Celoma

Uma cavidade envolvida pela mesoderme

O Celoma tem origem do latim “cele” que significa “cavidade”. Trata-se de uma cavidade embrionária que é completada por um fluido celômico e coberta pela mesoderme, que é um folheto embrionário formado na terceira semana de gestação.

A cavidade embrionária precisa ser coberta totalmente pelo mesoderme, para que seja considerada como um verdadeiro celoma. No indivíduo adulto, o celoma vai formar a cavidade abdominal e torácica revestida por um tecido seroso, que pode ser a pleura, o pericárdio e o peritônio. Essas cavidades armazenam vários órgãos do animal, nomeado de celomado.

O celoma cavidade corporal totalmente revestida por mesoderme.
Estrutura de um embrião vertebrado. (Foto: Wikipédia)

O Desenvolvimento do Celoma

A formação do celoma começa no estágio de gastrulação da evolução, que está ligado com a migração das células mesodérmicas, além de ser dominada molecularmente pela expressividade de genes diferenciados.

No processo de gastrulação, nos animais triploblásticos existem três camadas germinativas, que são a ectoderme, a endoderme e a mesoderme. Elas são formadas a partir de uma blástula definida pela existência de uma camada de blastoderme, células interiores e somente uma cavidade, a blastocele.

Já nos animais que são acelomados, a mesoderme completa integralmente a blastocele, por consequência a cavidade celômica não existe. Na evolução dos pseudocelomados as células da mesoderme se deslocam e revestem só a periferia da blastocele se reveste por completo com as células da mesoderme.

A maneira como as células da mesoderme envolvem por completo a blastocele pode variar entre os animais que são diferentes, em alguns deles, o celoma se forma por esquizocelia, que é o celoma esquizocélico, já em outros animais o celoma se forma por enterocelia, que é o celoma enterocélico.

Celoma esquizocélico tem origem do grego “schizos” que significa “dividido” ou “fendido”, se forma a partir das fendas que existem internamente e que resultam da menoderme do embrião, com preenchimento completo da blastocele por mesoderme seguido por um método de morte celular, originando a cavidade celômica revestida por completo com a mesoderme.

O celoma enterocélico se forma a partir de projeções da mesoderme em forma de bolsa que se expandem e envolvem por completo a cavidade celômica.

No celoma a parte interna e externa da parede do corpo intestinal é envolvida pela mesoderme e a cavidade geral do corpo é o celoma verdadeiro, como nos vermes segmentados, nos cordados, nos equinodermos e nos moluscos.

Direção do Blastóporo

Existe uma importante característica embriológica dos animais triblásticos, que está diretamente relacionada com o surgimento da boca.

Quando a boca é decorrente do blastóporo, que significa a abertura do arquêntero para o meio externo. Quer dizer que os animais são protostômios, palavra originada do grego “proto“ que significa “primitivo” e “stoma” que significa “boca”. Isso abrange desde os platelmintos até os artrópodes.

Se o blastóporo gerar o ânus e a boca ser gerada na extremidade oposta, com o surgimento de um novo orifício. Esses animais são denominados de deuterostômios, palavra originada do grego “deutero” que significa “secundário”, ou seja, que chegou depois.

Os Tipos de Celoma

Existem dois tipos de celomas que podem ser formados:

  • Celoma esquizocélico – a mesoderme se forma a partir de duas células endodérmicas, que originam o folheto externo, conhecido como parietal e interno, conhecido como visceral, ambos envolvem o celoma. Os animais desse tipo são conhecidos como protostômios, ou seja, a boca definida se forma diretamente a partir da boca embrionária.
  • Celoma enterocélico – a mesoderme se forma a partir de duas envaginações da parede do arquêntero, ou seja, da endoderme, que quando se individualiza formam dois folhetos. Os animais desse tipo são chamados de deuterostômios, onde a boca definida se forma secundariamente ao lado do blastóporo, local de onde se origina o ânus.

Animais Acelomados

Os animais acelomados são aqueles animais que não têm o celoma. Existe somente uma parte vazia, ou seja, a cavidade que o embrião desses animais possui, é chamada de arquêntero, local de onde surge o sistema digestório. Os platelmintos como as solitárias e as tênias são exemplos de animais acelomados.

Animais Pseudocelomados

O pseudocelomado acontece quando o celoma não está totalmente envolvido por uma mesoderme, ele é denominado de pseudoceloma, “pseudo “ quer dizer que é falso. Isso ocorre porque os que são completamente envolvidos, são chamados de celomas ou de celomas verdadeiros.

Já nos pseudocelomas, somente um dos seus lados é envolvido pela mesoderme, enquanto que o outro lado, é envolvido pela endoderme. Os nematelmintos como as filárias e as lombrigas são exemplos de animais pseudocelomados.

Resumo

Somente aqueles animais que são triblásticos, ou seja, aqueles animais que possuem três folhetos germinativos, como a ectoderme, a endoderme e a mesoderme, podem ser celomados, acelomados ou pseudocelomados.

  • Celoma – tem a cavidade corporal totalmente envolvida por uma mesoderme.
  • Aceloma – não possui celoma, ou seja, a sua cavidade corporal não é envolvida por uma mesoderme.
  • Pseudoceloma – tem uma parte da cavidade corporal que é envolvida pela mesoderme e a outra parte que é envolvida pela endoderme.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Macedo, Márcia. Celoma; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/celoma >. Acesso em 30 de janeiro de 2020 às 01:39.

Copiar referência

Outros Artigos de Biologia

Cavalo Marinho

O Cavalo Marinho é da espécie do Hippocampus, um gênero […]

Cavalo

O Cavalo é um animal mamífero que pertence a um […]

Caule

O Caule é o órgão que conduz as seivas das […]

Catalase

A Catalase é uma enzima intracelular que normalmente é detectada […]