Aristóteles

O primeiro verdadeiro cientista da história

Aristóteles foi um importante filósofo grego, considerado um dos fundadores da filosofia ocidental. Como aluno de Platão, contrapôs suas teorias e desenvolveu escritos abrangendo diversos assuntos, que são referência até a atualidade.

Biografia

Aristóteles nasceu em Estagira, uma antiga cidade da Macedônia, situada hoje na Grécia, em 384 a.C. Considera-se que seu interesse por biologia e fisiologia tenha sido influenciado pela atividade exercida por seu pai, Nicômaco, médico do rei macedônio Amintas III.

Escultura de Aristóteles
Cópia romana de uma escultura de Aristóteles feita por Lísipo. (Wikipédia)

Com cerca de 17 anos, foi estudar em Atenas, o maior centro intelectual e artístico da Grécia. Ingressou na academia de Platão, focada na ciência como fundamento da realidade, onde permaneceu por vinte anos.

Aristóteles causou admiração por seu comportamento e inteligência. Reconhecido como gênio por seu mestre, o jovem demonstrou grande capacidade de pensar e começou a elaborar obras que divergiam das doutrinas de Platão.

Esse foi o ponto de partida para se falar da obra filosófica aristotélica que, de certo modo, é uma refutação às ideias de seu mestre.

Platão idealizava a existência de dois mundos: o concreto que é capturado pelos sentidos e está em constante mutação, e o mundo abstrato, que se trata das ideias, imutável e que só é possível ser acessado através do intelecto.

Já para Aristóteles, só existe o mundo em que vivemos e é nele que se encontram as bases sólidas necessárias para executar investigações filosóficas, conhecê-lo e entendê-lo.

Com a morte de Platão, em 348 a.C., Aristóteles esperava ser o substituto natural do seu mestre na direção da escola, mas foi rejeitado por ser estrangeiro. Assim, deixou Atenas e se dirigiu para Atarneus, na Ásia Menor.

Lá, se tornou conselheiro de estado de seu antigo colega, o filósofo político Hermias. Entre 347 a.C e 345 a.C, dirigiu uma escola em Assos, junto com Xenócrates, logo depois administrou outra escola em Mitilene, na ilha de Lesbos.

Em 343/342 a.C, Aristóteles foi convidado para ser educador do filho do rei Filipe II da Macedônia. O rei desejava que seu sucessor fosse um refinado filósofo. Assim sendo, Aristóteles permaneceu alguns anos atuando como tutor de Alexandre III, ou Alexandre, o Grande, que seria o mais célebre conquistador do mundo antigo.

Liceu

Em 335 a.C. Aristóteles retornou para Atenas e fundou sua própria escola, nomeando-a “Liceu” por estar situada em uma área de exercício público dedicado ao deus Apolo Lykeios.

Os membros da instituição realizavam pesquisas em uma ampla gama de assuntos. Aristóteles tinha interesse em conhecer diversas áreas, assim, descreveu os campos básicos da investigação da realidade e os nomeou da forma que são conhecidos até hoje:

  • Lógica;
  • Física;
  • Política;
  • Economia;
  • Psicologia;
  • Metafísica;
  • Meteorologia;
  • Retórica e;
  • Ética.

Morte

Em 323 a.C., com a morte de Alexandre, então rei da Macedônia, ocorreu uma forte reação de fúria, não somente contra o conquistador, mas contra todos os seus admiradores e amigos, entre eles Aristóteles.

O influente filósofo conseguiu fugir de Atenas, declarando que não permitiria que os atenienses pecassem duas vezes contra a filosofia, fazendo uma referência ao julgamento de Sócrates.

Contudo, adoeceu e veio a falecer no mesmo ano. Aristóteles morreu em 322 a.C., em Cálcia, na Eubéia. Em seu testamento, conhecido através de Diógenes Laércio (c. séc. III d.C.), preocupou-se em definir o futuro de seus filhos, através dos tutores e do casamento.

