Construtivismo nas artes

Movimento surgiu das revoluções do proletariado europeu

O construtivismo nas artes está relacionado com o movimento artístico que priorizou a integração entre as técnicas artesanais e a produção industrial, o uso de formas geométricas e sua adequação às necessidades de um esperado mundo socialista.

E qual a relação do socialismo nessa história? De modo geral, a ideologia libertária dos artistas das vanguardas europeias ganhou características particulares na Rússia, principalmente após a Revolução Russa de 1917.

Nesse contexto revolucionário, os artistas produziram obras concretas para o povo. Formas como a pintura e a escultura foram elaboradas como construções, saindo do âmbito tradicional das representações.

O construtivismo nas artes passou a ter fundamentos conectados com a área da arquitetura, pois as peças artísticas adquiriram materiais, procedimentos e objetivos próximos desse segmento de estudo.

Características do construtivismo nas artes

O construtivismo ligou os relevos tridimensionais do artista russo Vladimir Tatlin (1885-1953) com os trabalhos de outros colegas do país, a exemplo do artista plástico Alexander Rodchenko (1891-1956), do escultor Antoine Pevsner (1884-1962), do artista Naum Gabo (1890-1977).

Irmãos, Antoine Pevsner e Naum Gabo elaboraram o Manifesto Realista, documento que apresentou as bases da expressão artística do construtivismo. O texto foi publicado no dia 5 de agosto de 1920, em Moscou, capital da Rússia.

Para romper com os padrões de arte da época, o Manifesto Realista apresentou cinco renúncias:

  • A cor como elemento pictórico;
  • A linha e o seu valor descritivo;
  • O volume como uma forma de espaço pictórico e plástico;
  • A massa como elemento escultórico;
  • A ilusão da arte como o único elemento das artes plásticas e pictóricas.

Por dedução, o manifesto fez uma defesa da arte fundamentada na realidade material do espaço e tempo. Como consequência, os irmãos lançaram críticas sobre as sucessivas mudanças estilísticas da arte moderna, mencionando as características de estilos como impressionismo, futurismocubismo.

Apesar das críticas, é importante mencionar que o construtivismo fez parte da arte moderna, principalmente pelo design moderno das obras e por ter feito parte do contexto das vanguardas estéticas europeias do começo do século XX.

Outras características do construtivismo nas artes, considerando cada forma, foram:

  • Cinema: temas das produções relacionadas com as etapas da Revolução Russa e os seus ideais;
  • Teatro: união do estilo de cenografia e encenação. O texto ganhou menos importância que os elementos não-verbais, a exemplo da expressão corporal;
  • Fotografia: obras de arte com elementos geométricos, além de técnicas inovadoras que mostravam novas estruturas e aparências;
  • Pintura: exploração das diversas formas da geometria, buscando relações óticas e dimensionais;
  • Escultura: objetos tridimensionais, feitos a partir do ferro, madeira, vidro, arame de aço.

Na América Latina, as influências do construtivismo nas artes ficou presente no concretismo de São Paulo. Mesmo com a ruptura causada pelo neoconcretismo de Ferreira Gullar (1930-2016), os traços do construtivismo russo seguiu acompanhando o fazer artístico brasileiro.

Principais artistas e obras

Depois da Revolução Russa, a expressão do construtivismo nas artes ficou aberta, apesar do fato gerar controvérsias entre estudiosos.

Mas quais fatores contribuíram para tal afirmação? De forma resumida, existiam duas perspectivas sobre o fazer artístico do período.

Em um lado da moeda, existiam artistas que afirmavam que a arte precisava ser útil para a população, atender as diversas necessidades do proletariado e aplicar técnicas e materiais industriais. Alexander Rodchenko e Vladimir Tatlin foram alguns desses artistas.

Do outro lado, estavam aqueles que encontravam na arte uma expressão pura, livre de ideologias, a exemplo dos irmãos Pevsner.

Sobre esses principais artistas do construtivismo nas artes, cabe destacar:

  • Vladimir Tatlin fazia esculturas a partir do vidro, metal e madeira. As suas obras tinham várias dimensões e sugeriam movimento, passagem do tempo;
  • Alexander Rodchenko foi um dos artistas mais versáteis do construtivismo. Na fotografia, seus trabalhos eram socialmente engajados e opostos ao retrato estético da época;
  • Antoine Pevsner descobriu um novo uso para metais e soldagem, criando uma ligação entre a arte e a matemática;
  • Naum Gabo produziu obras importantes no construtivismo e na arte cinética. O realismo era a principal característica dos seus trabalhos.

A principal produção construtivista de Vladimir Tatlin foi o projeto do Monumento à Terceira Internacional, cuja a maquete apresentou na capital da Rússia, em 1920. O monumento, no entanto, nunca foi executado em escala real. Isso aconteceu por causa da falta de recursos financeiros do país.

Modelo do Monumento à Terceira Internacional.
Monumento à Terceira Internacional. (Foto: Flickr)

A edificação artística seria composta por uma grande espiral de aço que envolveria uma pirâmide, um cone e um cilindro de cristal. Os elementos foram concebidos para alojar escritórios e salões.

Por fim, além dos nomes mencionados, outros artistas ligados ao construtivismo nas artes foram:

  • Alexander Vesnin – arquiteto, pintor (1883-1957);
  • Berthold Lubetkin – arquiteto (1901-1990);
  • Dziga Vertov – cineasta (1896-1954);
  • El Lissitzky – designer gráfico (1890-1941);
  • Esfir Shub – cineasta (1894 – 1959);
  • Iliá Selvínski – poeta (1899-1968);
  • Ivan Leonidov – arquiteto (1902-1959);
  • Joaquín Torres García – (1874-1949);
  • John Ernest – (1922-1994);
  • John McHale – (1922-1978).

Sobre o construtivismo

O construtivismo é a teoria que parte da ideia que o sujeito tem um papel ativo na criação e modificação do conhecimento. O termo surgiu pela primeira vez em 1967, a partir de uma obra do biólogo Jean Piaget (1896-1980).

De lá para cá, além do construtivismo nas artes, a teoria é abordada pelas mais diversas áreas do conhecimento humano, a exemplo da filosofia, pedagogia, psicologia, matemática,  biologia, sociologia.

Além disso, o construtivismo pode ser dividido em:

  • Kantiano: apresenta o processo de conhecimento como a organização ativa por parte do sujeito, impondo para ele as formas da sensibilidade;
  • Piagetiano: apresenta o construtivismo como alternativa ao empirismo e ao racionalismo, respostas tradicionais ao problema da origem;
  • Radical: o conhecimento é um processo cognitivo auto-organizado e isolado do cérebro humano.
  • Lógico: defende basicamente que objetos matemáticos são construções mentais que ocorrem numa forma de pensamento pré-linguística;
  • Social: abordagem com a tese de que as crenças científicas têm causas sociais.
  • Americano: está ligado ao capitalismo.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Conceição, Thiago. Construtivismo nas artes; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/construtivismo-nas-artes >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 14:59.

Copiar referência

Outros Artigos de Artes

A Commedia dell’arte fazia a utilização do humor e críticas à sociedade em palcos improvisados.

Commedia Dell’Arte

A Commedia Dell’Arte iniciou-se a partir do início do século […]

Circo armado

Circo

O circo é o lugar onde acontecem expressões artísticas que […]

características das cores matiz

Características das Cores

As características das cores podem ser descritas como matiz, tonalidade […]

As arenas eram o palco da comédia grega

Comédia Grega

A comédia grega é um dos gêneros do teatro da […]