Capitalismo financeiro

Subtipo do capitalismo tem influência do liberalismo

O capitalismo financeiro, também conhecido como capitalismo monopolista, é um tipo de economia em que os bancos comerciais e as instituições financeiras têm o comando da indústria e do comércio através da submissão dos produtores e da mão-de-obra.

O modelo de capitalismo financeiro começou entre o final do século XIX e seguiu como base econômica mundial até a crise de 29. Ele é fruto da revolução dos transportes e está relacionado com o crescimento econômico do período da Revolução Industrial.

De modo geral, esse tipo de organização econômica tem influência do liberalismo, marcado pela busca por maior desvinculação das ações estatais sobre a economia.

Capitalismo financeiro e economia

Com o avanço da tecnologia, novos meios de comunicação, novas fontes de energia e melhores meios de locomoção apareceram. O resultado desse cenário foi o crescimento de diferentes negócios. A combinação dos fatores fez nascer uma sociedade mais urbana.

Logo, diante de um ambiente urbano onde eram encontrados os trabalhadores e as grandes empresas, os bancos passaram a controlar toda a vida financeira da sociedade, cabendo aos industriais ocuparem posições próximas ou parecidas com as de um diretor assalariado.

A realidade torna possível o estabelecimento dos princípios básicos do capitalismo financeiro:

  • Formação de reservas de capitais;
  • Responsabilidade econômica;
  • Diferenciação entre propriedade particular e patrimônio.

O papel de um determinado banco de participar de forma aguda na atividade econômica, seja através de empréstimos de dinheiro para uma empresa ou investimento direto, justifica a colocação do “financeiro” na nomenclatura desse modelo.

Como consequência do crescimento acelerado da economia do capitalismo financeiro, nasce o processo de concentração e centralização de capitais. É por isso que o período é marcado pela prática do monopólio, em que uma única empresa domina o mercado, e do oligopólio, quando ocorre união de empresas para controlar os preços e a matéria-prima.

Vale pontuar que as empresas monopolistas têm como objetivo a busca por matérias-prima e mão-de-obra barata, visando maior lucro e expansão da atuação no mercado internacional.

Características econômicas

Com é possível observar, o capitalismo financeiro mantém o domínio da economia por bancos comerciais e instituições financeiras, por isso a existência de instrumentos como as bolsas de valores,trustes, holdings e cartéis.

Mas o que são trustes, holdings e cartéis? No primeiro caso, é chamada de truste a fusão de grupos oligopólios para controlar todas as etapas da produção, incluindo a distribuição das mercadorias.

O cenário em que existe o controle da oferta de certos produtos ou serviços por uma instituição é chamado de holding, circunstância que faz determinadas empresas serem chamadas de holdings.

Conectado com as trustes e as holdings, nascem os cartéis. Eles surgem para coordenar a atuação das empresas no mercado consumidor com o objetivo de reduzir a concorrência e conseguir questões como a determinação de uma faixa de preço para a mercadoria.

Em outras palavras, os traços desse modelo está presente na economia no Brasil até os dias de hoje, assim como na economia mundial. Como outras características, vale destacar:

  • Integração do capital industrial ao bancário;
  • Busca por lucros expressivos no mercado financeiro;
  • Fortalecimento do sistema de empréstimos e financiamentos para a aquisição de bens;
  • Surgimento de empresas multinacionais;
  • Aumento da especulação financeira no mercado;
  • Fortalecimento das bolsas de valores.
Imagem de uma casa formada por notas e moedas de dinheiro
Capitalismo financeiro tem como característica o fortalecimento de empréstimos para a aquisição de bens. (Foto: Pexels)

Os princípios do capitalismo financeiro são adotados por diferentes economias ao redor do mundo. Entre os principais exemplos de países capitalistas, na observação da produção industrial e do comércio internacional, estão os Estados Unidos, Japão, Canadá, Austrália e Israel.

Crise do modelo

O capitalismo financeiro enfrentou diferentes crises. A maior e principal foi em 1929 com a quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque. Ela foi fruto da desvalorização das ações das empresas norte-americanas, fato que fez muitas empresas falirem e arrastarem a crise financeira pelos países capitalistas de todo o mundo. Foi um efeito dominó.

Mesmo considerando os momentos de crise, é visível que o capitalismo financeiro movimenta as engrenagens da economia e mantém o capital acumulado em determinados setores.

O processo de atuação desse modelo com a indústria e o comércio deixou o setor financeiro no centro da economia, realidade que segue até os dias atuais. Em suma, é o capitalismo que avançou o processo de “financeirização” da economia.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Conceição, Thiago. Capitalismo financeiro; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/capitalismo-financeiro >. Acesso em 30 de janeiro de 2020 às 21:30.

Copiar referência

Outros Artigos de Matemática

O sistema da Blockchain possibilita o uso de Bitcoins no mundo todo.

Bitcoin

Bitcoin é uma criptomoeda utilizada em transações financeiras virtuais sem […]

Engenho de açúcar

Sistema Plantation

Sistema plantation é um sistema descendente do período colonial europeu […]

Colheita de plantação

Sistemas agrícolas

Os sistemas agrícolas formam o conjunto de atividades técnicas, econômicas […]

Setores da economia

Os setores da economia existem para medir o desenvolvimento econômico […]