Anúbis

Deus dos mortos e condutor do submundo

Anúbis é o deus dos mortos na mitologia egípcia, religião do Egito antigo. Ele é o responsável por conduzir as almas até o submundo. Filho de Osíris, deus da vegetação e da ressurreição, e Néftis, deusa da noite.

Após o domínio greco-macedônico e do Império Romano no Egito, Anúbis é associado a um dos deuses gregos, o deus Hermes, tornando-se Hermanubis.

O nome Anúbis vem do grego Ἄνουβις (Anupu), mas o povo do antigo Egito o chamava de várias formas, entre elas:

  • Inpw
  • Inpu
  • Anup 
  • Anpu
  • Ienpw

O significado do seu nome é “abridor dos caminhos”.

Assim como os demais deuses egípcios, Anúbis tem diversas atribuições entre elas está a de senhor dos funerais, que após a ressurreição do seu pai Osíris passou a ser reconhecido como divindade que cuida do embalsamento e de todo o processo de mumificação dos mortos.

Segundo as crenças da civilização egípcia, após o morto ser julgado, e caso fosse absolvido, o mumificado retornaria a vida com o corpo intacto devido ao embalsamento.

Anúbis é retratado de muitas formas, mas sempre na forma antropozoomórfica, hora é um homem com a cabeça de chacal, hora é representado por um chacal negro deitado em posição de esfinge.

Personificação de Anúbis

Nos mitos, Anúbis é descrito como um deus com a fisionomia de um canídeo, mamífero que pertence à família do cão, lobo, chacal, coiote e raposa.

No entanto, a sua imagem está ligada ao chacal, animal que vivia na região mais deserta do vale do Rio Nilo, que ficava localizado nas proximidades de uma necrópole, lugar que abriga um conjunto de sepultamentos e tumbas.

O humano com a cabeça de chacal carrega na sua mão direita um cetro e na esquerda segura a chave que abre a porta do submundo. Ele é sempre retratado portando um chicote que está agarrado as suas vestes.

Anúbis
Imagem da retratação da divindade metade homem metade chacal. (Foto: Pixabay)

O deus em forma de chacal também é retratado deitado sobre construções como se estivesse protegendo as tumbas das múmias.

A imagem do deus da mumificação está presente em amuletos, entalhe de madeira e nas pinturas das paredes de tumbas e sarcófagos.

Culto a Anúbis

Não se sabe quando começaram os cultos a Anúbis, mas de acordo com os mitos, há indícios de exaltação a uma divindade chamada Kbentiamentiu que possuía fisionomia semelhante à de Anúbis. No entanto, também era parecida com Osíris, sempre descrito como uma múmia.

Entre todos os deuses do Egito, Anúbis é um dos poucos que não possuía templo para ser cultuado. No entanto, as pessoas preferiam homenageá-lo em locais que consideravam estar sob a sua influência, como: cemitérios e tumbas.

Até os dias atuais algumas pessoas costumam cultuá-lo fazendo tatuagem de Anúbis.

Anúbis
A imagem de Anúbis é retratada em templos. (Foto: Pixabay)

Por meio de escavações recentes, os historiadores conseguiram encontrar o Templo de Anúbis, que está localizado no planalto de Giza Plateau, nos arredores de Cairo, no Egito.

História de Anúbis

Segundo os contos, Anúbis é fruto de um adultério. De acordo com a mitologia egípcia, Osíris “deus da fertilidade” podia ter filho, diferente do seu irmão Seth, que o invejava por ser estéreo.

Néftis, que era casada com Seth, tinha um profundo desejo de ser mãe, então, após uma briga como o seu marido disfarçou-se da sua irmão gêmea Isis, esposa de Osíris, e foi até os aposentos do deus.

Após esse episódio, Néftis ficou grávida e depois deu à luz a Anúbis. Isso fez com que Seth nutrisse um ódio ainda maior pelo irmão mais velho Osíris.

Temendo a ira de Seth, Néftis escondeu o seu filho no pântano. O pequeno acabou sendo encontrado por sua tia Isis, que o criou bem longe do alcance de Seth.

Genealogia

Embora tenham muitas versões para a criação da do planeta Terra, a mas utilizada é a que narra a origem do clã do qual Anúbis faz parte.

Filho e ao mesmo tempo sobrinho de Osíris, ele também é enteado e sobrinho de Seth, marido da sua mãe Néftis, que é quadrigêmea.

Confira a árvore genealogia da divindade:

Trisavô
• Khepera (Divindade principal)

Bisavós
• Shu (deus do ar seco)
• Tefnut (deusa da umidade)

Avós
• Nut (deusa do céu)
• Geb (deus da terra)

Tios
• Isis (deusa do amor)
• Seth (deus do caos)
• Osíris (deus da fertilidade)

Pais
• Osíris (deus da fertilidade)
• Néftis (deusa da noite)

Irmão
Deus Hórus (senhor dos céus)

Filha
• Kebechet (serpente que refresca e purifica)

O senhor da Mumificação

Logo após o seu pai Osíris ter sido morto e esquartejado por Seth, Anúbis passou a ter um papel importante na mitologia egípcia. Ele é identificado como o senhor da mumificação.

Quando Isis e Néftis recolheram os pedaços do corpo de Osíris, Anúbis se ofereceu para embalsamá-lo utilizando os seus conhecimentos de pós-vida. A partir da mumificação de Osíris, feita por Anúbis, surgiu a primeira múmia do Egito.

Conforme esse evento ganhava notoriedade, o povo egípcio foi introduzindo na cultura local o hábito de conservar os corpos objetivando que os seus entes queridos retornassem ocupando o mesmo corpo.

Antes de realizar o processo de mumificação, os egípcios retiravam os órgãos dos corpos e colocavam em um jarro para mantê-los guardados.

O ritual de mumificação é feito por sacerdotes da divindade, que eram obrigados a utilizar máscaras de chacal, como forma de reverenciar Anúbis.

Os povos do antigo Egito tinham o costume de mumificar também os animais que eram ligados as divindades, como é o caso dos cães e chacais, que representam Anúbis. Alguns desses bichos chegaram a ser encontrados na necrópole da antiga cidade de Mênfis.

Curiosidades assombrosas sobre Anúbis

  • Necromantes: Anúbis também é considerado o “pai dos necromantes”, criaturas que buscavam obter algo através da energia da morte;
  • Juiz: Anúbis também era considerado um “juiz dos mortos”. Ele pesava o coração de quem morreu, comparando com a sentença realizada pela deusa Ma’at, irmã de Osíris e deusa da justiça, verdade e harmonia;
  • Servos: de acordo com a lenda, Anúbis tinha uma legião de servos ao seu comando. Eles eram responsáveis por preparar os corpos para atravessarem para o mundo dos mortos. Chegarem a ser considerados criaturas inferiores e chamados de demônios;
  • Bastet: acredita-se que Anúbis teria tido um caso com a deusa solar Bastet, a “deusa da fertilidade”. Juntos, eles representariam a correlação dualista entre vida-morte ou criação-destruição.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

RIBEIRO, Lohana. Anúbis; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/anubis >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 21:49.

Copiar referência

Outros Artigos de Religião

Dez Pragas do Egito 7

Dez Pragas do Egito

As Dez Pragas do Egito foram dez desastres que ocorreram […]

catolicismo

Catolicismo

O catolicismo é uma religião cristã que se tornou oficial […]

Sincretismo e Religiões Afro-brasileiras

O sincretismo é definido como a fusão de várias religiões. […]

Igreja Ortodoxa

Igreja Ortodoxa

A Igreja Ortodoxa reúne a segunda maior comunidade cristã do […]