Arte Romana

Arte da antiga civilização de Roma com forte influência dos povos etruscos e gregos

A arte romana é um conjunto de manifestações artístico-culturais realizadas no período do Império Romano. Essas manifestações foram realizadas no período que divide-se em Roma República (510 até 27 a. C) e Roma Império (27 a.C. até 476 d. C.). A arte romana expressou-se na arquitetura, escultura, pintura, teatro, música e literatura.

O intercâmbio cultural e de informação entre o povo romano e os povos conquistados permitiu que Roma fosse a capital de uma arte singular. Isso porque os romanos assimilaram técnicas e habilidades desses povos. Pode-se destacar que uma das principais características da arte romana foi o aperfeiçoamento do arco.

Inspirações da Arte Romana

Os principais povos influenciadores da arte romana foram os etruscos e gregos. Da arte etrusca os romanos assimilaram a percepção de realidade do cotidiano e da arte grega o ideal de perfeição. Confira mais detalhes das artes inspiradoras deste período:

Arte etrusca

Os povos etruscos habitavam a região chamada de Etrúria, onde atualmente localiza-se a província da Itália central, banhada pelos mares Lígure e o Tirreno – Toscana.

A proximidade e as relações comerciais permitiram a influência da cultura de outros povos na arte dos povos etruscos, como a dos povos gregos, fenícios, egípcios e assírios.

A arte dos povos etruscos apresentou estilo e expressões singulares. O realismo era presença marcante. Os artesãos produziam peças em material de barro, bronze e metal, como estatuárias, vasos e espelhos.

Os artesãos ainda destacavam-se no ofício de ourivesaria, ou seja, na fabricação de metais preciosos e joias de ouro, prata e marfim.

Na arquitetura etrusca predominou o imediatismo e o efêmero. Os materiais empregados nas construções eram perecíveis, a exemplo do tijolo cru, madeira e pedra de origem vulcânica. Dessas construções arquitetônicas etruscas, os romanos copiaram a utilização do arco e da abóbada, ou seja, coberturas curvas.

Em relação às pedras de mármore de carrara, utilizadas nas construções etruscas, passaram a ser exploradas pelos romanos no início do império.

Arte grego-helenística

A arte grega do período helenístico, período de difusão da cultura grega de 323 a. C até 146 a. C, por isso denominada de arte grego-helenística, apresentou traços estéticos precisos de simetria e perfeição.

Após o processo de conquista do Império Romano sobre a Grécia Antiga, em 168 a. C, período chamado de greco-romano, os romanos copiaram o modo de arte dos gregos mais voltado para o ideal estético de beleza.

Arquitetura Romana

A arquitetura romana apresentou muita expressividade. Nas inúmeras construções arquitetônicas os romanos utilizaram-se dos arcos e da abóbada, herdadas da arte etrusca. Em muitas estruturas foram priorizados os espaços internos ao invés das colunas gregas.

A funcionalidade e a praticidade foram as características desenvolvidas pelos romanos, que tornou a arte desse povo um modelo de criação artística própria. As moradias tinham formato triangular oriundas da influência grega.

Os templos tinham grandes escadarias e as laterais eram opostas simetricamente da porta dianteira. Destaca-se ainda o espaço interior dos templos, como o de Panteão construído no período do Imperador Adriano.

As construções arquitetônicas caracterizam-se de acordo com suas funções. Veja:

  • Religiosa: as construções dos templos eram para o culto das divindades, acender incensos, oferecer oferendas e libações. Além do Templo de Panteão pode-se citar os de Júpiter Stater, o de Saturno, o da Concórdia e o de César;
  • Comercial e cívica: as construções das basílicas eram para atividades comerciais e atos jurídicos. As basílicas eram retangular, com quatro a cinco mil metros quadrados, e dividiam-se em colunatas;
  • Higiene coletiva: as construções chamadas de “termas” eram destinadas para os banhos públicos. São exemplos de termas: o ginásio, a piscina, os pórticos e os jardins. As termas do Imperador Caracalla foram construídas em 215 d.C, e eram consideradas espaços sociais de Roma; 
  • Aquedutos: no Império Romano foram construídas estradas, aquedutos, muralhas e sistemas para captar águas de efluentes. Essa construções demostraram a grandiosidade da civilização da Roma Antiga;
  • Atividades circenses: os circos eram construções voltadas para o divertimento do público. O mais famoso circo de Roma foi o “Circus Maximus”. O público apreciava os jogos circenses, as corridas de cavalos, os jogos de troia e os jogos de escravos;
  • Teatro romano: os teatros eram construções de madeira e com arquibancadas a céu aberto. Os acessórios dos teatros romanos eram mais aperfeiçoados, embora os desenhos fossem baseados no teatro grego. Os gêneros teatrais eram as tragédias e as comédias;
  • Anfiteatro: esses espaços eram para apreciação das lutas dos gladiadores, que poderia ser vista de qualquer ângulo da arquibancada. O anfiteatro Coliseu, construído em 72 d. C, comportava cerca de 50 mil a 80 mil espectadores e possuía ornamentações esculturais no interior dos arcos;
  • Arcos triunfais: construções realizadas em homenagem aos imperadores e generais vencedores. A conquista do território de Jerusalém favoreceu a construção de mármore do arco de Tito, no Fórum de Roma, a mando do Imperador Domiciliano;
  • Coluna de triunfo: essas construções tinham decorações de esculturas e dedicatórias. Elas além de homenagear imperadores que venciam as guerras, eram ainda marco de construções ou momentos importantes, como o falecimento de membros de família nobre e a ascensão de novo imperador;
  • Residências romanas: a classe dos patrícios, famílias de maior poder aquisitivo da Roma Antiga, moravam em residências chamadas domus. As domus eram construções dos centros urbanos, com muito luxo e com várias divisões internas. O átrio era a divisão central da domus, onde localizava-se as imagens dos ancestrais (imagines maiorum).
Arquitetura da Arte Romana
O Templo de Panteão destaca-se pela beleza arquitetônica. (Foto: Pixabay)

Pintura Romana

A pintura romana apresentou as temáticas dos acontecimentos do dia a dia e das histórias lendárias, das efígies, dentre outras. Ela foi representada em muros, chamados de afrescos e nos mosaicos do Império.

Na cidade de Pompeia os pintores romanos retrataram cenas do cotidianos e de figuras mitológicas. O material dos artistas eram tintas de composição natural, metais em pó, pó de madeira, seivas de árvores e vidros pulverizados.

Escultura romana

A escultura romana apresentou como principal elemento diferenciador o caráter realista. Pois, as esculturas eram cópias fidedignas das personalidades que representavam. Nesse aspecto os romanos não imitaram o ideal de belo dos gregos. O trabalho dos escultores eram reproduções fiéis, que tiveram maior expressividade nos retratos e nas estátuas.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

ARAÚJO, Andréa. Arte Romana; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/arte-romana >. Acesso em 18 de outubro de 2019 às 15:40.

Copiar referência

Outros Artigos de Artes

Monumento à Terceira Internacional.

Construtivismo nas artes

O construtivismo nas artes está relacionado com o movimento artístico […]

A Commedia dell’arte fazia a utilização do humor e críticas à sociedade em palcos improvisados.

Commedia Dell’Arte

A Commedia Dell’Arte iniciou-se a partir do início do século […]

Circo armado

Circo

O circo é o lugar onde acontecem expressões artísticas que […]

características das cores matiz

Características das Cores

As características das cores podem ser descritas como matiz, tonalidade […]