Belle Epoque

Época de paz e progresso tecnocientífico na Europa

A Belle Epoque, cujo o nome  pertence ao idioma francês e significa “bela época”, foi um período de muito desenvolvimento cultural e tecnocientífico no Ocidente, principalmente nos países da Europa, entre os anos de 1871 a 1914.

Os governantes desses países adotaram  políticas de estabilidade e desenvolvimento econômico que possibilitaram  uma vida material mais próspera e cheia de esperança para a população.

Essa fase ocorreu logo após o intenso combate bélico entre a França e a Prússia na chamada Guerra Franco-Prussiana (1870- 1871).

Os reino francês saiu derrotado e com extrema insatisfação devido ao pagamento indenizatório de 500 milhões de francos, além da entrega obrigatória dos territórios de Alsácia-Lorena para o reino prussiano.

Posteriormente, a Prússia logrou êxito na adesão aos territórios germânicos no processo da unificação alemã.

Entretanto, essa derrota do governo francês não impediu que o país se tornasse um centro global da Belle Epoque. A população francesa  presenciou de perto o clima de progresso e de invenções tecnológicas criadas no país com o advento da Segunda Revolução Industrial (1850 e 1870).

Um dos principais destaques da Belle Epoque foi o desenvolvimento dos meios de comunicação de massa e dos meios de transporte, que minimizaram as distâncias entre pessoas de várias cidades do mundo.

Belle Epoque e a cultura cosmopolita

O progresso da Belle Epoque aliou tecnologia e ciência. Na realidade, o continente europeu colheu os frutos desse progresso graças a economia mecanizada oriunda da Revolução Industrial, que ocorreu na Inglaterra no século XVIII.

A partir desse período iniciou-se o aperfeiçoamento das técnicas de produção, aliada ao desenvolvimento tecnológico. Além disso, houve a expansão do capitalismo e crescimento das relações comerciais.

Anos depois, especificamente no século XIX, esses avanços alcançaram outras potências europeias, como a Alemanha, França, Rússia e a Itália. Então, começaram a surgir invenções tecnológicas que favoreceram uma cultura cosmopolita.

Em 1876, o cientista Alexander Graham Bell foi o responsável pela invenção do telefone. As ligações telefônicas dinamizaram a comunicação entre as pessoas.

No âmbito do divertimento surgiram o gramofone e o fonógrafo, possibilitando a reprodução sonora gravada em disco. Esses aparelhos foram o início do registro musical no mundo.

As cidades ficaram mais dinâmicas e urbanizadas graças as locomotivas a vapor e os bondes elétricos que circulavam pelas ruas no lugar das velhas charretes.

Outro fator que tornou-se símbolo da dinamicidade das pessoas nas ruas e do progresso da Belle Epoque foi o lançamento do automóvel Ford T, que revolucionou a indústria automobilística.

O automóvel Ford T era progresso da Belle Epoque
O automóvel Ford T era de fabricação norte-americana. (Foto: Wikipédia)

O transporte aéreo também causou uma euforia na época. Nesse caso, as viagens de avião deu ao mundo ocidental uma nova concepção de velocidade.

O historiador Max Hastings no seu livro “Catástrofe: a Europa vai à guerra” corrobora com a seguinte a firmação acerca dessa época de “ouro” da Belle Epoque:

[…] avanços tecnológicos, sociais e políticos alastravam-se pela Europa e pelos Estados Unidos numa escala nunca vista em qualquer outro período, um piscar de olhos da experiência humana. Einstein anunciou a sua teoria especial da relatividade, Marie Curie isolou o rádio, e Leo Baekeland inventou a baquelita, o primeiro polímero sintético. Telefones, gramofones, veículos motorizados, sessões de cinema e casas com eletricidade tornaram-se lugar-comum entre pessoas abastadas nas sociedades mais ricas. Jornais de circulação em massa adquiriram influência social e poder político sem precedentes.

Belle Epoque e a cultura boêmia de Paris

O estabelecimento da Terceira República Francesa, em 1870, possibilitou uma política econômica de prosperidade, paz entre os estados e otimismo nacional. Ainda por cima, inovações culturais, científicas e tecnológicas que mudaram completamente o cotidiano da população francesa.

 A França tornou-se o principal centro global da Belle Epoque, conforme dito anteriormente. Já a  cidade de Paris virou o centro de referência da cultura boêmia para o mundo, produzindo e exportando  mercadorias culturais para vários continentes.

Em 1895, a capital parisiense foi palco da primeira amostra de cinema no Grand Café. Esse momento foi o pontapé inicial para o desenvolvimento da indústria cinematográfica mundial, a exemplo da produtora de filmes norte-americano Hollywood, que começou a se destacar no início do século XX.

Na década de 1840, o público francês conheceu a divertida dança “cancan”, que articulava altos pontapés, piruetas e passos sincrônicos de lindas bailarinas.

dança “cancan”  na Belle Epoque
As apreciações do cancan era uma das atrações da cultura boêmia parisiense. (Foto: Wikipédia)

As apresentações da dança eram realizadas nos cabarés franceses, sendo um dos mais dos badalados o Moulin Rouge, localizado próximo do bairro Montmartre.

As casas de concerto, teatros, livrarias, cafeterias, praças e parques públicos foram outros espaços que a sociedade francesa vivenciou um grande progresso civilizatório.

O período da Belle Epoque também trouxe um “boom” no campo artístico, já que Paris também foi palco da Exposição Universal (Exposition Universelle) – maior evento artístico-tecnológico do ano de 1900.

A exposição foi um conjunto de amostras abertas ao público e ocorreu em várias localidades da capital francesa.

O estilo artístico do impressionismo despontou nas artes plásticas e música francesa. O pintor francês Monet foi um dos principais da época, destacando-se com o quadro “Impressão: Nascer do Sol”.

Por outro lado, a Belle Epoque recebeu muitas críticas de pesquisadores e cientistas. Entre eles o filósofo alemão e crítico cultural Nietzsche e o psiquiatra austríaco Sigmund Freud.

Freud, por exemplo, acreditava que as gerações futuras poderiam sofrer com as consequências do desenvolvimento industrial frenético dos europeus e também com as disparidades entre as nações.

Art Nouveau

O movimento artístico que revelou-se a “cara” da Belle Epoque foi a Art Nouveau, surgida entre os anos de 1890 a 1920.

A Art Nouveau caracterizou-se pela valorização dos ornamentos, utilização de cores vibrantes e muitas curvas sinuosas baseadas nas formas das plantas, animais e mulheres.

As maiores manifestação desses aspectos artísticos foram concretizados principalmente na arquitetura francesa. Inclusive, muitos fachadas de edifícios, vitrais e cerâmicas ganharam novos aspectos decorativos. Os objetos de decoração, como vasos, joias e mobílias, também viraram foco dos artísticas.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

ARAÚJO, Andréa. Belle Epoque; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/belle-epoque >. Acesso em 22 de janeiro de 2020 às 23:55.

Copiar referência

Outros Artigos de História

Ciclo do Pau-Brasil

O Ciclo do Pau-Brasil foi um período histórico da nação […]

Ciclo do ouro, um dos ciclos importantes do Brasil.

Ciclo do Ouro

O Ciclo do Ouro também era chamado de “ciclo da […]

Um dos ciclos econômicos do Brasil, foi o ciclo do café.

Ciclo do Café

O Ciclo do Café foi a atividade econômica mais importante […]

Ciclo do Algodão no Brasil

O Ciclo do Algodão no Brasil aconteceu entre a segunda […]