Bandeira dos Estados Unidos

Símbolo da nação estadunidense

A bandeira dos Estados Unidos é o principal símbolo de representação da nação americana. Ela também é conhecida pelas seguintes expressões: “The Stars and Stripes”, que em português significa “as estrelas e as faixas”, ou “Old Glory”, que quer dizer “glória antiga”.

A segunda classificação, inclusive, foi bastante popular na época em que a bandeira possuía apenas 48 estrelas, entre os anos de 1912 a 1959. Mas, para compreender melhor a origem da bandeira dos Estados Unidos é necessário conhecer um pouco sobre a história da independência do país.

Independência dos Estados Unidos

Antes de se tornar uma nação independente, as 13 colônias que formavam os Estados Unidos eram controladas por uma única metrópole: a Inglaterra. No início do século XVIII, os ingleses usavam as colônias com a finalidade de obter lucros oriundos de recursos minerais e vegetais.

A posse das colônias foi decidida em um conflito entre a França e a Inglaterra, que durou cerca de sete anos (1756 a 1763), logo, foi chamado de Guerra dos Sete Anos. Todas as colônias do país encontravam-se localizadas na Costa Leste, entretanto, havia uma grande diferença entre as do norte e as do sul.

A principal disparidade estava na economia. Enquanto a economia das colônias do norte era baseada na pequena propriedade, com produção manufatureira voltada para o mercado interno, as do sul tinham a produção direcionada para o mercado externo (Inglaterra)e com base na mão de obra escrava.

Naquela época, isso representava a grande dependência econômica que o sul tinha da metrópole, enquanto que as colônias do norte mostravam-se mais independentes, pois possuíam as suas próprias reivindicações.

A Inglaterra venceu a França e com a vitória impôs uma série de medidas que dificultou ainda mais a vida econômica das colônias. Os critérios foram os seguintes: a implantação da Lei do Chá, onde houve a criação do monopólio do chá para uma companhia inglesa.

Além dela, o aumento de impostos sobre as colônias, como uma alternativa de arcar com os custos da guerra; a Lei do Selo, criação de um imposto sobre a circulação de mercadorias da colônia, e a Lei do Açúcar, desenvolvimento do monopólio do açúcar para as Antilhas Inglesas.

Essa política de impostos, portanto, não agradou os produtores das colônias, sobretudo, os que faziam parte do norte, que atendiam o mercado interno. Isso fez com que eles se organizassem em dois movimentos, que futuramente resultaria na Independência dos Estados Unidos.

O primeiro deles foi o Congresso da Filadélfia (1774), no qual os produtores pediam a Inglaterra mais liberdade econômica e política para as colônias. A tentativa, no entanto, falhou e a Inglaterra continuou criando impostos, além de aumentar os já existentes.

Diante da recusa, os produtores redigiram a Declaração de Independência dos Estados Unidos, em 1776. O  documento sugeria um novo país, livre dos domínios ingleses. Mas, como também não obteve sucesso, as colônias então iniciaram uma guerra pela libertação.

Com o apoio da França e Espanha, os americanos conseguiram vencer a Inglaterra. Assim, o dia da Independência foi comemorado em 4 de julho de 1776.

Origem da bandeira dos Estados Unidos

No início, a bandeira dos Estados Unidos era chamada de “bandeira da união”. Ela foi produzida pelas mãos de uma costureira da Pensilvânia, chamada de Besty Ross. Ela a confeccionou sob encomenda do primeiro presidente dos Estados Unidos: George Washington.

Em meio às guerras contra os ingleses, as quais o presidente Washington liderou as tropas americanas, precisava-se de uma bandeira que representasse a união de todos os soldados. O presidente, então, pediu a costureira que a produzisse seguindo um modelo feito por ele.

A bandeira dos Estados Unidos é o símbolo do país.
Atual bandeira dos Estados Unidos. (Foto: Pexels)

O modelo, no entanto, ainda guardava o símbolo da bandeira do seu colonizador, o Reino Unido. Por conta disso, a costureira resolveu fazer a substituição pelas estrelas. Essa história foi espalhada por Betty aos seus descendentes, uma vez que foi a responsável pela produção do desenho que deu origem ao símbolo.

Antes disso acontecer, a bandeira dos Estados Unidos já havia passado por cerca de 26 modificações no decorrer da história. A última, que resultou na configuração atual com 50 estrelas, apenas foi considerada oficial em 14 de junho de 1977, quando foi aprovada pelo Congresso Nacional Americano.

A escolha da bandeira dos Estados unidos coincidiu também com o momento em que o Havaí aderiu à União.

Elementos

A bandeira dos Estados Unidos é composta pelas seguintes cores: branco, vermelho e azul. De acordo com a heráldica, ciência que estuda os brasões, o branco representa a pureza e a inocência; o azul, a justiça e a perseverança; e o vermelho, o valor e a resistência do povo americano.

As listras horizontais em vermelho e branco simbolizam as 13 colônias inglesas que lutaram contra a Inglaterra e deram origem à nação, enquanto que as estrelas azuis os 50 estados do país.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

MENDONÇA, Camila. Bandeira dos Estados Unidos; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/bandeira-dos-estados-unidos >. Acesso em 29 de outubro de 2019 às 09:15.

Copiar referência

Outros Artigos de Geografia

As Cataratas do Iguaçu é uma das mais exuberantes belezas naturais da bacia Platina.

Bacia Platina

A Bacia Platina, também chamada de bacia do rio da […]

A bandeira do Chile representa o país internacionalmente.

Bandeira do Chile

A Bandeira do Chile possui duas listras de igual tamanho, […]

Bacia Hidrográfica do Atlântico Leste

A Bacia Hidrográfica do Atlântico Leste está entre as doze […]

A folha de bordo compõe a bandeira do Canadá.

Bandeira do Canadá

A Bandeira do Canadá é formada por uma tribanda de […]