Abiogênese e biogênese

Teorias que tentaram explicar a origem da vida

Abiogênese e biogênese são duas teorias que tentaram explicar a origem dos seres vivos. A primeira a surgir foi a abiogênese, postulando que os organismos nasciam de forma espontânea. Posteriormente, para contradizê-la, surgiu a teoria da biogênese.

As teorias da abiogênese e biogênese perduraram durante a Antiguidade, surgindo para tentar responder às perguntas sobre a origem da vida no planeta Terra

A abiogênese e biogênese tentaram explicar a origem da vida na Terra
Teorias da abiogênese e biogênese tentaram explicar a origem dos seres vivos. (Foto: Pixabay).

Estudos acerca da origem da vida impactam a Biologia, que tenta compreender os fenômenos do mundo dos seres vivos. O progresso nesta área atrai atenções por causa da sua importância. Por isso, as pesquisas nesse âmbito têm grande valor científico. Nesse contexto, duas teorias ficaram conhecidas por tentar explicar a origem da vida: a abiogênese e biogênese.

A abiogênese baseava-se na hipótese de que os seres vivos poderiam surgir a partir de uma matéria morta. Pelo pressuposto, acreditava-se que um ser vivo poderia nascer de forma não convencional, além dos seus genitores.

Assim, era aceita a ideia de que uma camisa suja (material não-vivo) poderia originar ratos (seres vivos). Por isso, essa teoria também ficou conhecida como “geração espontânea”. 

A Ciência considera que a abiogênese ocorreu, pela primeira vez, por volta de 4,4 bilhões de anos, quando o vapor de água condensou-se de forma inédita na Terra. A segunda vez foi há 2,7 bilhões de anos, quando a proporção de isótopos estáveis de carbono, ferro e enxofre apontaram para uma origem biogênica de minerais e sedimentos.

Embora nos dias atuais essa ideia pareça absurda, era o que se acreditava em um período carente de tecnologias e estudos em estados avançados, como se tem atualmente. Esse cenário começou a se modificar quando surgiram as primeiras contestações.

Crenças da abiogênese

  • Ratos surgiam a partir de roupas sujas;
  • Patos e cisnes nasciam a partir de folhas que caiam nos lagos;
  • Répteis nasciam a partir da crosta de lodo formada nos rios;
  • Moscas nasciam em carnes podres;
  • Sapos surgiam em pântanos.

Experimento de Redi

O biólogo italiano Francesco Redi (1626 – 1698) foi o primeiro estudioso a questionar a abordagem da abiogênese. O seu ponto de vista foi gerado a partir do experimento em que ele colocou alimentos em vários vidros, deixando alguns fechados com gaze e outros abertos.

Com a observação que durou alguns dias, Redi percebeu que apenas os potes abertos continham larvas dentro. Assim, concluiu que tais seres só surgiram porque foram depositados por moscas e não por matéria morta como defendia a abiogênese.

A partir dessa conclusão, Redi afirmou que todos os seres vivos vêm sempre de outros seres vivos e daí surgiu a teoria da biogênese.

Contudo, ainda não convencidos em desconsiderar a abiogênese, pesquisadores desenvolveram mais experimentos para fundamentá-la.

Assim, em 1745, o inglês John Needham separou um caldo nutritivo em vários frascos e os ferveu por 30 minutos, fechando imediatamente com rolhas de cortiça. Alguns dias depois, ele percebeu que os frascos foram tomados por microrganismos. Com isso, concluiu que a única explicação possível era a geração espontânea.

No entanto, em 1770, o padre e pesquisador italiano Lazzaro Spallanzani refez os experimentos de Needham, mas tomando como base o fechamento por vedação hermética além do fechamento com rolhas de cortiça como fez Needham.

Com esse experimento, Spallanzani viu que surgiram micróbios apenas nos frascos fechados com rolhas, o que levou à conclusão de que o tempo de fervura ou a vedação usados no experimento de Needham foram insuficientes para impedir a contaminação.

Essa discussão só terminou por volta de 1860, quando o pesquisador francês Louis Pasteur criou um experimento para mostrar à Academia Francesa de Ciências, que havia oferecido um prêmio em dinheiro para quem conseguisse realizar um experimento definitivo sobre abiogênese e biogênese.

Pasteur elaborou um experimento similar aos demais, contudo utilizou frascos com gargalos em forma de pescoço de cisne — que permitiam a entrada de ar, mas impediam a entrada de partículas em suspensão nas paredes de seus gargalos curvos.

Mesmo em contato direto com o ar, não surgiram microrganismos em nenhum dos frascos do experimento de Pasteur. Ao quebrar o gargalo de alguns dos frascos, no entanto, os caldos foram tomados por microrganismos em poucos dias.

Assim, Pasteur conseguiu finalmente demonstrar que os microrganismos em caldos nutritivos não surgem por geração espontânea, mas através da contaminação pelo ambiente externo. Dessa forma, a teoria da abiogênese foi realmente desfeita.

Diferenças entre abiogênese e biogênese

Abiogênese embasa-se na teoria do surgimento de seres vivos a partir de seres não-vivos. A letra “a” indica “sem” e “ausência”.

biogênese é a teoria que defende o nascimentos dos seres vivos a partir de outro ser vivo. Seu nome começa com “bio”, que quer dizer “vida”.

Portanto, a teoria que começa com “a” defende a ausência de vida e a contrária acredita na existência a partir da “bio” (vida).

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Chérolet, Brenda. Abiogênese e biogênese; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/abiogenese-e-biogenese >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 22:52.

Copiar referência

Outros Artigos de Biologia

Celoma

O Celoma tem origem do latim “cele” que significa “cavidade”. […]

Cavalo Marinho

O Cavalo Marinho é da espécie do Hippocampus, um gênero […]

Cavalo

O Cavalo é um animal mamífero que pertence a um […]

Caule

O Caule é o órgão que conduz as seivas das […]