Charles Darwin

O pai da teoria da evolução das espécies

Charles Darwin foi um naturalista britânico responsável por desenvolver a teoria da evolução, que se dá por meio da seleção natural e sexual, abrindo caminhos para a ciência moderna e transformando o mundo científico.

Biografia

Charles Robert Darwin nasceu no dia 2 de fevereiro de 1809 na cidade de Shrewsburv, Inglaterra. Filho de médico e neto de médico e escritor, era originário da rica família Darwin-Wedgwood, pertencente à elite intelectual da época.

Naturalista Charles Darwin
Naturalista Charles Darwin. (Foto: Wikipédia)

Sua mãe Susannah Darwin, morreu quando ele tinha apenas oito anos de idade. No ano seguinte, em 1818,  foi enviado a escola, quando passou a se interessar pela natureza.

Aos 16 anos, seguindo o caminho da família, Charles Darwin deixou Sherewsbury para estudar medicina na Universidade de Edinburgh, na Escócia. Seu irmão também era aluno de medicina na mesma instituição.

Contudo, Darwin gostava mesmo de história natural. A aversão que sentia durante as aulas de práticas cirúrgicas o levou a negligenciar ainda mais seus estudos médicos.

Colecionar pedras, conchas, plantas, flores e ovos de pássaros, acabou por dedicar seu tempo as reuniões na Plinian Society, no qual as sociedades estudantis debatiam sobre história natural.

Após desistir da medicina, ingressou em um curso de bacharelado em artes na Universidade de Cambridge, para se tornar um clérigo. Conclui o curso de artes e continuou seus estudos para ser pastor da Igreja Anglicana.

Porém, continuava interessado por geologia e história natural. Em Cambridge, conheceu John Stevens Henslow, clérigo, professor de botânica e especialista em besouros que, mais tarde, viria a se tornar seu tutor.

A bordo do Beagle

Com a ajuda de Henslow, Charles Darwin envolveu-se com vários naturalistas. Seguindo os conselhos de seu tutor, ingressou no curso de geologia do reverendo Adam Sedgwick, acompanhando-o em uma expedição no mapeamento estratigráfico no País de Gales.

Em dezembro de 1831, com 22 anos, juntou-se a Robert FitzRoy, capitão do barco inglês HMS Beagle, em uma expedição científica de dois anos que deveria mapear a costa da América do Sul.

Tal expedição daria a Darwin a chance de desenvolver sua carreira como naturalista. A bordo do navio Beagle,  aportou em diversos continentes e ilhas, como a Patagônia, as Ilhas Malvinas e a Terra do Fogo.

Esteve nas ilhas Galápagos, na Nova Zelândia e na Austrália. Visitou as ilhas Keeling, Maurício e Santa Helena. Na América do Sul explorou do Chile ao Peru, incluindo o Brasil, onde aportou na Bahia e depois no Rio de Janeiro.

A viagem durou quatro anos e nove meses. Nesse período Darwin estudou uma grande variedade de características geológicas, fósseis e organismos vivos, descobriu fósseis de animais extintos como o megatério e o gliptodonte.

Quando desembarcaram na Inglaterra, em 1936, Charles Darwin já havia conquistado certa reputação no meio científico. Permaneceu durante alguns meses em Cambridge organizando a coleção de espécies recolhidas na expedição e convenceu Henslow a fazer descrições botânicas das plantas que ele havia coletado.

No ano seguinte, seguiu para Londres, onde trabalhou ao lado de notáveis cientistas para descrever suas outras coleções de forma a poder publicá-las posteriormente.

O diário de Darwin com anotações e comentários foi publicado isoladamente em um livro, "A Viagem do Beagle" (The Voyage of the Beagle), um grande sucesso mundial.

A expedição serviu como a principal preparação para o seu reconhecimento como geólogo, botânico, zoologista, cientista, pesquisador e escritor.

Origem das espécies e Teoria da evolução

Darwin sempre focou suas pesquisas no problema da evolução das espécies. Em todas expedições que participava, reunia coleções de rochas, plantas e animais. No seu caderno de notas, sempre acrescentava dados de cada uma das espécies e analisava sua evolução.

A Origem das Espécies (1859) de Charles Darwin.
Capa do livro “A Origem das Espécies” (1859) de Charles Darwin. (Foto: Wikipédia)

O grande enigma era explicar o aparecimento e o desaparecimento das espécies. Por isso,  em 1859, lançou “A Origem das Espécies”, o primeiro de seus livros que explica a “teoria da evolução”.

A obra apresenta evidências da evolução dos seres, mostrando que a diversidade biológica é o resultado de um processo de descendência com modificação, no qual os organismos vivos se adaptam gradualmente através da seleção natural e as espécies se ramificam sucessivamente a partir de formas ancestrais.

O livro de Darwin iniciou uma controvérsia pública. Críticos apontaram implicações não discutidas no livro, contudo a obra foi bem recebida pela nova geração de jovens naturalistas da época.

A teoria foi usada de base para vários movimentos da época e tornou-se parte da cultura popular. Traduzido para muitos idiomas, a evolução das espécies defendida por Darwin é referência até hoje em todo o mundo.

Últimos anos de vida

Charles Darwin vivia frequentemente doente, no entanto, continuou avidamente com seus experimentos, pesquisas e escritos sobre os aspectos mais controversos da sua grande obra:

  • A evolução da espécie humana a partir de animais mais primitivos;
  • O mecanismo de seleção sexual poderia explicar características não tão óbvias, uma utilidade além de mera beleza decorativa;
  • Sugestões para as possíveis causas subjacentes ao desenvolvimento da sociedade e das habilidades mentais humanas.

Darwin desenvolveu a ideia de que a mente humana e culturas foram desenvolvidas por meio de seleção natural e sexual. Seus experimentos e pesquisas resultaram em diversas obras de grande valor cientifico.

Além disso, suas teorias mudaram a forma de pensar em inúmeros campos de estudo da Biologia à Antropologia. O conjunto de conceitos e teorias relativas as ideias de evolução das espécies são chamadas de “Darwinismo“.

O naturalista morreu no dia 19 de abril de 1882, aos 73 anos, em Downe, Inglaterra. Foi enterrado na abadia de Westminster, em Londres.

Principais obras de Charles Darwin

  • “A viagem do Beagle” (1839)
  • “A origem da espécies” (1859)
  • “Fertilização das orquídeas” (1862)
  • “A Descendência do Homem e Seleção em Relação ao Sexo” (1871)
  • “The Expression of the Emotions in Man and Animals” (1872)

Curiosidades

  • Após a expedição no navio Beagle, Darwin passou a sofrer repetidamente de dores estomacais, vômitos, graves tremores, palpitações, e outros sintomas. Pondera-se que ele tenha contraído a Doença de Chagas ao ser picado por um inseto na América do Sul.
  • Em janeiro de 1839, Charles Darwin casou-se com sua prima, Emma Darwin. O casal teve 10 filhos, três dos quais morreram prematuramente. Muitos filhos e netos de Darwin alcançaram notabilidade.

Citações

Não são as espécies mais fortes que sobrevivem, nem as mais inteligentes, e sim as mais suscetíveis a mudanças.

O homem ainda traz em sua estrutura física a marca indelével de sua origem primitiva.

Na história da humanidade (e dos animais também) aqueles que aprenderam a colaborar e improvisar foram os que prevaleceram.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

BRITO, Samara. Charles Darwin; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/charles-darwin >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 17:22.

Copiar referência