Coliseu

Também conhecido como Anfiteatro Flaviano

O Coliseu de Roma é uma construção dos anos 72 d.C, iniciada no governo do imperador Vespasiano e concluída oito anos depois, em meados de 80 d.C, pelo seu sucessor e também herdeiro, Tito.

Em latim, Amphitheatrum Flavium; já em italiano, a denominação é Anfiteatro Flavio. Essa arena foi construída em areia e concreto, considerada até os dias atuais como a maior construção da História Antiga.

Em formato oval, característica geral dos anfiteatros, o coliseu está localizado ao leste do Fórum Italiano, na cidade de Roma, capital da Itália, no continente europeu.

Estrutura do Coliseu
Modelo do Coliseu de Roma. (Foto: wikipédia)

Durante o reinado de Domiciano, no período compreendido entre 81 e 96, algumas modificações foram realizadas na arquitetura.

Os três imperadores envolvidos na idealização da estrutura eram integrantes da dinastia Flaviana (ou Flávia). Por este motivo o anfiteatro foi nomeado em latim por sua correlação com a família Flavius.

Naquela época já era possível abrigar cerca de 50 a 80 mil pessoas para assistir a um espetáculo, registrando um público estimado de 65 mil espectadores por apresentação.

No local, além de apresentações públicas, também ocorriam combates entre gladiadores, um tipo de ensaio de batalhas marítimas, caças de animais silvestres, dramaturgias baseadas na mitologia, simulações de batalhas famosas, dentre outros.

História do Coliseu

Sob ordem de Vespasiano, a construção foi iniciada no século I (ano de 72 d.C), com uma estratégia de oferecer entretenimento ao povo italiano; a política do pão e circo. A área escolhida foi exatamente no fundo de um vale entre colinas.

Em anos anteriores, aquele local havia sido destruído por um incêndio no de 64, ainda na administração do imperador Nero e, posteriormente, foi reurbanizado por ordem dele para o seu lazer pessoal, com a invenção de um lago artificial, na casa Dourada.

Vespasiano, numa tentativa de aumentar seu índice de aprovação entre populares, resolveu construir um espaço em que as pessoas pudessem consumir divertimento e ignorar os problemas sociais estabelecidos naquele período.

O imperador logo iniciou a reorganização do espaço com recursos adquiridos na vitória da Grande Revolta Judaica, no início dos anos 70. O lago foi completamente drenado e as obras para o Coliseu começaram.

O monumento foi uma representação de dois grandes objetivos almejados por Vespasiano. Primeiro ele conseguiu o apoio popular, por elaborar um projeto grandioso voltado para oferecer lazer às camadas mais populares.

E o segundo ponto foi ter conquistado implementar na cidade um símbolo histórico que leva seu nome a contemporaneidade, ultrapassando gerações.

 Apesar da conquista, o líder italiano morreu antes mesmo da conclusão das obras. O prédio estava com três andares, tendo alcançado o quarto pavimento já na gestão do seu sucessor, Tito.

Modelo do Coliseu de Roma
Estrutura do Coliseu de Roma. (Foto: Wikipédia)

Atualmente, ele encontra-se parcialmente deteriorado, por causa de roubos, ações de vândalos e desastres naturais, como os abalos sísmicos, por exemplo. Entretanto, ainda figura entre os monumentos mais importantes e visitados, considerado um marco da Roma Imperial.

Está entre as atrações turísticas mais procuradas por visitantes e possui uma interligação com a Igreja Católica, sendo que a cada sexta-feira conduz a Via Crúcis em torno do Coliseu.

Inauguração e espetáculos iniciais

Sob a liderança de Tito, os primeiros jogos aconteceram em 80, imediatamente depois do término das obras. O governo deste Imperador começou com uma sucessão de tragédias. A erupção do Vesúvio de 79, o surto de uma peste e ainda a lembrança do incêndio de Roma, em 64.