“Antipater será para todos os efeitos meu testamenteiro. Até a maioridade de Nicanor, desejo que Aristodemo, Timarco, Hiparco, Dióteles e Teofrasto (se aceitar e estiver capacitado para esta responsabilidade) sejam os tutores de meus filhos, de Hérpile e de todos os meus bens. Uma vez alcance minha filha a idade necessária, que seja concedida como esposa de Nicanor. Se algum mal abater-se sobre ela – prazam os deuses que não – antes ou depois do casamento, antes de ter filhos, caberá a Nicanor deliberar sobre meu filho e sobre os meus bens, conforme a ele pareça digno de si e de mim. Nicanor assumirá o cuidado de minha filha e de meu filho Nicômaco, zelando que nada lhes falte, sendo para eles tal como um pai e um irmão.”

Trecho do testamento de Aristóteles reproduzido na obra “Vida, Doutrina e Sentenças dos Filósofos Ilustres” de Diôgenes Laêrtios.

Campos de estudo

A filosofia aristotélica dominou verdadeiramente o pensamento europeu a partir do século XII, realizando uma revolução científica.

Aristóteles desenvolveu estudos em diversas áreas e assuntos, como a física, a metafísica, as leis da poesia e do drama, a retórica, a ética, a lógica, a biologia e a zoologia.

Lógica

Considerado como um dos fundadores da filosofia ocidental, as ideias de Aristóteles continuam sendo objeto de estudos acadêmicos. A Lógica de Aristóteles constitui o exemplo mais sistemático de filosofia em dois mil anos de história.

Sistematizou-a, definindo as formas de interferência que eram válidas e as que não eram - em outras palavras, aquilo que realmente decorre de algo e aquilo que só aparentemente decorre; e deu nomes a todas essas diferentes formas de interferências.

Aplicou a lógica para responder a questão que lhe parecia mais importante: “o que é ser?”, em outras palavras, “o que significa existir?”.

Metafísica

As principais ideias filosóficas de Aristóteles abrangem a natureza de Deus (Metafísica), do homem (Ética) e do Estado (Política). Para ele, as características das coisas apenas nos mostram como as coisas estão, mas não definem ou determinam o que elas são.

Então, é preciso investigar as condições que fazem as coisas existirem, aquilo que determina “o que” elas são e aquilo que determina “como” são. Para isso, distingue a existência de quatro causas diferentes e complementares:

  • Causa formal: é a forma da coisa (um objeto define sua essência pela sua forma);
  • Causa material: é a matéria de que uma coisa é feita (a matéria na qual consiste o objeto);
  • Causa eficiente: é a origem da coisa (aquilo ou aquele que tornou possível o objeto);
  • Causa final: é a razão de algo existir (a finalidade do objeto).

Ética e política

Para Aristóteles, “o bem é aquilo a que todas as coisas tendem” ou seja, todas as ações conduzem ao bem, pois o bem é o fim de todas as coisas. Para ele, todos querem ser felizes no sentido mais pleno dessa palavra.

Para isso, é necessário desenvolver e exercer as pessoas capacidades dentro do convívio social, equilibrando as virtude para que não se tornem vícios ou defeitos de caráter.

Segundo o pensamento aristotélico, para ser feliz, é preciso fazer o bem ao outro, assim o homem é um ser social, ou formalmente, um ser político.  Com efeito, cabe ao Estado “garantir o bem-estar e a felicidade dos seus governados”.

Obras de Aristóteles

As obras desenvolvidas por Aristóteles permanecem sendo fundamentais para a realização de novos estudos, descobertas e teorias, inclusive é a base para comparação e observação dos trabalhos dos novos cientistas.

Suas obras podes ser divididas em:

  • Lógica: “Sobre a Interpretação“, “Categorias“, “Analíticos“, “Tópicos“, “Elencos Sofísticos” e os 14 livros da “Metafísica”, que Aristóteles denominava “Prima Filosofia”. O conjunto dessas obras é conhecido pelo nome de “Organon“;
  • Filosofia da Natureza: “Sobre o Céu“, “Sobre os Meteoros“, oito livros de “Lições de Física” e outros tratados de história e vida dos animais;
  • Filosofia Prática: “Ética a Nicômano“, “Ética a Eudemo“, “Política“, “Constituição Ateniense” e outras constituições;
  • Poéticas: “Retórica” e “Poética“.

Citações

O sábio nunca diz tudo o que pensa, mas pensa sempre tudo o que diz.

A dúvida é o princípio da sabedoria.

A educação tem raízes amargas, mas os seus frutos são doces.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

BRITO, Samara. Aristóteles; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/aristoteles >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 16:55.

Copiar referência