Buda

Líder espiritual responsável pelos ideais do Budismo

Buda foi o nome designado ao líder espiritual fundador do budismo, Siddhartha Gautama, que viveu na Índia, responsável pelos principais ideais praticados pelos budistas.  

Essa atribuição do nome foi-lhe garantida por ser um homem com vasto conhecimento, sabedoria e um disseminador da bondade e paz. Os adeptos do Budismo o consideram “Supremo Buda”.

Siddartha Gautama, o Buda, nasceu em Lumbini, por volta de 563 a.C, mas foi criado em um pequeno distrito chamado de Kapilavastu, localizado em uma região de montanhas da Índia, que atualmente pertence ao território do Nepal.

ilustração da imagem do Buda
O Buda é a representação da evolução espiritual para os adeptos do Budismo. (Foto: Pixnio)

Filho de Sudoana, chefe de uma oligarquia tribal, tornou-se órfão de mãe logo após o seu nascimento, com apenas sete dias de vida, sendo criado pelo pai e por uma tia.

Com uma educação fundamentada em métodos requintados e preparação para que se tornasse guerreiro e líder político, chamado naquele período de Sakia Múni, que significa “o sábio da Sakia”.

Nos dias atuais, o aniversário de nascimento de Siddartha Gautama é comemorado na região da Ásia Norte no dia 8 de abril.

Biografia de Buda

Na época do seu nascimento, a população da Índia vivia momentos de crise e extrema pobreza.

A densidade populacional era marcante e numerosa, associada a condição econômica de miséria e escassez de alimentos, além da desigual distribuição de renda.

Contrário a essa precariedade social, Buda era um jovem rico e bem casado, com uma estrutura familiar bem estabelecida.

Distante da estrutura mísera da maior parte dos habitantes, Buda tinha todos os requisitos para ser um jovem satisfeito e viver de forma cômoda, entretanto, tinha uma forte tendência para a meditação e constante insatisfação em aceitar a realidade difícil à sua volta.

Nesse período, demonstrava profundo interesse pela filosofia e conhecimento da religião. Até os 29 anos vivia protegido e sem perceber as mazelas que afetavam as pessoas em seu redor.

Em um determinado momento, dando um passeio pela cidade, foi confrontado pela realidade social do seu país, em detrimento do luxo e beleza dos ambientes que frequentava. Ao perceber a velhice, pobreza, doenças e miséria ficou  tomado por um sentimento de indignação.

Essa perplexidade chegou ao ponto em que raspou a cabeça em sinal de humildade, trocou as roupas de luxo por trajes simples, semelhantes aos tecidos utilizados pelos monges, além do afastamento da família e da moradia suntuosa do palácio.

Buda também rejeitou os bens acumulados, a riqueza e o passado em busca do que considerou “verdades superiores”.

–> O vídeo abaixo ilustra a história do Buda, desde o seu nascimento até  morte. Confira os principais ideais de vida desse líder religioso.

Ainda precoce no ambiente religioso, passou a viver com outros adeptos da nova forma de vida, fazendo constantes orações e intermináveis jejuns. Entretanto, com fome não conseguia produzir nada de novo, então decidiu voltar a comer.

Dessa fase até os seis anos subsequentes viveu isolado, realizando meditações embaixo de um pé de figueira que os hindus chamam de “bodhi” e fazem venerações considerando-a como árvore sagrada.

Em um determinado momento de meditação, estando sentado embaixo de uma árvore, teve visões de um demônio da paixão, denominado de Mara, que em alguns momentos lhe atacava com chuva outros com raios, além de lhe oferecer vantagens para retirar seu propósito de evolução espiritual.

Passados 49 dias o demônio precisou se conformar com a derrota, deixando-o permanecer em sua missão. Firme na pretensão de desenvolver-se, ocorreu então o despertar espiritual que o jovem buscava.

Iluminado por um novo entendimento sobre as verdades superiores, Buda seguiu para a cidade de Benares com a finalidade de anunciar a todos o que havia acontecido.

Aos poucos foi adquirindo seguidores que reverenciaram sua iluminação, passando a tratá-lo por “Buda”.

Durante quase meio século, mais precisamente durante 45 anos em que pregou sua doutrina por todas as regiões da Índia, Gautama mencionou sempre as Quatro Verdades e as Oito Trilhas, ainda sintetizando a ideia que propagou durante toda a sua vida – A Regra de Ouro:

Tudo o que somos é resultado do que pensamos.

Durante sua atuação, Buda sempre afirmou que não era um Deus, mas tinha o objetivo de demonstrar o caminho em busca da salvação do espírito para alcançar o Dharma – processo de evolução em busca da plena realização espiritual.

Citações

Um falso amigo é mais temível que um animal selvagem; o animal pode ferir o seu corpo, mas um falso amigo irá ferir sua alma.

Tudo o que somos é resultado do que pensamos.

Três coisas não podem ser escondidas por muito tempo: o sol, a lua e a verdade.

Existem três classes de pessoas que são infelizes: a que não sabe e não pergunta, a que sabe e não ensina e a que ensina e não faz.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Neves, Juliete. Buda; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/buda >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 20:12.

Copiar referência