Clara dos Anjos

Romance de Lima Barreto que aborda o preconceito social e racial

Clara dos Anjos” é um romance pertencente ao pré-modernismo, escrito pelo brasileiro Lima Barreto, e considerado pelo mesmo uma das suas principais obras.

Em vida, Lima Barreto não conseguiu publicar “Clara dos Anjos”, finalizado em 1922, mesmo ano da sua morte. A primeira publicação veio a acontecer quase 20 anos depois.

Por esse motivo o romance  é uma obra póstuma e apenas foi publicada pela primeira vez, em capítulos que saíram em uma revista chamada Souza Cruz, em 1923. Em forma de livro foi editado e publicado em 1948.

A história tem como cenário o subúrbio do Rio de Janeiro e conta a trajetória de Clara dos Anjos, uma moça negra e pobre que foi enganada por Cassi Jones de Azevedo, um jovem branco, sedutor e de classe média.

Capa do romance "Clara dos Anjos".
Capa do romance “Clara dos Anjos”. (Foto: Site Amazon)

Principais personagens

  • Clara dos Anjos: protagonista da narrativa, é uma jovem ingênua, pobre, frágil, negra e superprotegida pelos pais. Filha única, tem seu destino destruído após se envolver com Cassi.
  • Joaquim dos Anjos: casado com Engrácia, é um humilhe carteiro e superprotetor de sua única filha.
  • Engrácia: mãe de clara, é uma dona de casa muito dedicada a filha e a rotina familiar. Casada com Joaquim há mais de 20 anos, é descrita como uma mulher que sofre de preocupação exagerada.
  • Cassi Jones de Azevedo: antagonista da história, é um homem branco na faixa dos 30 anos. É descrito como um “vagabundo psicopata” e conhecido como colecionador de mulheres, pois, por prazer, seduz as moças fazendo-as se apaixonar por ele, depois as abandona. Filho ilegítimo de Manuel Borges de Azevedo e Salustiano Baeta Azevedo.
  • Antônio da Silva Marramaque: grande amigo de Joaquim e padrinho de Clara. É um homem deficiente, semi-aleijado e semiparalítico do lado esquerdo do corpo. Foi o primeiro a confrontar o antagonista.
  • Salustiana Baeta de Azevedo: é uma mulher racista, preconceituosa e inventou o nome “Jones” no filho com a história de que tinha a descendência de um lorde. Cúmplice do filho, pois acobertava todos os seus crimes, o achava perfeito demais para se casar com qualquer mulata.

Resumo de “Clara dos Anjos”

A história se passa no período de construção do subúrbio carioca, no início do século XX, quando o centro do Rio de Janeiro passou por uma “higienização”, no qual a população negra e pobre foi empurrada para as margens da cidade.

Clara dos Anjos é uma jovem mulata criada com a maior educação e acolhimento dos pais. Eles viviam em uma casa com dois quartos e um quintal no subúrbio fluminense.

Em certo dia, é sugerido a Joaquim uma comemoração diferente para o aniversário da filha. E um dos convidados era Cassi, o músico sugerido por Lafões, parceiro de Joaquim dos Anjos.

Cassi já era famoso por ser um jovem ignorante e sedutor que se envolvia até com mulheres casadas. Por ser um homem protegido pelos poderosos, especialmente pela mãe, pouco se importava com os crimes que cometia.

Especialmente o de tirar a virgindade de moças e depois abandoná-las, algo que na época era considerado crime e, pior, era a única honra que uma jovem de origem humilde, negra e pobre poderia ter.

Cassi era conhecido também por ter em seu currículo a quantidade de 10 defloramentos (virgindade) e de seduzir muitas mulheres casadas. As suas vítimas eram quase sempre jovens negras, pobres e virgens.

No dia da comemoração, Cassi assim que chega a casa chama a atenção das moças e ao ser apresentado a aniversariante logo se interessa e decide fazer dela a próxima vítima.

Contudo, a mãe de Clara percebe a intenção do rapaz e pede ao marido que não o levasse mais a casa. Pedido atendido por Joaquim, garantindo que ele “não porá mais os pês na minha casa”.

Consciente das investidas de Cassi, uma das amigas de Clara alerta que ele não é um homem que preste e que deveria tomar cuidado.

Aos poucos, o rapaz vai se aproximando da jovem. Um dia passa pela casa com o argumento de que estava na vizinhança visitando um amigo. E até cartas já tinha enviado para a moça.

