Biorremediação

Método natural de recuperar áreas contaminadas

A biorremediação é uma alternativa utilizada para controlar ou remover as contaminações do ambiente. Nesse procedimento, os organismos vivos como plantas, algas, fungos, bactérias e demais microrganismos são utilizados para combater o contágio.

Esse processo é biodegradável. Isso quer dizer que além de cuidar dos elementos que estão contaminando o ecossistema, reduz os impactos causados ao meio ambiente, decompondo-se de maneira natural, diferente dos agentes químicos.

A biorremediação nem sempre é a forma mais barata, mas possui outras vantagens como a biodegrabilidade e baixa toxidade. Os biossurfactantes, por exemplo, são compostos feitos com microrganismos.

Essa substância é produzida a partir da Pseudomonas aeruginosa ou Pseudomonas pyocyanea, uma bactéria gram-negativa que vive no solo.

Nos seres humanos, a bactéria pode atacar o sistema imunológico, mas ela também tem larga aplicação no setor industrial.

A composição é utilizada na biorremediação do solo quando há contaminação por óleo lubrificante ou vazamento acidental de petróleo, e também na composição de produtos farmacêuticos.

Assim como a aeruginosa, outros agentes atuam oxidando as substâncias orgânicas e decompondo a matéria tóxica que foi lançada no meio ambiente. Através dos agentes biorremediadores a decomposição dos rejeitos é mais rápida.

Vazamento no golfo do México.
As bactérias atuam diretamente na degradação de hidrocarbonetos do petróleo. (Foto: Wikipédia)

Aplicações da biorremediação

A biorremediação tem se tornado uma solução cada mais eficiente no combate aos danos causados pela ação humana. Não são poucos os casos de derramamento de petróleo no oceano e vazamento de outras substâncias químicas que afetam o solo e os lençóis freáticos.

A própria decomposição de materiais que são lançados nos esgotos, no mar e lixos são nocivos para o meio ambiente.Em situações desse tipo, recomenda-se o isolamento da área, com o tempo a própria natureza se encarrega de fazer a limpeza do local afetado.

Mas há casos em que o estrago é tão grande que a única opção viável é acelerar o processo de extração desses materiais. Geralmente opta-se pelas substâncias agrotóxicas. O problema é que elas também agridem o meio ambiente.   

Sendo assim, a possibilidade é a biorremediação, porque além de tratar e remover os rejeitos, o processo é natural. O microrganismo age utilizando os próprios elementos do poluente. Ele modifica as moléculas do contaminante e faz a metabolização de tudo que é tóxico.

 

A efetividade do método

Antes de começar o processo de biorremediação, é preciso considerar alguns fatores. Para que o tratamento seja eficaz, tem de se saber:

  • Quais substâncias compõem o resíduo poluente – são biodegradáveis ou não.
  • Qual é o microrganismo ideal para o caso – fator que depende do rejeito.
  • Quais são as condições ideais para realizar o procedimento – calcular a temperatura do ambiente, quais reações químicas podem resultar, o nível de oxigênio.

Atualmente, as bactérias reciclam a maior porcentagem de moléculas no planeta. O metabolismo desses seres é o que mais tem facilidade para a biodegradação.

A biorremediação acontece de duas formas:

  • In situ – o procedimento é realizado no próprio local. Exemplo: oceano.
  • Ex situ – quando o objeto contaminado é levado para uma área de tratamento. Exemplo: um utensílio qualquer, como uma bolsa.

Nem todas as substancias são eliminadas pela biorremediação. O cádmio, o chumbo e os demais metais pesados não conseguem ser absorvidos por completo pelos microrganismos. Nesses casos, a biorremediação apenas ameniza a situação, já que eles são modificados e tornam-se metais menos nocivos.

A biorremediação também pode acontecer de forma passiva e de forma ativa ou bioestimuladora. No jeito passivo, as bactérias, fungos ou enzimas do próprio solo agem naturalmente.

Na forma bioestimuladora, alguns compostos químicos, como os nutrientes, fertilizantes e sulfatos, são lançados na área desejada.  Na presença dessas substâncias, o metabolismo das bactérias ficam mais acelerados e elas conseguem degradar o resíduo de forma mais rápida.

A biorremediação é uma opção sustentável. Quando o método não consegue exterminar os poluentes, age para que os danos sejam mínimos. A técnica é eficaz. Para os países que procuram desenvolver formas mais limpas de resolver os problemas ambientais, a biorremediação é um caminho viável.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Santana, Esther. Biorremediação; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/biorremediacao >. Acesso em 31 de janeiro de 2020 às 09:26.

Copiar referência

Outros Artigos de Biologia

Celoma

O Celoma tem origem do latim “cele” que significa “cavidade”. […]

Cavalo Marinho

O Cavalo Marinho é da espécie do Hippocampus, um gênero […]

Cavalo

O Cavalo é um animal mamífero que pertence a um […]

Caule

O Caule é o órgão que conduz as seivas das […]