Alquimia

Transmutação de metais e vida longa

Alquimia é uma prática de manuseio de metais e diversas ciências que existia desde o tempo da história antiga, mas que ficou mais conhecida durante a Idade Média. É uma prática que envolve áreas como filosofia, química e misticismo.

Em outras palavras, a alquimia é um misto de magia com química. Os antigos observavam a natureza e com auxílio de princípios filosóficos e químicos, buscavam refazer misturas e poções.

Os alquimistas tentavam produzir ouro a partir de misturas químicas, transmutando metais. Na Idade Média isso era diferente e novo, o que causava ambição da nobreza, além de assustar a Igreja.

Livro da alquimia
Livro da Idade Média feito e usado por alquimistas. (Foto: Wikipédia)

História da alquimia

A palavra alquimia origina-se do grego “Khimia”, que significa mistura de ingredientes, e do árabe “Al”, que significa os artigos definidos o, a, os, as. Portanto, Alkhimia = Alquimia = mistura das coisas.

O que mais se sabe sobre essa ciência é em relação a sua existência na Idade Média, quando os alquimistas tinham que viver escondidos em porões, já que a Inquisição da Igreja Católica também os caçavam. 

A prática se popularizou e foi usada por diversas civilização, como: Mesopotâmia, Egito Antigo, Império Persa, Índia Antiga, China Antiga, Grécia Clássica, Império Romano, Mundo Islâmico, América Latina Pré-colombiana, Europa Medieval e Renascentista.

Atividades dos alquimistas

A alquimia combina ciências, como: física, medicina, semiótica, misticismo, espiritualismo, arte, química, antropologia, astrologia, filosofia, metalurgia e matemática.

Os alquimistas tinham quatro objetivos em sua prática:

  • Transmutação de metais menores que ouro;
  • Criar o elixir (poção) da longevidade para curar todas as doenças e até mesmo a morte;
  • Fazer um ser humano, uma vida artificial;
  • Tornar a realeza mais rica, o que asseguraria a profissão dos alquimistas.

Os objetivos da alquimia só poderiam ser alcançados, segundo os próprios alquimistas, se eles conseguissem a Pedra Filosofal.

Essa pedra pode ser conceituada tanto como uma literal pedra especial ou uma substância com poderes especiais.

A Pedra Filosofal garantia a possibilidade de realizar os objetivos da alquimia sem ter que envolver grandes sacrifícios dos alquimistas. Ou seja, eles não precisariam dar nada em troca para conseguir a longevidade indeterminada.

 

Material de destilação dos alquimistas
O utensílios de destilação, atualmente usado por químicos, eram objetos de trabalho dos alquimistas. (Foto: Wikipédia)

Transmutação de metais

A transmutação de metais sugerida e ovacionada pelos alquimistas era uma forma de produzir ouro a partir de outros metais.

A química hoje revela que isso é impossível e tudo que foi feito na Idade Média, referente à produção de ouro se tratava de falsificações. Era prata que parecia ouro por conta da sua coloração dourada.

Assim como os metais, os alquimistas também faziam falsificações de pedras preciosas e documentos no mundo antigo.

Elixir da Vida Longa

Desde os primórdios do mundo até a era contemporânea, o homem busca e idealiza uma vida sem doenças ou até mesmo a imortalidade. O elixir da longevidade era algo ensaiado pelos alquimistas, como já foi dito.

Na China Antiga ou na Europa Medieval, esse elixir esteve ligado por anos à alquimia. Mas outras culturas também possuem esse conceito, só as denominam de formas diferentes. Como exemplo tem-se os costumes dos povos gregos e nórdicos.

Na Grécia Antiga, o que tornava os deuses imortais e indestrutíveis, ou homens em semideuses era a ambrosia. Considerado o manjar dos deuses, era algo consumido apenas no Olimpo.

Já na mitologia nórdica, a longevidade ou imortalidade era dada a quem comesse a maçã guardada pela deusa Iduna.

Alquimia Chinesa

Dentro da história antiga, esse movimento está ligado ao budismo e não cita informações sobre a pedra filosofal e a busca pela criação da vida humana. A alquimia chinesa buscava a poção da vida longa, relacionada à fabricação do ouro usando práticas de metalurgia.

Essa fase da alquimia no mundo perdeu força quando o budismo surgiu. Mas, na medicina moderna chinesa ainda existem muitos princípios dessa prática.

Alquimia Ocidental

O imperador Alexandre, O Grande, ajudou na disseminação da alquimia no Ocidente após invadir a Índia na busca pelo elixir da juventude.

A Alquimia Ocidental tem traços orientais, por causa das manipulações índias e também por conta dos ensinamentos muçulmanos aos espanhóis, que também foi outra forma de manipulação.

Antes da formação das monarquias nacionais, data a história que muçulmanos habitavam a Península Ibérica, onde depois se tornou a Espanha. E então surgiu a ligação entre os povos e o diálogo entre eles, por volta da era medieval, passando conhecimentos que os alquimistas tinham.

Alquimistas e a inquisição

Durante a Idade Média, período em que a cultura medieval era baseada nos dogmas do catolicismo, a alquimia tinha status de algo demoníaco.

A Igreja Católica liderou o movimento chamado de Santa Inquisição, que tinha como intuito sentenciar pessoas à morte e torturá-las quando não seguissem as normas da Igreja.

Para a igreja, a alquimia tinha relações com o ocultismo e isso fez com que muitos fossem levados à forca e à fogueira.

Só conseguia escapar do julgamento quem tinha a proteção da nobreza. Algumas famílias reais viam na alquimia um modo de aumentar as posses, uma vez que eles sabiam manusear metais e prometiam a produção de ouro.

Alquimia moderna

Após a perseguição na Idade Média e uma passagem pelo renascentismo europeu, a alquimia deixou de ser associada à química, que se tornou a ciência que maneja metais e outros processos de misturas de elementos naturais.

Mas a ideia da transmutação de metais ainda existe e é possível em alguns casos. A alquimia moderna cuida disso e é uma área das ciências de inovação e tecnologia.

Alquimia na cultura pop e geek

Nas histórias de Harry Potter e The Flash são apresentados a Pedra Filosofal e o Alquimista.

Em Harry Potter a ideia da Pedra Filosofal tem a mesma função da original: fabricar ouro e o elixir da vida. No enredo, a pedra foi criada pelo bruxo Nicolas Flamel que a utilizou principalmente para estender sua vida.

Já em The Flash, existe um antagonista que aparece tanto nas HQs – Histórias em Quadrinho, quanto na série de televisão, chamado de Doutor Alquimia. Ele possui a Pedra Filosofal que lhe permite brincar com a natureza.

Os poderes do Doutor Alquimia, junto a sua pedra, vão além da transformação de metais em ouro, mas envolve criar um avião a partir de rochas, por exemplo, ou dar poderes a seres humanos, como super velocidade.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

, . Alquimia; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/alquimia >. Acesso em 23 de setembro de 2020 às 18:43.

Copiar referência

Outros Artigos de História

Ciclo do Pau-Brasil

O Ciclo do Pau-Brasil foi um período histórico da nação […]

Ciclo do ouro, um dos ciclos importantes do Brasil.

Ciclo do Ouro

O Ciclo do Ouro também era chamado de “ciclo da […]

Um dos ciclos econômicos do Brasil, foi o ciclo do café.

Ciclo do Café

O Ciclo do Café foi a atividade econômica mais importante […]

Ciclo do Algodão no Brasil

O Ciclo do Algodão no Brasil aconteceu entre a segunda […]