Cavalo Marinho

Um gênero de peixe ósseo

O Cavalo Marinho é da espécie do Hippocampus, um gênero de peixes ósseos, que pertence à família Syngnathidae e costumam habitar em águas marinhas temperadas e tropicais.

O cavalo marinho tem como principal característica, a cabeça alongada, com filamentos que recordam a crina de um cavalo. Esses animais apresentam ainda o mimetismo, que é a presença, através de alguns organismos nomeados mímicos, com características que podem confundi-los com outro grupo de organismos.

O mimetismo desse animal é parecido com o camaleão, que pode mudar de cor e mover os olhos independente um do outro. Eles nadam com o corpo na vertical e se movimentam muito rápido as barbatanas.

Cavalo marinho é um peixe ósseo.
O Brasil é um dos maiores exportadores mundiais de Hippocampus. (Foto: Pixabay)

Características do Cavalo Marinho

O cavalo marinho tem algumas espécies que podem ser confundidas com plantas marinhas, com corais ou com anêmonas marinhas. Costuma medir entre 15 e 18 centímetros, mas também podem medir cerca de 13 a 30 centímetros. A depender da espécie, o peso fica em torno de aproximadamente 50 e 100 gramas.

O animal vive em águas de regiões que possuem o clima temperado e tropical. Todas as espécies de cavalos marinhos estão em perigo de extinção e as causas mais sérias são a destruição do habitat natural e a pesca predatória.

A captura frequente desses animais para uso como peças de decoração ou somente para serem criados em aquários, também são motivos deles estarem em risco de extinção. No Brasil existem duas espécies desse animal: Hippocampus Erectus e Hippocampus Reidi.

As espécies desse gênero animal são carnívoras e costumam se alimentar de pequenos crustáceos, moluscos, vermes e plâncton. O alimento é sugado por meio da boca tubular que o animal possui.

O animal não tem o hábito de ir em busca do alimento, ele come aquilo que estiver passando por ele. Sua cauda é longa e preênsil, que possibilita que ele consiga se agarrar nas plantas submarinas enquanto estão se alimentando.

O hipocampo era criatura da mitologia grega e fenícia conhecidos como séquitos de Poseidon. Eles tinham as partes superiores dos corpos idênticas a de um cavalo, com crina membranosa, guelras e membranas interdigitais nos cascos fictícios. As suas partes inferiores eram de um peixe ou golfinho e por esse motivo, era chamado de cavalo marinho.

O Habitat

As espécies de cavalo marinho são encontradas nas águas rasas, tropicais e temperadas de todo o planeta Terra. Elas escolhem viver nas áreas abrigadas, a exemplo de: algas marinhas, estuários, mangues ou recife de corais.

Nas águas do Oceano Pacífico, da América do Norte à América do Sul, existem cerca de quatro espécies. No Oceano Atlântico é encontrado o Hippocampus Erectus, que tem uma variação daquele encontrado na Nova Escócia – província do Canadá para o que é encontrado no Uruguai.

O Hippocampus Zosterae, também conhecido como cavalo marinho anão, é encontrado nas BahamasCaribe. Muitas colônias desses animais foram encontradas em águas europeias, a exemplo do estuário do rio TamisaInglaterra.

No Mar Mediterrâneo vivem três espécies diferentes, são elas: Hippocampus Guttulatus, o cavalo marinho de focinho longo; o animal de focinho curto e Hippocampus Fuscus, o pônei do mar. Nessas regiões, os machos costumam ficar dentro de um metro quadrado em seu território, sendo que as fêmeas costumam variar em aproximadamente cem vezes mais o espaço.

No Brasil existem duas espécies de cavalo marinho.
O Hippocampus pode mudar de cor e se camuflar. (Foto: Pixabay)

A Reprodução

A reprodução do cavalo marinho normalmente acontece na estação da primavera. Para se reproduzir, a fêmea do animal dá preferência para aquele macho que tem o maior tamanho corporal e que tenha mais adornos pelo seu corpo. Nessa espécie, é o macho que passa pelo período de gestação dos filhotes.

No caso dos machos, para conseguirem conquistar uma fêmea para se reproduzirem, têm a necessidade de atrair ela realizando a dança do acasalamento. A fase inicial da reprodução se dá quando a fêmea transfere os ovos de sua bolsa incubadora para a bolsa incubadora do macho, no ato da cópula ou do acasalamento.

Quando os ovos já estão depositados na bolsa incubadora do macho, que fica localizada na base da cauda do animal, são fertilizados pelo esperma ou sêmen como é popularmente conhecido, que o macho libera dentro da bolsa.

A gestação dessa espécie tem a duração de dois meses e após esse tempo, os ovos se rompem e o macho executa intensas contorções para expelir os filhotes de dentro da bolsa incubadora. Quando os filhotes nascem, são transparentes e medem menos do que um centímetro, com certas variações de tamanho a depender da espécie.

Imediatamente, os filhotes sobem para a superfície para encherem as suas bexigas natatórias (vesícula gasosa) de ar, essa prática é necessária para que eles consigam manter o equilíbrio na água enquanto nadam.

Os filhotes de cavalo marinho se tornam completamente independentes dos pais logo após o nascimento, mesmo sendo totalmente frágeis. Normalmente, um macho gera cerca de 100 a 500 filhotes por gestação, a depender da espécie. Em geral, aproximadamente 97% dos filhotes são mortos por seus predadores naturais, que habitualmente, são os peixes maiores.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Macedo, Márcia. Cavalo Marinho; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/cavalo-marinho >. Acesso em 23 de janeiro de 2020 às 18:35.

Copiar referência

Outros Artigos de Biologia

Celoma

O Celoma tem origem do latim “cele” que significa “cavidade”. […]

Cavalo

O Cavalo é um animal mamífero que pertence a um […]

Caule

O Caule é o órgão que conduz as seivas das […]

Catalase

A Catalase é uma enzima intracelular que normalmente é detectada […]