Blaise Pascal

Criador da triângulo de Pascal foi matemático e filósofo

Blaise Pascal, também conhecido apenas por Pascal, foi pesquisador, matemático, físico, teólogo e filósofo da França.

Os primeiros trabalhos de Blaise Pascal foram sobre ciências naturais e ciências aplicadas. Sua contribuição foi extremamente importante para os estudos dos fluidos.

Suas pesquisas foram capazes de esclarecer conceitos sobre vazio e pressão, ampliando o trabalho desenvolvido por Torricelli na Equação de Torricelli.

Vida de Blaise Pascal

Blaise Pascal nasceu no dia 19 de junho de 1623, na cidade francesa de Clermont-Ferrand. Ele era filho do professor de matemática Étienne Pascal, que o criou após a morte de sua mãe Antoinette Begon.

Se mostrando um prodígio nos estudos, a família encaminhou Blaise Pascal para Paris, onde iniciou seus estudos na matemática.

Quando Étienne foi transferido para a cidade de Rouen, Blaise o acompanhou e começou suas primeiras pesquisas na área da física.

Como matemático, interessou-se pelo cálculo infinitesimal, quando declarou princípio da recorrência matemática.

Isaac Newton e Leibniz, com o cálculo diferencial e integral, respectivamente, foi inspirado em um tratado publicado por Blaise Pascal, que fala sobre os senos em um quadrante de um círculo, buscando a integração da função seno. Este tratado também se tornaria a base para a construção da matemática moderna.

No ano de 1946 sua família se converte para o Jansenismo, doutrina religiosa inspirada nas ideias de um bispo de Ypres, Cornelius Otto Jansenius. Contudo, com a morte do pai, em 1951, faz sua segunda conversão e abandona as ciências para se dedicar exclusivamente à filosofia e à teologia.

Foi neste período que surgiram as principais contribuições de Blaise Pascal para o campo filosófico, como a obra “Les Provinciales” (1656-1657), formada por 18 cartas escritas para defender o jansenista Antoine Arnauld, e Pensées (publicado postumamente em 1670), no qual formula sua ideia sobre espiritualidade e defende o cristianismo.

Blaise Pascal morreu no dia 19 de agosto de 1662, em Paris. Com uma saúde frágil, ele adoeceu gravemente em 1659. Faleceu 1662, dois meses depois de completar 39 anos.

Seu corpo foi sepultado na Igreja de Saint-Étienne-du-Mont, Ilha de França, em Paris, capital da França.

Foto do matemático Blaise Pascal
Como matemático, Pascal criou a Teoria de Pascal e a Teoria da Probabilidade. (Wikipedia)

Matemático e físico

Como matemático, Blaise Pascal influenciou na matemática moderna utilizada nos dias atuais.

Em 1634, através de seus estudos sobre sons, obteve em um pequeno tratado. Já em 1635 conseguiu deduzir 32 proposições de geometria estabelecidas por Euclides. Em 1640 publica “Essay pour les coniques”, obra que formulou a conhecida fórmula do Teorema de Pascal.

Para chegar a esta pesquisa, ele baseou seus estudos nas ideias de Euclides de Alexandria, considerado um dos mais importantes matemáticos da Grécia Antiga, além de também ser conhecido como o ‘Pai da Geometria’.

Além disso ele contribuiu para a criação de duas novas vertentes da matemática: a Geometria Projetiva e a Teoria das probabilidades.

Na física, estudou a mecânica dos fluidos. Além disso, esclareceu os conceitos de vácuo e pressão, aumentando o trabalho de Evangelista Torricelli.

Também é o autor da Pascaline, uma das primeiras calculadoras mecânicas que já existiu, e dos estudos sobre o método científico.

Na obra "Tratado sobre o Triângulo aritmético", de 1653, Blaise Pascal descreveu uma apresentação tabular adequado para os coeficientes binomiais, agora conhecido como triângulo de Pascal.

Filosofia

Depois de quase morrer em um acidente de carruagem em 1654, Blaise Pascal alegou ter passado por uma experiência mística, decidiu trocar de religião e dedicar-se ao cristianismo, a teologia e a filosofia.

Foi durante este período que escreveu os princípios doutrinários de sua filosofia, focada na contraposição de dois dos elementos do conhecimento considerados como básico: a razão e ao lógico e discursivo.

Uma das frases mais famosas de Blaise Pascal, muito utilizada pela sociedade até os dias atuais, foi utilizada por ele para definir sua doutrina filosófica:

O coração tem razões que a própria razão desconhece.

Crítico do racionalismo, Pascal tinha como principal objeto de pesquisa a compreensão do modo de ser do homem e sua condição no mundo. Em ambos objetos de pesquisa está a oposição entre a natureza divina do espírito e a natureza humana.

Para Blaise Pascal, a razão não seria motivo suficiente para provar que Deus existe, levando em conta que os seres humanos estão limitados somente às aparências.

Assim como na matemática, suas obras filosóficas-religiosas influenciaram diversos escritores e cientistas séculos após sua morte. Pode ser encontrada nos romances do século XVIII, nos escritos de Nietzsche e nos modernistas da igreja católica.

Legado

Blaise Pascal teve seu nome dado para uma unidade SI de pressão, a uma linguagem de programação, para a Lei de Pascal (princípio da hidrostática), ao triângulo de Pascal e para aposta de Pascal, em homenagem às suas contribuições científicas.

Um de seus mais importantes legados para a matemática foi a criação da teoria da probabilidade. Originalmente utilizada para os jogos de azar, hoje a teoria é aplicada, principalmente, na economia.

Blaise Pascal também é considerado extremamente importante na literatura, considerado um dos melhores autores do período clássico francês e como um dos maiores mestres da prosa na França.

Sua obra literária é muito lembrada por conta de sua forte oposição ao racionalismo de René Descartes e da afirmação de que o empirismo também não era suficiente para determinar verdades importantes.

Citações

A justiça sem a força é impotente, a força sem justiça é tirana.

Nada há de bom nesta vida, salvo a esperança de uma outra vida.

Nunca se ama alguém, mas somente as qualidades.

O homem é feito visivelmente para pensar; é toda a sua dignidade e todo o seu mérito; e todo o seu dever é pensar bem.

A consciência é o melhor livro de moral que temos; e é, certamente, o que mais devemos consultar.

Não tenho vergonha de mudar de ideia, porque não tenho vergonha de pensar.

O Homem não é o único animal que pensa. Entretanto é o único que pensa que não é animal.

Ninguém é tão sábio que não tenha algo pra aprender e nem tão tolo que não tenha algo pra ensinar.

A nossa natureza é o movimento; o completo repouso é a morte.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Luiz, Victor. Blaise Pascal; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/blaise-pascal >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 15:50.

Copiar referência