Coloides

Misturas heterogêneas vistas somente no microscópio

Coloides são misturas que, ao olho nu, apresentam-se de forma homogênea. No entanto, quando observadas por meio de aparelhos como microscópio percebe-se que tais compostos são heterogêneos.

O nome coloide vem da palavra grega que significa “cola”. Quase todas as tintas são colas, por isso são coloides em que as partículas de pigmento, aglutinante e enchimento criam a cor, resistência e a substância do revestimento que a tinta terá após a secagem.

jujubas de gelatina são exemplos de coloides
Coloides são misturas aparentemente homogêneas. (Foto: Pexels).

No dia a dia os coloides estão presentes em iogurtes, hidratantes, tintas, leites, pedras preciosas, fumaça, queijo, espuma de sabão, gelatina, shampoo, dentre outros produtos.

Essas misturas possuem partículas de tamanho intermediário entre a solução verdadeira e a suspensão. Curiosamente, o fumo de um incêndio também é um sistema coloidal, visto que pequenas partículas sólidas flutuam no ar.

Os estudos acerca dos coloides são realizados desde 1861, quando T. Graham, ao estudar a difusão, classificou as substâncias em cristaloides e coloides. Ele afirmou que as substâncias que se difundem prontamente através de uma membrana de pergaminho são cristaloides, como sais e açúcares, enquanto que substâncias que se difundem através do papel de pergaminho muito lentamente são coloides como gelatinas.

Contudo, ao observar como as substâncias reagiam sob diferentes condições de temperatura e pressão, descobriu-se que a mesma pode agir como cristaloide ou coloide. Assim, chegou-se à conclusão de que a distinção absoluta entre os dois tipos não existe.

Características dos coloides

Os coloides possuem massa elevada, são relativamente grandes e apresentam elevada relação de área e volume de partícula.

As misturas de coloides são, aparentemente, uma só (homogênea). Por isso, os seus componentes não podem ser filtrados.

Esse sistema é composto por duas fases: dispersa e dispersão. Nos coloides, uma substância é dispersa como partículas muito finas em outra substância chamada meio de dispersão. A quantidade de dispersante é sempre superior.

Exemplos:

  • Na fumaça de um incêndio, por exemplo, as partículas de fumaça são dispersas no ar.
  • Nas claras batidas em neve, a clara em estado líquido assume o papel de componente disperso, uma vez que o ar é o componente dispersante que fez com que a clara se transformasse numa espuma. Para isso, foi necessário mais ar do que clara para que fosse obtida a mistura.

As coloides apresentam partículas com intervalos de um e 100 nanômetros, sendo que elas são dispersas e dispersantes. Além disso, os seus compostos não podem ser filtrados.

As fases do coloide

Os sistemas coloidais consistem em duas fases mistas: contínua ou de dispersão. Ambas podem ser gasosas, líquidas, sólidas ou plasmáticas.

Embora um coloide seja um líquido na fase contínua, composta por partículas sólidas na fase dispersa, podem ser encontrados coloides cujos componentes encontram-se em outros estados de agregação.

Tipos de coloides

A classificação do tipo de coloide é feita com base no estado físico das partículas dispersas e dispersantes. No geral, podem ser: aerossol, emulsão, espuma, gel e sol (têm aspecto de solução).

Aerossol

Componente Disperso: sólido ou líquido.

Componente Dispersante: gás.

Exemplos: fumaça, neblina, nuvem, spray.

Emulsão

Componente Disperso: líquido.

Componente Dispersante: líquido ou sólido.

Exemplos: sorvete, maionese, queijo e manteiga.

Nota: o óleo em vinagre para salada é uma emulsão comum. A  energia cinética da agitação quebra o óleo em pequenas gotas, que se separam novamente e depois se agregam. Isso é chamado de coalescência de gotículas, já que elas não apenas se anexam, mas também se fundem em uma única gota maior. Por isso, recomenda-se que os molhos de salada sejam agitados para misturar o óleo antes de servir.

A maionese é uma emulsão relativamente estável por causa da sua alta viscosidade. O óleo e a água na maionese não podem se separar em fases porque as gotículas da emulsão não têm energia suficiente para muito movimento.

Espuma

Componente Disperso: gás.

Componente Dispersante: líquido ou sólido.

Exemplos: clara em neve, espuma de barbear e chantili.

As espumas estáveis ​​podem ser formadas por soluções de surfactante. Nesse processo, filmes líquidos separam bolhas de gás e, uma vez formadas as espumas, a gravidade drena o líquido até os filmes que os filmes rompam-se.

Sol

Componente Disperso: sólido.

Componente Dispersante: líquido ou sólido.

Exemplos: pérola, rubi e sangue.

Gel

Componente Disperso: líquido.

Componente Dispersante: sólido.

Exemplos: gelatina, sílica-gel e pasta de dente.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Chérolet, Brenda. Coloides; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/coloides >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 22:34.

Copiar referência

Outros Artigos de Química

formula estrutural condensada linear

Fórmula Estrutural

A fórmula estrutural é uma das fórmulas da química orgânica […]

Forças intermoleculares

Forças Intermoleculares

As forças intermoleculares é um dos assuntos que mais caem […]

Filtração

Filtração

Filtração é um dos métodos da química utilizada para fazer […]

Explosão causada por elementos radioativos

Fissão Nuclear

A fissão nuclear é o processo de divisão de núcleos […]