Arte plumária

Estilo artístico faz parte da cultura indígena brasileira

A arte plumária é aquela feita com penas e plumas de aves. Ela geralmente é usada como ornamento do corpo.

O estilo artístico também pode ser observado em penas que são fixadas diretamente na pele. Além disso, em menor escala de uso, determinados objetos plumários podem ser elaborados com o foco na decoração de espaços, especialmente em locais que têm funções solenes e culturais.

Arte plumária dos índios brasileiros

A arte plumária dos índios brasileiros é uma forma de expressão visual da cultura nativa do país.

Confeccionadas com penas, plumas e outros materiais de origem animal e natural, as peças fazem parte da ornamentação do corpo dos índios, principalmente em momentos de rituais e celebrações.

Sobre essa forma de arte é importante saber que:

  • No século XVI, chamou a atenção dos europeus na chegada ao território brasileiro;
  • A produção plumária dos povos indígenas representa culturas ricas e complexas;
  • Ela corre o risco de desaparecer por causa da aculturação das tribos e transformação de peças simbólicas em itens comerciais turísticos.

Antes de seguir, vale lembrar que aculturação é a interpenetração de culturas. Ou seja, são as mudanças que podem acontecer com os povos indígenas diante do contato com os elementos culturais externos, normalmente advindos das sociedades do mundo em globalização.

Como consequência, ao voltar para a arte plumária dos índios brasileiros, existem peças da cultura indígena que ganharam traços das culturas europeia e africana. O resultado é a formação de objetos artísticos que passam a integrar a diversidade da cultura brasileira.

Significados

Por mencionar a diversidade, o Brasil tem mais de 30 grupos indígenas que usam a arte plumária. Para esses povos, a forma de expressão tem significados como:

  • Ritos de passagem;
  • Estado de espírito;
  • Distinções de prestígio e poder;
  • Identidade do indivíduo e da família.

Nas organizações sociais indígenas, cabe destacar que não existe uma separação formal entre arte e artesanato, pois todas as peças são constituídas por expressões estéticas que visam a afirmação das etnias.

Como é possível notar, essa forma de arte plumária não é definida pela visão simplória de ser um adorno. Ela também serve como forma de comunicação e preservação de toda uma cultura e organização social.

Por ser uma arte tradicional, faz parte do folclore brasileiro. Os objetos plumários normalmente são confeccionados pelos homens, pois as técnicas são prendidas após os ritos de iniciação.

Para não gerar dúvidas, entre outras finalidades, a iniciação é uma cerimônia indígena que apresenta para os novatos do grupo os antigos conhecimentos do povo, incluindo alguns segredos.

Características

Braçadeiras, tangas, cintos, colares, pulseiras, tornozeleiras. Seja qual for a peça plumária do povo, existem características que conectam as produções com a cultura nativa do Brasil. Entre elas, vale realçar:

  • A manufatura das peças envolve atividades como a caça das aves ou retirada da pena de animais cativos;
  • Geralmente a produção é feita apenas através de amarrações e trançamentos de fibras;
  • A arte que fica no corpo é fixada com o auxílio de resinas, colas ou perfurações;
  • Armas e instrumentos musicais também podem ser adornados com penas.

No momento de confecção dos objetos, as penas podem ser usadas com materiais como couro, pele, ossos, sementes, além das garras de animais e fibras de diferentes origens.

Os índios modificam a forma original das penas por meio de cortes que têm diferentes formas. No sentido técnico, elas podem ser serrilhadas nas laterais e bordas, cortadas em forma de cálice, aparadas para ficarem espiraladas, retangulares, triangulares.

Entretanto, apesar do mundo de possibilidades, convém destacar que é comum que os indígenas usem as penas sem grandes alterações, aparando apenas os topos dessa parte da ave.

peça de arte plumária
Peças de arte plumária são feitas com penas de diferentes aves. (Foto: Wikipédia)

Arte plumária dos povos da transamazônica

Os povos Kagwahíva, localizados no sul do Amazonas, possui um sistema de organização dos cargos sociais baseados em nomes de pássaros. A relação com animais é antiga e se expande até a cultura material, caracterizada por cocares e flechas que são produzidas através da combinação de penas.

Ao observar a arte plumária dos Kagwahíva é possível notar elementos místicos que estão cheios de significados. Isso acontece pela importância dos pássaros na cultura, pois os integrantes desses povos acreditam que os animais informam sobre os alimentos da mata que podem ser comidos ou não, além de ensinar o nome de cada um deles.

A confecção dos objetos artísticos desses povos transamazônicos é feita com penas de animais como:

  • O gavião;
  • A arara;
  • O mutum;
  • O papagaio;
  • A garça.

Para fazer um cocar, eles selecionam as penas mais bonitas da ave. Em seguida, começam a cortar um barbante em tamanhos iguais. A partir desse ponto, as penas são amarradas no barbante.

De acordo com a tradição dos povos, o cocar feito com as penas grandes da cauda das araras são utilizados apenas pelos caciques e guerreiros indígenas. Além disso, após a primeira menstruação, existem cocares que são confeccionados e colocados nas jovens.

Desafios da arte como fonte de renda

A exemplo dos Kagwahíva, a arte plumária indígena do Brasil tem significados e usos tradicionais que ultrapassam a ideia de ser um objeto decorativo turístico. No entanto, em alguns casos, também servem como fonte de renda para os povos.

Apesar da mencionada importância, a produção  dessa expressão artística como fonte de renda corre o risco de terminar. Cabe pontuar que as causas para tal cenário não são simples, mas os principais desafios estão alicerçados nos impedimentos legais da caça de aves no país.

Então os índios não podem caçar? De modo geral, sim. Eles têm o direito de caçar os animais silvestres para a alimentação e confecção de objetos cerimoniais. Entretanto, as peças com produtos ou subprodutos da fauna silvestre, classificação em que estão as peças da arte plumária, não podem ser comercializadas.

Além das questões legais, no sentido de prosseguir com a tradição, é necessário o uso de penas de espécies de aves que estão ameaçadas de extinção, a maior parte por causa de problemas como as queimadas e o desmatamento ilegal provocado pelo homem.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Conceição, Thiago. Arte plumária; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/arte-plumaria >. Acesso em 18 de novembro de 2019 às 23:34.

Copiar referência

Outros Artigos de Artes

Monumento à Terceira Internacional.

Construtivismo nas artes

O construtivismo nas artes está relacionado com o movimento artístico […]

A Commedia dell’arte fazia a utilização do humor e críticas à sociedade em palcos improvisados.

Commedia Dell’Arte

A Commedia Dell’Arte iniciou-se a partir do início do século […]

Circo armado

Circo

O circo é o lugar onde acontecem expressões artísticas que […]

características das cores matiz

Características das Cores

As características das cores podem ser descritas como matiz, tonalidade […]