Coesão referencial

Elemento textual que cria vínculos entre as palavras

Coesão referencial é um elemento textual utilizado como forma de vincular palavras, frases ou orações para conferir mais sentido ao conteúdo. Existe o conjunto de termos ou palavras que se chamam correferentes e que remetem a mensagem para o referente. Essa relação de palavras e expressões é denominada como Cadeia de Referência.

referente é dado pelo termo que identifica a associação ou situação a que o emissor se refere:

  • Exemplo: O Flamengo venceu.

Já os correferentes são os elementos ou ocorrências textuais sem referência que se dirigem ao mesmo referente.

  • Exemplo: A menina que observava as vitrines do shopping, viu a sua carteira roubada por um ladrão.
  • Exemplo de cadeira de referência: O Roberto mudou de emprego. Os pais apoiaram-no nessa sua decisão e estão ao lado dele de qualquer forma.
  • Exemplo de caso em que o referente que foi retomado na oração: O gato miou. Ele fica irritado quando tem muita gente em casa, mas é um bicho muito dócil.
Jovens estudam coesão referencial nos livros de língua portuguesa
Coesão referencial é um tema presente nos vestibulares. (Foto: Pixabay)

Coesão referencial: características e relações presentes

A coesão referencial é responsável por uma espécie de sistema integrador que confere relação às palavras e frases. Porém, é também possível notar sua presença e relação com outros elementos da língua portuguesa, como Figuras de Linguagem e Figuras de Sintaxe.

Pode ocorrer coesão referencial, por exemplo, em elipse, anáfora, catáforas, contiguidades e reiterações.

  • Anáfora: acontece quando palavras já referidas no texto são retomadas. Ex.: Rebeca pulava muito. Ela sempre gostava de ser o centro das atenções. (O pronome “ela” retoma o substantivo próprio “Rebeca”).

A anáfora pode ser dividida em nominal, adverbial, verbal e pronominal.

  • Nominal ou associativa: A casa que habitei em Boston tinha janelas estreitas, que se confundiam com as cores de uma parede bonita que combinava bastante com o estilo do pé direito alto. (Casa é o termo antecedente. Os demais termos destacados não substituem o antecedente, mas se associam a ele.)
  • Adverbial: Longe, no alto das montanhas dá para escalar. Há vários esportistas. (O advérbio “lá” remete para o “alto das montanhas”.)
  • Verbal: Amanda afirmou que vai ser atriz. Disse que é seu maior sonho. (Dizer retoma o verbo afimar”).
  • Pronominal: No apartamento havia um computador. Tinham-lho oferecido de presente. (O pronome “o” substituiu o computador).
  • Catáfora: Acontece quando o termo referente aparece depois.

Ex.: A irmã olhou-o e falou: Carlos, parece feliz. (O pronome oblíquo “O” introduz o nome “Carlos”, apresentado depois na oração).

  • Substituição: acontece quando há utilização de uma palavra ou termo que tenha valor ou significados sinônimos no lugar de outros.

Ex.: O pássaro voou. Ele fica feliz quando está livre, mas é um animal muito triste quando está preso. (As palavras em negrito estão presentes para evitar a repetição de “pássaro” em tão pouco tempo nos períodos que se sequenciam).

  • Reiteração ou repetição: acontece quando algum termo é repetido para a construção e manutenção do sistema de referências dentro do texto.

Ex.: George Clooney esteve em Hollywood no último fim de semana. Clooney vestiu um terno de alfaiataria.

  • Elipse: acontece quando se omite um termo já exposto previamente, mas percebido na oração ou texto devido ao contexto da mensagem apresentada.

Ex.: O chefe foi o primeiro a chegar na sala. Abriu as portas, sentou e esperou toda a sua equipe chegar no horário combinado.

  • Contiguidade: acontece com termos que possuem mesmo valor semântico.

Ex.: Ao decorrer em que o mar se agitava, as ondas batiam nas pedras, a espuma branca chegava na areia e as águas novamente se acalmavam.

Diferentes usos da coesão referencial

A coesão por referência sempre vai atuar com um termo que substitui o outro. As referências podem ter duas classificações: exofórica (quando se reporta a um dado externo) e endofórica (quando se reporta a um dado interno no texto).

  • Exemplo de frase com uso exofórico: A gente era feliz naquele lugar. E aquele era um lugar muito seguro.
  • Exemplo de frase com uso endofórico: Meu objetivo é este: ganhar muito dinheiro.

Coesão referencial e coesão sequencial

Além da coesão referencial, existe ainda a coesão sequencial que promove nos textos certas condições para o seu desenvolvimento.

A conjunção e demais flexões de modo e de tempo nos verbos garantem a sequência e continuidade para o texto fazer sentido. Os atributos conferidos à coesão sequencial garantem a chamada entre as partes dos textos e também são importantes para a ligação entre as informações, visando a coesão textual como um todo.

Exemplos:

  • Afirmação ou igualdade –  do mesmo modo que; nesse sentido; Felizmente; infelizmente; obviamente; na verdade; realmente; de igual forma;
  • Exclusão –  exceto; tão somente; apenas; somente; só; sequer; senão;
  • Enumeração – a princípio, em primeiro lugar;
  • Adição ou inclusão – Além disso; também; até; é certo que; é inegável; em outras palavras; vale lembrar; pois; outrossim; agora; de modo geral; por iguais razões; inclusive;
  • Oposição – Embora; não obstante; por outro lado; entretanto; mas; no entanto; porém; ao contrário;
  • Continuação –  depois; no geral; em seguida; em termos gerais; por sua vez;
  • Explicação – pois; é óbvio que; isto é; por exemplo; a saber; de fato; aliás; Como se nota; com efeito; como vimos; portanto;
  • Conclusão – por conseguinte; em última análise; em suma; por fim; concluindo; finalmente; por tudo isso; em síntese, posto isso; assim; consequentemente.

Outros exemplos 

Como a coesão referencial é responsável pela relação e funciona como um facilitador de entendimento e identificação do sentido da mensagem, é importante reforçar com exemplos que podem ser utilizados no dia a dia:

  • Mário chorou. Ele não gosta de filmes tristes.

Nesse caso, Mário é o termo referente na oração. A cada vez que for preciso retomar esta palavra, pode-se usar termos parecidos ou sinônimos, como o pronome “ele”, ou “o garoto” ou outras opções desde que o sentido nunca se perca.

  • Bruna foi morar nos Estados Unidos. A filha do Antônio realizou seu grande sonho.

Nesse caso, Bruna e A filha do Antônio se referem ao mesmo termo.

  • O presidente se demitiu em pouco tempo de serviço. O chefe de Estado não aguentou a pressão.

Nesse caso, presidente e chefe de estado se referem ao mesmo termo.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Magalhães, Alissa. Coesão referencial; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/coesao-referencial >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 18:19.

Copiar referência

Outros Artigos de Língua Portuguesa

Trovadores apresentando em forma de cantiga o que foi escrito em seus textos com seus instrumentos.

Características do Trovadorismo

As características do Trovadorismo estão relacionadas com todas as particularidades […]

Chegada dos portugueses.

Características do Quinhentismo

As características do Quinhentismo, primeira manifestação literária do Brasil, estão […]

Características do Classicismo

As características do Classicismo eram baseadas na representação de elementos […]

Características do Arcadismo

As características do Arcadismo surgiram em meio ao período que […]