Com o intuito de apagar essas memórias devastadoras, Tito inaugurou o prédio com jogos presunçosos que seguiram por mais de cem dias. Nesta fase, as pessoas puderam apreciar combate entre gladiadores, execuções, batalhas navais, lutas de animais e caçadas.

As guerras de gladiadores não eram pagas, mas os vencedores recebiam prêmios e contribuições dos espectadores.

Na caça de animais, outro tipo de apresentação que ocorria no anfiteatro, os bichos eram importados do continente africano. Geralmente eram utilizados animais de grande porte, como leões, leopardos, panteras, hipopótamos e rinocerontes.

Além deste, ainda ocorriam as batalhas navais. Nesta modalidade de show, a plateia presenciava combates aquáticos. O coliseu era abastecido e inundado com água levada através de dutos subterrâneos.

Também ocorriam espetáculos menos agressivos. Pintores, artistas e arquitetos reproduziram cenários naturais, compostos por árvores e arbustos naturais, plantados na areia e alguns animais eram mantidos neste local para dar vida ao ambiente.

A intenção desta paisagem era transmitir ao público um espaço agradável e bonito. Mas também eram utilizados para contextualizar ou servir apenas como pano de fundo das caçadas selvagens ou encenações da mitologia romana.

Apesar do Coliseu ter funcionado até o século VI, os jogos que envolviam mortes de humanos foram vetados. Apenas os elefantes, panteras e leões continuaram sendo executados durante todo funcionamento do coliseu.

Estrutura do Coliseu

A arena que acolhia o grande público era feita de madeira. Como algumas imperfeições ficavam visíveis, a areia ajuda a camuflar as irregularidades.

No momento dos combates, os animais eram introduzidos no espetáculo através de elevações fixadas em alguns pontos da arena.

O filme “Gladiador” apresenta este mecanismo dos elevadores, quando os animais combatentes são preparados para os torneios.

Um grupo de pesquisadores encontrou uma rede de dutos subterrâneos onde fica situado o Coliseu, exatamente na região onde Nero havia construído o lago artificial.

O monumento permaneceu foi como principal ambiente de entretenimento até o período do imperador Honório, no século V. Logo depois, foi parcialmente destruído por uma abalo sísmico ainda no início deste mesmo século.

Na época de Valentiano III passou por uma intensa restauração. Posteriormente, a família Frangipani o transformou em fortaleza, já no século XIII, não resistindo aos constantes roubos, perdeu boa parte dos materiais nobres com os quais foi construído.

Curiosidade sobre o Coliseu

  • É o maior anfiteatro do mundo
  • Possui 45 metros de altura, equivalente a um prédio de dois andares
  • Construído, basicamente, com concreto, areia, pedra ,mármore e ladrilho
  • Tinha um total de 80 escadas
  • Cerca de nove mil animais e dois mil gladiadores morreram durante os jogos inaugurais
  • As arquibancadas eram distribuídas de acordo com a classe social do público
  • Foi erguido no mesmo espaço onde ocorreu um grande incêndio
  • Recentemente, no ano de 2007, foi incluído pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) como uma das sete maravilhas do mundo
  • Abrigava, aproximadamente, 50 a 80 mil pessoas por espetáculo
  • Animais exóticos eram importados do continente africano. Muitos deles, como leões, panteras e rinocerontes morriam durante as apresentações

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Neves, Juliete. Coliseu; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/coliseu >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 21:06.

Copiar referência

Outros Artigos de Artes

Monumento à Terceira Internacional.

Construtivismo nas artes

O construtivismo nas artes está relacionado com o movimento artístico […]

A Commedia dell’arte fazia a utilização do humor e críticas à sociedade em palcos improvisados.

Commedia Dell’Arte

A Commedia Dell’Arte iniciou-se a partir do início do século […]

Circo armado

Circo

O circo é o lugar onde acontecem expressões artísticas que […]

características das cores matiz

Características das Cores

As características das cores podem ser descritas como matiz, tonalidade […]