Alvéolos pulmonares

Estruturas minúsculas localizadas nos pulmões

A região que os alvéolos pulmonares se abrigam é bastante vascularizada, o que possibilita a mistura do oxigênio com o sangue. Esse processo é denominado de hematose.

Os alvéolos pulmonares são envoltos por capilares sanguíneos e uma fina membrana. Os capilares são os menores vasos do sistema circulatório e auxiliam no processo da troca gasosa entre o sangue e as células do corpo.

Para entender melhor a estrutura dos alvéolos pulmonares e como atuam, basta imaginar que os alvéolos são divididos em dois grupos, chamados de pneumócito tipo I e pneumócito tipo II. Ambos os grupos são revestidos por uma camada de células epiteliais.

O primeiro grupo,  pneumócito tipo I, são células pavimentosas que contêm citoplasma em uma pequena quantidade. Como o citoplasma tem textura leve, gelatinosa e é rico em moléculas, isso torna a passagem dos gases mais fácil.

O segundo grupo, pneumócito tipo II, são células mais volumosas e ovais. Ricas em proteínas e lipídios essa mistura se difunde e mantém os alvéolos abertos para que os gases se misturem na membrana da estrutura.

Formato da ramificação de alvéolos pulmonares em grupo. (Foto: Wikipédia)

Função da ramificação nos pulmões

Na prática, a principal função dos alvéolos pulmonares é a troca de oxigênio e gás carbônico. O oxigênio inspirado através das narinas passa por um processo de filtro, devido as químicas que estão presentes no ar, para que chegue o mais puro possível nos pulmões. Ao entrar no órgão, chega aos alvéolos pulmonares.

 As camadas de células que citamos, que revestem os alvéolos e os vasos capilares, estão estreitamente ligadas umas às outras. Então, o oxigênio passa rapidamente através desta barreira de ar-sangue até o sangue nos vasos capilares. Da mesma forma, o gás carbônico passa do sangue e segue para o interior dos alvéolos, onde é expirado.

Pulmões

Os pulmões fazem parte do sistema respiratório, ficam localizados no tórax e têm aparência esponjosa. Cada humano tem dois pulmões, um maior e outro menor. A principal função desse órgão é realizar as trocas gasosas, que como já dito, acontecem nos alvéolos pulmonares. O ar que é absorvido pelos pulmões é misturado ao sangue, o que traz vitalidade para o ser humano. Quando o gás carbônico é eliminado, as células geram energia.

Todo o ar que é captado pelo sistema respiratório segue para os alvéolos pulmonares e as pequenas bolas semelhantes a sacos se enchem de ar. Essas bolas medem aproximadamente 1mm e são encontradas em milhares. Já os pulmões medem 25 cm de comprimento e pesam 700g.

A localização dos pulmões está no pericárdio, ligados diretamente ao coração e a traqueia por estruturas denominadas hilo.

Ao redor dos alvéolos pulmonares existe uma membrana chamada de pleura. A função dessa membrana é envolver internamente a cavidade torácica e externamente dos pulmões. Elas se classificam como pleura parietal e pleura visceral e se interligam.

No limite entre a pleura parietal e a pleura visceral é encontrado um líquido que garante deslizamento de uma pleura sobre a outra no momento em que o ar entra e sai dos pulmões.

Rompimento do alvéolo pulmonar

Os alvéolos pulmonares são estruturas finas e seu rompimento pode ser causado por alguns fatores, entre eles, o cigarro. Esse rompimento do alvéolo pulmonar é chamado de enfisema pulmonar, uma doença obstrutiva crônica que decorre porque o pulmão dilata. Dentro do pulmão a área mais afetada é o alvéolo pulmonar.

Como o alvéolo pulmonar é responsável pelas trocas gasosas, o enfisema rompe com os pequenos sacos da estrutura e causa dificuldade na respiração, além de deficiência de oxigenação no sangue.

Uma vez rompido, os alvéolos pulmonares não se restituem, ou seja, o quadro é irreversível. Além do cigarro, outro fator que causa a doença é a poluição urbana. Estima-se que em cidades muito poluídas o risco de desenvolver esse e outros problemas respiratórios se tornam maiores. 

A doença é assintomática no início e somente aparece quando ganha proporção no pulmão. Entre os principais sintomas podemos citar:

  • Tosse (sem catarro);
  • Dispneia (dificuldade de respirar);
  • Fadiga;
  • Dificuldade de recuperar o fôlego

O diagnóstico é possível através dos exames de  imagem e sangue. Como a doença não tem cura, o tratamento é indicado para amenizar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente.  A combinação de alguns medicamentos com as mudanças de hábitos proporcionam um certo controle dos sintomas.

Capilar sanguíneo

Os capilares sanguíneos são os menores vasos do sistema circulatório, medindo aproximadamente 8 mm de diâmetro e 5 mm de comprimento. São extremamente finos e formados apenas por uma camada de tecido endotelial. Além de auxiliar no processo da troca gasosa, também entrega nutrientes ao metabolismo.  

Entre as funções do grupo de capilares localizados nos pulmões, está a permissão para as hemácias liberarem gás carbônico retido na circulação e distribuírem as moléculas de oxigênio de volta ao corpo. Os glóbulos vermelhos são maiores que os próprios capilares e, por isso, quando essa troca ocorre sofrem uma pequena alteração na forma, para então fluírem através dos capilares.

O sangue que é retido nos capilares é doado pelas arteríolas, que são uma derivação das artérias, porém menores e mais finas. Essa redução dos vasos sanguíneos é totalmente necessária, pois assim é evitado o rompimento dos capilares, já que o sangue que flui em artérias e veias tem pressão e velocidade elevadas, o que destruiria essa parede fina dos capilares.

 

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Luna, Fernanda. Alvéolos pulmonares; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/alveolos-pulmonares >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 21:40.

Copiar referência

Outros Artigos de Biologia

Celoma

O Celoma tem origem do latim “cele” que significa “cavidade”. […]

Cavalo Marinho

O Cavalo Marinho é da espécie do Hippocampus, um gênero […]

Cavalo

O Cavalo é um animal mamífero que pertence a um […]

Caule

O Caule é o órgão que conduz as seivas das […]