Catira

Dança do folclore brasileiro

Catira é um estilo de dança do folclore brasileiro associada ao universo sertanejo. A coreografia deste ritmo de dança coletiva é marcada pela batida dos pés e das mãos. Também pode ser chamada de cateretê.

Com origem africana, europeia, espanhola, portuguesa e indígena, essa manifestação cultural é mais encontrada na Região Sudeste e Região Centro-Oeste do Brasil, principalmente nas cidades interioranas.

Geralmente é formada por seis a dez dançarinos e mais uma dupla de violeiros. É comum que os grupos de catiras sejam formados apenas por homens que são chamados de catireiros.

A tradição do ritmo foi celebrada pela primeira vez no ano de 2010 no Primeiro Festival Nacional de Catira, que foi realizado em Uberlândia – Minas Gerais com o intuito de divulgar e solenizar a dança.

Qual a origem da Dança Catira?

Muito se discute acerca do surgimento da catira. Estudiosos defendem que o ritmo é de origem híbrida, ou seja, é formado por influências de diferentes etnias, podendo ser africana, espanhola, portuguesa e europeia. Segundo alguns historiadores, a prática da dança já era feita entre os índios brasileiros.

Alguns autores contam que a origem dos passos segue o padrão de batidas de mãos e pés dos dançarinos da época dos peões dos Bandeirantes. Outros defendem que a origem portuguesa existe devido a presença da viola, que foi criada em Portugal e trazida para o Brasil pelos jesuítas.

Acredita-se que essa dança era conhecida desde os tempos do Brasil Colônia e que o Padre José de Anchieta teve papel importante na propagação do ritmo, tornando-o parte do rito das festas de São Gonçalo, de Nossa Senhora da Conceição e de São João, além de também ter escrito alguns versos para fazerem parte do rito.

Características Principais

Os passos da catira são embalados, geralmente, por uma dupla de violeiros posicionados virados para os dançarinos ou frente a frente, que tocam a moda de viola com uma viola caipira, intercalando com uma música com acordes rítmicos específicos chamados de “Rasqueado”.

Os dançarinos ou catireiros formam o ritmo da dança a medida que vão marcando a música com a batida das mãos e dos pés durante o rasqueado, intercalando com pulos. Quando os violeiros começam a entoar a moda de viola, os dançarinos podem descansar até o próximo acordo do ritmo.

Para começar a dança, forma-se duas fileiras, uma em frente da outra, com 5 dançarinos em cada uma. Logo no início os catireiros executam o passo “Escova” que consiste em dar seis pulos batendo as mãos e os pés.

Ao decorrer da dança, eles ainda reproduzem mais outros quatros passos específicos. São eles: movimento serra acima, serra baixo, recortado e levante. Confira abaixo a definição de cada um deles:

  • Movimento serra acima: consiste em dar voltas seguindo da esquerda para a direita, alternando com as batidas das mãos e dos pés;
  • Movimento serra abaixo: consiste em dar uma volta completa no espaço, seguir parar trás fazendo movimentos da esquerda para a direita, alternando com as batidas das mãos e dos pés;
  • Movimento recortado: consiste em mudar constantemente de fileira e posição para dinamizar o espetáculo;
  • Movimento levante: momento em que todos cantam juntos com os violeiros, fazendo uma espécie de grande coro.

Como na maioria das vezes a dança catira é formada por dançarinos homens, a vestimenta do ritmo é basicamente uma calça, uma camisa, um chapéu, um lenço amarrado na cintura ou no pescoço e uma bota curta especial que possa reproduzir os sons das batidas. Quando as mulheres participam, usam a mesma vestimenta.

Apesar dessas características, a catira sofre algumas alterações a depender da região em que está sendo executada. De modo geral é uma dança simples, porém detalhada. Carrega semelhanças com outros estilos de dança do Sudeste e Centro-Oeste do país, como por exemplo o racha-pé e bate-pé, e estilos internacionais como sapateado e fandango.

Viola caipira usada na catira
A viola usada na catira é antiga e é definida como “viola caipira”. (Foto: Wikipedia)

Outras Danças Folclóricas

As danças folclóricas brasileiras representam a cultura viva e ampla do país. Cada uma traz uma tradição específica de uma região, uma homenagem, comemoração ou ritual. Algumas também são parte da comemoração de datas religiosas.

Confira abaixo algumas das principais danças do folclore brasileiro, seus significados e características principais:

Bumba Meu Boi

Típico da Região Norte e Nordeste do país, o bumba meu boi é uma das danças mais conhecidas do folclore brasileiro. Assim como a catira, tem múltiplas origens, entre elas a espanhola, portuguesa, africana, por exemplo.

A dança é marcada por uma espécie de apresentação teatral, em que se conta a história da ressurreição e morte de um boi. Durante o cortejo, existe a presença de figuras humanas e de animais, sendo, obviamente, a figura do boi a principal entre elas.

É marcada pela forte ligação com a cultura brasileira e pelas cores vibrantes e alegres. No ano de 2012 foi incluído na lista de Patrimônio Cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

O Frevo

Com origem no estado de Pernambuco, o frevo é uma expressão artística de dança e música surgida no final do século XIX. Caracterizado pelo guarda-chuva colorido e pelas cores vibrantes, a dança é conhecida por ser eletrizante e animada.

Em 2012 foi declarado Patrimônio Imaterial da Humanidade pela UNESCO, com o título “Frevo: Arte do Espetáculo do Carnaval do Recife”. Na década de 30 passou a ser divido em três tipos: o frevo de bloco, frevo canção e frevo de rua.

Entre as canções mais conhecidas estão “A Marcha da Vassourinha”, “Frevo Mulher” e “Roda e Avisa”. O ritmo revelou grandes representantes da música brasileira como: Alceu Valença, Nelson Ferreira e Capiba.

O Samba de Roda

Com origem no século XIX, na Bahia, o samba de roda é um gênero musical e de dança ligada a capoeira e ao culto de celebração aos orixás. Esse ritmo é originário do Samba que surgiu no Rio de Janeiro, com influência africana.

Foi registrado como Patrimônio Imaterial da Humanidade pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) no ano de 2005. A dança é marcada por homens e mulheres dentro de uma roda, geralmente vestidos de branco, marcando a música com palmas.

A música é tocada por chocalhos, violão, viola, atabaque, com o destaque para o pandeiro. Entre os principais cantores estão: Mariene de Castro, Edith de Prato, Beth Carvalho, Cartola, Pixinguinha, Noel Rosa, Nelson Cavaquinho, entre outros.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Maria Azevedo, Amanda. Catira; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/catira >. Acesso em 19 de novembro de 2019 às 02:58.

Copiar referência

Outros Artigos de Artes

Monumento à Terceira Internacional.

Construtivismo nas artes

O construtivismo nas artes está relacionado com o movimento artístico […]

A Commedia dell’arte fazia a utilização do humor e críticas à sociedade em palcos improvisados.

Commedia Dell’Arte

A Commedia Dell’Arte iniciou-se a partir do início do século […]

Circo armado

Circo

O circo é o lugar onde acontecem expressões artísticas que […]

características das cores matiz

Características das Cores

As características das cores podem ser descritas como matiz, tonalidade […]