Apóstrofe

É uma figura de pensamento

A apóstrofe é umas das figuras de pensamento. As figuras de pensamento é uma das divisões das figuras de linguagem.

A principal característica da apóstrofe é interromper a narração de uma história para chamar o destinatário da mensagem, esse receptor pode ser real ou imaginário.

Assim sendo, a apóstrofe possui um papel sintático de vocativo dentro de um contexto, verificamos isso através da frase: “Luciana, não responda”.

Isso é uma particularidade de discursos diretos, porque no discurso indireto ele assume a função de complemento indireto: “Ela disse a Luciana pra que não respondesse”.

O que é vocativo?

Vocativo é o termo da oração que tem a função de chamar uma pessoa, sendo ela real ou imaginária. Não existe relação sintática entre o vocativo e outro pedaço da oração.

O vocativo normalmente aparece no início da frase e isolado por vírgulas; ponto de exclamação; interrogação ou reticências.

Exemplos:

  • Não diga isso dentro de uma capela, Raquel!
  • Na vida, meu bem, não se pode ter tudo.
  • Ei! Moça! Com licença, pode me dar um dinheiro?
A Apóstrofe é uma figura de pensamento usada em músicas
A apóstrofe é muito usada em letras de música. (Foto: AdobeStock)

Exemplos de apóstrofe

Essa figura de pensamento é muito aplicada na linguagem informal ou quando vão redigir discursos políticos, textos religiosos e poéticos. No discurso político ela é usada para provocar o efeito de que o locutor está falando diretamente com as pessoas.

Confira a seguir a aplicação da apóstrofe em algumas frases:

  • Filha, estou aqui rezando por você!
  • Ó Regis, você pode parar com esse drama todo?
  • Espera, meu bem, que eu estou descendo!
  • Venha, Luan, está na hora de almoçar.
  • Não coma tão rápido, menino!
  • Você viu a briga no intervalo, diretor?

Exemplos de apóstrofe na música e literatura:

  • “Tende piedade de mim, Senhor, de todas as mulheres” (Vinícius de Moraes)
  • “Pai, afasta de mim esse cálice, Pai” (Chico Buarque)
  • “Supremo Senhor e Governador do universo, que às sagradas quinas de Portugal, e às armas e chagas de Cristo, sucedam as heréticas listas de Holanda, rebeldes a seu rei e a Deus?…” (Padre Antônio Vieira)
  • “Criança! não verás país nenhum como este:/Imita na grandeza a terra em que nasceste!” (Olavo Bilac)

Apóstrofe e apóstrofo

Apóstrofe e apóstrofo são palavras usadas na língua portuguesa, contudo elas são aplicadas em diferentes contextos.

O apóstrofo é representado pelo sinal gráfico (’), ele é usado para suprimir uma ou mais letras de alguma palavra e realizar a contração de termos.

Algumas palavras com o uso da apóstrofe: copo d’água, estrela d’alva, caixa d’água

Já sabemos que a apóstrofe é uma figura de linguagem usada para interromper o emissor da mensagem e fazer a referencia a alguma coisa ou alguém.

Aconteceu no ENEM

Alguns candidatos já confundiram os apóstolos com apóstrofo. Os apóstolos são aqueles da bíblia ou das pinturas que trazem a Santa Ceia como tema. Confira o exemplo retirado de uma prova do ENEM:

Apóstrofo são os amigos de Jesus, que se juntaram naquela jantinha que Michelangelo fotografou.

Para não correr risco de fazer parte das perolas do ENEM é necessário ficar atento toda fez que for fazer o uso dessa palavra.

Outras figuras de pensamento

Além da apóstrofe, a Língua Portuguesa contra com outras figuras de pensamento. As figuras de pensamento fazem parte de uma subdivisão das figuras de linguagem, elas são aplicadas nos contextos para dar mais destaque ao que está sendo falado.

Depois de conhecer a apóstrofe, conheça agora outras figuras de pensamento e sua aplicação.

Antítese

A antítese é caracterizada por exibir ideais opostas em uma frase. A linguagem do Barroco explorava muito essa figura de pensamento.

Exemplo: Entre a saúde e a doença, sua vida foi passando.

Eufemismo

O eufemismo é caracterizado pelo uso de palavras leves para se referir a momentos difíceis ou desagradáveis.

Exemplo: Depois de longos anos doente na cama, meu pai pode enfim descansar.

Gradação ou clímax

Também chamada de clímax, na gradação uma história é contada em ordem crescente ou decrescente dos fatos.

Exemplo: As pessoas chegaram à festa, sentaram, comeram e dançaram.

Hipérbole

A hipérbole é caracterizada pelo uso de palavras exageradas para se referir a alguma coisa.

Exemplo: Vamos almoçar agora porque eu estou morrendo de fome.

Ironia

Na ironia uma palavra é usada em diversos sentidos, inclusive para caracterizar uma ideia oposta ao significado daquela palavra que está sendo utilizada.

Exemplo: Que lindo serviço você fez! Agora limpe tudo imediatamente!

Paradoxo ou oxímoro

O paradoxo ou oxímoro é quando usamos palavras contrárias para expressar uma ideia.

Exemplo: Minha filha vive sonhando acordada.

Personificação ou prosopopeia

Na personificação ou prosopopeia usamos palavras relacionadas a humanos para caracterizar seres sem vida.

Exemplo: As folhas dançavam alegremente enquanto o vento as assoprava.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Oliveira, Filipe. Apóstrofe; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/apostrofe >. Acesso em 30 de janeiro de 2020 às 00:22.

Copiar referência

Outros Artigos de Língua Portuguesa

Trovadores apresentando em forma de cantiga o que foi escrito em seus textos com seus instrumentos.

Características do Trovadorismo

As características do Trovadorismo estão relacionadas com todas as particularidades […]

Chegada dos portugueses.

Características do Quinhentismo

As características do Quinhentismo, primeira manifestação literária do Brasil, estão […]

Características do Classicismo

As características do Classicismo eram baseadas na representação de elementos […]

Características do Arcadismo

As características do Arcadismo surgiram em meio ao período que […]