Até que Clara, ingênua, já que era uma jovem recatada, que não conhecia a maldade da vida e das pessoas, acreditou no amor de Cassi e se apaixona por ele.

O padrinho dela, ao perceber a situação, resolve defender a afilhada, mas ao confrontar Cassi acaba sendo morto por ele e um colega. Mesmo confessando o assassinato do seu padrinho, ela ainda acreditou que o ato foi por amor. 

Ao passar do tempo, Clara descobre que está grávida e quando Cassi sabe da notícia desaparece imediatamente, deixando-a desamparada na sociedade.

Sem saber o que fazer, antes de abortar a criança, Clara vai procurar os familiares de Cassi. Até aquele momento não tinha consciência da sua insignificância social como mulher negra e pobre.

Quando a moça chega na casa de Salustiana, é maltratada e humilhada, especialmente pela sua condição social e  cor. Então, percebe a situação em que se encontra como uma jovem pobre, negra e grávida de homem branco.

Se sentindo oprimida após o discurso preconceituoso e racista de Salustiana, retorna para casa e desabafa com a mãe ocupando a última página do livro:

Num dado momento, Clara ergueu-se da cadeira em que se sentara e abraçou muito fortemente sua mãe, dizendo, com um grande acento de desespero:

—Mamãe! Mamãe!
—Que é minha filha?
—Nós não somos nada nesta vida.

Análise da obra “Clara dos Anjos”

“Clara dos Anjos” é um romance narrado em terceira pessoa e apresenta um narrador onisciente, mas que de vez em quando aparece na narrativa.

A obra tem como tema central o racismo e o lugar ocupado pelas mulheres naquela época, principalmente as pobres e negras.

Em termos literários, participa do pré-modernismo (transição entre o realismo e o modernismo), mas também é oriundo de um nacionalismo exagerado e utópico, características do romantismo, assim como o sentimentalismo acima do racionalismo neoclássico e iluminista.

Problemas sociais

Por meio do romance “Clara dos Anjos”, Lima Barreto denuncia temas como o racismo, a pobreza, a fome, miséria, a desigualdade social, as injustiças, o analfabetismo e o preconceito com características presentes em seus personagens.

Assim como o preconceito racial  diante das mulheres negras e população pobre, arrastados do centro para o subúrbio carioca.

O início do século XX foi um período de problemas sociais e de saúde pública vividos pelo Rio de Janeiro. Nesse mesmo momento, a febre amarela proliferou nos cortiços e outras doenças provocadas pela falta de saneamento básico, bem como o polêmico período da vacinação forçada por Oswaldo Cruz e suas consequências com a “Revolta da Vacina”, em 1904.

Além disso, o romance também explora as mudanças monumentais do Rio de Janeiro, como a Igreja da Candelária, a obra da Vista Chinesa, na Tijuca, a Avenida Atlântica, em Copacabana, o Teatro Municipal e a Biblioteca Nacional.

O famoso bondinho do Pão de Açúcar foi inaugurado no mesmo período, tornando-se um dos maiores cartões postais carioca.

“Clara dos Anjos” é uma obra completa que assume um tom de livro-reportagem ao trazer a história de desenvolvimento do Rio de Janeiro e o  início das discussões sociais.

O romance de Lima Barreto não é recomendado para aqueles que buscam romantismo e finais felizes. A obra é uma crítica ao modelo de sociedade da época.

Sobre o autor

Afonso Henriques de Lima Barreto foi um escritor e jornalista negro. Ele nasceu no Rio de Janeiro em 13 de maio de 1881 e faleceu dia 1 de novembro de 1922.

Busto de Lima Barreto no Rio de Janeiro
Busto do escritor Lima Barreto, Rio de Janeiro. (Foto: WikipÉdia)

O escritor teve uma vida conturbada com episódios fortes de alcoolismo e depressão que o levou a ser internado em um hospício em 1914.

Em vida, Lima Barreto não teve uma carreira de sucesso como escritor, tanto que um dos livros mais conhecidos “Triste Fim de Policarpo Quaresma” foi publicado com o próprio dinheiro.

Lima Barreto se candidatou três vezes a Academia Brasileira de Letras e teve as três candidaturas negadas.

Somente nos últimos anos as obras estão recebendo o devido reconhecimento, a ponto de serem estudadas em provas e vestibulares do Brasil. Elas estão incluídas nos gêneros literários: romance, crônica, conto e sátira.

“Clara dos Anjos” está sob domínio público. Faça o download e boa leitura!

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Lima, Cleane. Clara dos Anjos; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/clara-dos-anjos >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 14:30.

Copiar referência