não corre o suficiente para alcançar uma lebre. Mesmo assim, é o senhor de todos os animais. Põe-nos a trabalhar, dá-nos de volta o mínimo para evitar a inanição e fica com o restante.

Iniciam então a revolução dos bichos. Liderados pelo porco Major, possuidor de um profundo senso de justiça, os animais planejam tornar a vida na granja bem sucedida e livre. No entanto,  o velho Major morre antes de colocar o plano em prática.

Livro A Revolução dos Bichos
Livro “A Revolução dos Bichos”, de George Orwell (Foto: Site Saraiva)

Os ensinamentos do porco, a quem eles chamaram de Animismo, predominam mesmo após sua morte. A tarefa de instruir e organizar os outros recaiu sobre os porcos, reconhecidamente os mais inteligentes.

Entre os cogitados para a posição de líder estavam Bola de Neve, Garganta e Napoleão, que o Sr. Jones criava para vender. Seguindo o ideal do Major, os bichos se organizam e expulsam o proprietário da fazenda.

Cansados de serem explorados e tratados como escravos pelos humanos, criaram uma sociedade igualitária em que todos os animais possuíam os mesmos direitos e deveres, preservavam sua dignidade e trabalhavam para si.

Aprenderam a ler e a escrever graças a um velho livro de ortografia dos filhos de Jones e transformam a placa da Granja do Solar, antigo nome do local, em Granja dos Bichos.

Instituíram os sete mandamentos, no qual a Granja dos Bichos deveria reger sua vida a partir daquele instante, para sempre.

OS SETE MANDAMENTOS
1. Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo.
2. Qualquer coisa que ande sobre quatro pernas, ou tenha asas, é amigo.
3. Nenhum animal usará roupas.
4. Nenhum animal dormirá em cama.
5. Nenhum animal beberá álcool.
6. Nenhum animal matará outro animal.
7. Todos os animais são iguais.

Felizes como nunca, Bola de Neve tem a ideia de construir um moinho de vento que otimizaria a produção e o fornecimento de energia elétrica para toda a granja. No entanto, Napoleão é contra.

Como precisavam manter uma organização e a defesa da granja, realizaram uma eleição para definir quem seria o novo líder do grupo. Apesar da maioria ser a favor de Bola de Neve, Napoleão arma um plano para que seu concorrente seja expulso da granja e taxado de traidor.

Protegido por cães ameaçadores, Napoleão se transforma em uma espécie de líder e atua de forma ditatorial. Em determinado momento as coisas vão fugindo do controle e os porcos se transformam em patrões exatamente iguais aos humanos . 

Napoleão constrói o moinho, passa a racionar a comida, obrigando-os a trabalhar por várias horas.  Como os porcos eram extremamente persuasivos, Garganta,  o braço direito do líder,  andava pela granja defendendo-o.

Os outros animais acabaram permitindo o retorno da tirania, só que desta vez, vindo dos próprios animais. Certo dia, acontece uma tempestade e o moinho de vento cai, gerando a necessidade de racionar, ainda mais, a comida.

Os bichos começaram a dar as crias e havia muito mais bocas para alimentar. Mesmo assim, Napoleão manteve as aparência de que tudo caminhava muito bem na Granja dos Bichos.

Era imprescindível ocultar esse fato ao restante do mundo. Encorajados pelo colapso do moinho de vento, os humanos andavam renovando mentiras sobre a Granja dos Bichos. Mais uma vez se dizia que os bichos morriam de fome e doenças, que brigavam continuamente entre si e que haviam descambado para o canibalismo e o infanticídio. Napoleão bem sabia dos maus resultados que poderiam advir, caso a verdadeira situação alimentar da granja fosse conhecida, e resolveu utilizar o Sr. Whymper para divulgar uma impressão contrária. Até então, os animais tinham tido muito pouco ou nenhum contato com Whymper, em suas visitas semanais: agora, entretanto, alguns bichos selecionados, principalmente ovelhas, foram instruídos para comentarem, casualmente, mas de forma bem audível, o fato de terem sido aumentadas as rações. Em complemento, Napoleão deu ordens para que as tulhas do depósito, que estavam quase vazias, fossem recheadas de areia quase até a boca, depois completadas com cereais e farinha.

Os bichos que passaram a criticar a vida que estavam levando, pior que no período do Sr. Jones, e não cumpriam os setes mandamentos foram mortos como cúmplices do porco Bola de Neve.

Em dado momento, Napoleão precisou realizar transações comerciais com os humanos. Os laços com a raça que ele tanto odiava foi tomando outras proporções no momento em que ele adquiriu as mesmas características.

Por fim, Napoleão tornou-se tão corrupto quanto o Sr. Jones. Aos poucos os animais foram sumindo da granja. Até que os porcos passam a caminhar em duas patas e torna-se impossível distinguir quem é animal e quem é homem.

Todos os animais são iguais, mas alguns animais são mais iguais do que os outros.

Análise do livro “A Revolução dos Bichos”       

Publicada em 1945, a obra “A Revolução dos Bichos” do autor George Orwell é uma fábula que faz referência a fatos da Revolução Comunista (1917) e da era estalinista na União Soviética.

A obra, por ser uma sátira contra a União Soviética, foi mal vista pelos países capitalistas. Isso porque ainda estava acontecendo a Segunda Guerra Mundial e a União Soviética era aliada dos EUA e da Inglaterra conta a Alemanha de Hitler.

Devido a este fato, nenhum governo, jornal ou intelectual ousava fazer uma crítica contra o líder russo Josef Stálin. Inclusive o personagem do porco Napoleão, que se torna um líder, é semelhante a Stálin na relação de crueldade praticada com seus opositores.

Além disso, o livro é uma analogia entre os homens poderosos que dominam a sociedade e a grande população trabalhadora. Assim, Orwell, por meio de metáfora, revela uma aversão a toda espécie de autoritarismo, seja ele familiar, comunitário, estatal, capitalista ou ao comunismo.

Retire-se da cena o Homem e a causa principal da fome e da sobrecarga de trabalho desaparecerá para sempre.

Por sua linguagem fácil, acessível e cheia de humor, a obra “A Revolução dos Bichos” permanece atual por tratar de questões que não perdem as forças muitos anos depois. A obra continua sendo umas das referências da literatura estrangeira.

Principais personagens

  • Sr. Jones: proprietário da Granja do Solar e explorador dos bichos;
  • Porco Major: tinha doze anos de idade, e apesar de corpulento, ainda era um porco de porte majestoso, com um ar sábio e benevolente;
  • Porco Napoleão: era um cachaço Berkshire, o único da fazenda, de aparência ameaçadora, pouco falante, mas com a reputação de possuir grande força de vontade;
  • Porco Bola-de-Neve: era mais ativo do que Napoleão, de palavra fácil e mais imaginoso, porém não gozava da mesma reputação quanto à solidez do caráter;
  • Porco Garganta: defensor e amigo de Napoleão.

Curiosidade

  • A obra de George Orwell foi utilizada como propaganda anticomunista pelos Estados Unidos da Guerra Fria. A CIA (Agência Central de Inteligência) financiou a distribuição do título para diversos países pelo mundo e também mandou fazer uma adaptação em desenho animado para ser visto pelas crianças, o “Animal Farm” (1954);
  • O livro foi adaptado para o cinema em 1999 com direção por John Stephenson.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

BRITO, Samara. A Revolução dos Bichos; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/a-revolucao-dos-bichos >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 15:02.

Copiar referência