Albert Einstein

Um dos maiores cientistas de todos os tempos

Albert Einstein foi um físico teórico alemão responsável por desenvolver a Teoria da Relatividade, um dos pilares da Física Moderna. Um dos cientistas mais icônicos da história, formulou “a equação mais famosa do mundo” (E = mc²) e recebeu o Prêmio Nobel de Física por suas contribuições à física teórica.

Biografia

Albert Einstein nasceu no dia 14 de março de 1879 em Ulm, na Alemanha. Oriundo de uma família de judeus, não praticantes, passou a infância na cidade de Munique, Alemanha, onde recebeu educação em uma escola católica.

Físico Albert Einstein
Físico Albert Einstein (1879-1955) (Foto: Wikipédia)

Aos seis anos já demostrava talento para a música, tocava violino, hábito que manteve até próximo à morte. Cursou o ensino médio na Luitpold Gymnasium, onde surgiu o interesse pela matemática, contudo não se adaptou ao regime da escola e o método de ensino.

Em dezembro de 1894, abandonou o curso e foi ao encontro da família na Itália. Posteriormente foi admitido na Escola Politécnica Federal da Suíça e, apesar de não alcançar o padrão exigido em várias disciplinas, obteve notas de destaque em física e matemática.

Na Escola Politécnica, Einstein matriculou-se no curso de quatro anos para obter o diploma de professor de física. Em 1900, recebeu o diploma de físico. No ano seguinte escreveu seu primeiro artigo científico, titulado "A Investigação do Estado do Éter em Campo Magnético".

Em fevereiro deste mesmo ano recebeu a cidadania suíça. Em 1903, casou-se com Mileva Maric, com quem teve três filhos e permaneceu casado até 1919.

Carreira de Albert Einstein

1905 foi um Annus mirabilis (ano milagroso) para Albert Einstein. Com 26 anos concluiu o doutorado e publicou quatro dos seus trabalhos na “Annalen der Physik”, uma das mais importante e influentes revistas de física da época.

Publicados em um curto espaço de tempo, os estudos de temas como a eletrodinâmica, dimensões moleculares, o fenômeno fotoelétrico, a equivalência entre a massa inerte e a energia, além dos primeiros esboços da Teoria da Relatividade se tornaram revolucionários e fundamentais para a física moderna.

Teoria da Relatividade

A Teoria da Relatividade, criada por Albert Einstein, reúne um conjunto de estudos que definem uma relação entre o espaço e o tempo, sendo ambos de caráter relativo e não estático.

Essa teoria afirma que o tempo não é igual para todos, podendo variar de acordo com a velocidade, a gravidade e o espaço.

A Teoria da Relatividade de Einstein é formada pela junção de duas outras teorias:

  • A Teoria da Relatividade Restrita ou Especial (publicada pela primeira vez em 1905) defendendo que a velocidade da luz é uma constante igual para todo o universo.

O estudo permite afirmar que o espaço e o tempo não são grandezas absolutas, mas sim subjetivas e relativas para todos os observadores inerciais. Contrapõe as Leis de Newton, que consideram que o tempo e o espaço são os mesmos para qualquer observador.

  • A Teoria da Relatividade Geral (publicada em 1915): afirmando que a gravidade nada mais é do que a distorção que determinada massa provoca no “tecido” do espaço.

De acordo com Einstein, a gravidade não é uma força, mas sim uma consequência da curvatura do espaço/tempo.

Equivalência massa-energia

Além de defender a tese de que espaço e tempo eram fibras do mesmo tecido através da Teoria da Relatividade Especial, Albert Einstein também enunciou a célebre fórmula desta teoria: E=mc², ou seja, energia é igual à massa vezes a velocidade da luz ao quadrado.

A fórmula de equivalência massa-energia (E=mc²) foi chamada de "a equação mais famosa do mundo".

Universidade de Zurich

A publicação destes artigos tornou Einstein um talento reconhecido no mundo acadêmico. Em 1909, tornou-se professor de física da Universidade de Zurich e, no ano seguinte, começou a lecionar na Universidade de Praga.

Albert Einstein ocupou a cadeira de Física, da Escola Politécnica Federal da Suíça. Quando a Primeira Guerra Mundial estava prestes a estourar, retornou a Alemanha e foi nomeado professor na Universidade de Berlim, tornou-se membro da Academia Prussiana de Ciências e foi diretor do Instituto Kaiser Wilhelm de Física.

Prêmio Nobel de Física

Em 1919, Einstein tornou-se conhecido em todo o mundo, depois que sua teoria foi comprovada em experiência realizada durante um eclipse solar na cidade de Sobral, no estado do Ceará, por uma equipe de cientistas britânicos.

Em 1921, o físico foi honrado com o “Prêmio Nobel de Física” devido a suas contribuições à física teórica e, especialmente, por sua descoberta da lei do efeito fotoelétrico, que foi fundamental no estabelecimento da teoria quântica.

O prêmio foi entregue em novembro de 1922, no entanto Einstein não pode recebê-lo pessoalmente sendo representado, na cerimônia de entrega, pelo embaixador alemão na Suécia.

Visita ao Brasil

Albert Einstein viajou pelo mundo para expor suas teorias físicas e também para debater problemas como o racismo e a paz mundial. O físico desembarcou no Rio de Janeiro, então capital do Brasil, em maio de 1925 e foi recebido pelo então presidente Artur Bernardes.

Além dos compromissos profissionais, conferências científicas em universidades e instituições de pesquisas, Einstein visitou alguns pontos turísticos do Rio de Janeiro.

Nazismo e Projeto Manhattan

Após à ascensão do nazismo, controlado por Adolf Hitler, Einstein formalmente renunciou à cidadania alemã e passou a viver nos Estados Unidos. Passou a dar aulas no Instituto de Estudos Avançados de Princeton e em 1940 ganhou cidadania norte-americana.

Em companhia do físico Leo Szilard, os cientistas alertaram o governo americano sobre a possibilidade de os nazistas desenvolverem uma bomba atômica. Ao encaminharem uma carta para o presidente Franklin Roosevelt, ressaltaram a importância de antecipar-se nas pesquisas nucleares.

Assim nasceu o “Projeto Manhattan”, projeto de pesquisa e desenvolvimento que produziu as primeiras bombas atômicas durante a Segunda Guerra Mundial, liderada pelos Estados Unidos, com o apoio do Reino Unido e Canadá.

Morte

Albert Einstein faleceu no dia 18 de abril de 1955, aos 76 anos de idade, vítima de um aneurisma.

Einstein continuou trabalhando até quase o fim de sua vida, publicando centenas de livros, artigos, trabalhos científicos e obras não científicas. Sua contribuição científica ao longo da vida foi base para a física moderna e para diversas descobertas no ramo da ciência.

Curiosidade

  • Há divergências quanto a capacidade de aprendizado de Albert Einstein, alguns estudiosos defendem que ele era disléxico. A dislexia é um transtorno de aprendizagem, caracterizada pela dificuldade de leitura, escrita e soletração.

Confira o documentário produzido pelo History Channel falando sobre a vida de Albert Einstein:

Citações

A liberação da energia atômica mudou tudo, menos nossa maneira de pensar.

O mundo não está ameaçado pelas pessoas más, e sim por aquelas que permitem a maldade.

Tudo deveria se tornar o mais simples possível, mas não simplificado.

Se A é o sucesso, então A é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

BRITO, Samara. Albert Einstein; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/albert-einstein >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 14:57.

Copiar referência