Deus Hórus

Divindade soberana da mitologia egípcia

O deus Hórus, na mitologia egípcia, é tido como o deus do céu. Filho de Ísis (deusa da fertilidade e magia) e Osíris (deus da vegetação e senhor da vida pós morte), representa o poder, a luz e a realeza.

Simbolizado por um homem com cabeça de falcão, o deus Hórus é a própria manifestação do poder do sol, por isso também é cultuado como o deus do sol nascente. Diariamente lutava contra o exército das trevas para garantir o nascimento de um novo dia.

Esse deus supremo aparece nas histórias com vários nomes, que mudam de acordo com os locais de adoração. Os mais conhecidos são Heru-sa-Aset, Her'ur, Hrw, Hr, Hor-Hekenu ou Ra-Hoor-Khuit.

A Origem do Deus Hórus

Segundo as lendas egípcias, Hórus foi concebido quando Osíris já estava morto. Ísis, na forma de pássaro, pousou sobre o seu corpo e realizou a fecundação. Eles eram irmãos gêmeos e se apaixonaram ainda no ventre da mãe, a deusa Geb.

Antes do seu assassinato, Osíris governava a civilização egípcia juntamente com sua esposa. Ele foi morto pelo seu irmão Seth, que estava insatisfeito em dominar apenas o deserto. 

Desesperada com o sumiço do marido, Ísis saí em busca do amado e descobre que Set o cortou em partes. Ela procura por todo o Egito e consegue juntar os pedaços, exceto o órgão genital.

Em seguida, constrói um santuário para colocar os restos mortais do amado e substitui o órgão perdido por um falo de ouro. Anúbis, filho bastardo de Osíris, reconstrói o corpo do pai e, na figura de uma ave, Ísis se relaciona com ele. Dessa união nasce Hórus, predestinado a vingança.

Hórus x Set

Hórus travou diversas batalhas contra seu tio Seth. Em uma delas, perdeu o olho esquerdo, que foi substituído por amuleto de serpente. Os egípcios passaram a associar o olho ferido às fases da lua, pois cada um de seus lados representam o sol e a lua.

Após recuperação, realizou uma batalha final sobre Set e conseguiu matá-lo. A partir desse momento tornou-se governante do Egito e deus soberano.

Encarregado de unir o Alto e o Baixo Egito e de garantir o nascimento dos dias, o deus Hórus é o símbolo da luz, coragem e força. Além disso, o intermediário entre os seres humanos e as forças divinas, mantendo o equilíbrio cósmico.

Por ser filho de Osíris, também  é o mediador entre o mundo dos vivos e mortos, principalmente no momento do julgamento final.

Os egípcios acreditavam que os faraós eram reencarnações de Hórus. Homens nascidos para unir o céu e a terra, trazer prosperidade e combater o mal.

Imagem do Deus Hórus

O deus Hórus é representado de algumas formas, mas geralmente é descrito com corpo de homem e cabeça de falcão. Ele também aparece com asas de gavião, um disco solar sob a cabeça e na mão esquerda uma chave, que simboliza o controle da vida e morte.

Deus Hórus e seus nomes
Hórus era conhecido por muitos nomes: Rá, Heru-ur Hórus de Mesen, entre outros. (Foto: Wikipédia)

Em outros símbolos é descrito usando uma coroa branca e vermelha. A parte branca remete ao Alto Egito, e a vermelha ao Baixo Egito. 

A escolha do falcão para retratar a cabeça de Hórus se deu pelo fato do animal ser considerado um deus celeste. Os raios solares seriam como seus voos, movimento capaz de iluminar toda a Terra.

Olho de Hórus

Os povos egípcios acreditavam em objetos protetores. Entre os mais antigo encontra-se o olho de Hórus – amuleto que simboliza o olho perdido pelo deus na batalha com seu tio.

Olhos do deus Hórus
Olho que irradia luz e tudo vê. (Foto: Pixabay)

O olho, também chamado de Udyat, forma uma fração do sistema numérico egípcio. Acreditava-se que o amuleto oferecia força, coragem, prosperidade e sorte para quem os carregasse.

Segundo a história dos deuses egípcios, a fonte de poder do deus Hórus estava nos olhos — um dos lados representava o sol, o outro a lua. A parte do sol simbolizava o poder e a integridade física. Já o da lua, a essência da cura e a habilidade de enxergar as energias espirituais.

Nos rituais funerários o olho de Hórus era reproduzido em variados tamanhos. O falecido era enterrado ou mumificado com correntes, anéis e outros objetos marcados pelo símbolo.

Templo de Hórus

O culto ao deus do céu era recorrente em todo o Egito. No entanto, os principais templos de adoração eram nas cidades de Edfu, Behdet, Hierakonpolis e Buhen.

Em cada local era cultuado com diferentes nomes, sendo eles:

  • Harendotes (“Hórus, o salvador do seu pai”);
  • Harmachis (“Hórus do horizonte”);
  • Haroeris (“Hórus, filho de Ré”);
  • Harpócrates (“Hórus menino”);
  • Harsiese (“Horus, filho de Ísis”);
  • Harsomtus (“Hórus, o unificador”);
  • Horematawy (“Hórus, unificador das duas terras”).

O mais antigo é o de templo de Edfu, construído 100 a.C, pela dinastia de Ptolomeu III e Ptolomeu IV. O santuário possui desenhos e hieróglifos cravados na parede em formato de relevo, registrando todas as batalhas do deus Hórus com seus adversários.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

SANTOS, Thamires. Deus Hórus; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/deus-horus >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 17:47.

Copiar referência

Outros Artigos de Religião

Dez Pragas do Egito 7

Dez Pragas do Egito

As Dez Pragas do Egito foram dez desastres que ocorreram […]

catolicismo

Catolicismo

O catolicismo é uma religião cristã que se tornou oficial […]

Sincretismo e Religiões Afro-brasileiras

O sincretismo é definido como a fusão de várias religiões. […]

Igreja Ortodoxa

Igreja Ortodoxa

A Igreja Ortodoxa reúne a segunda maior comunidade cristã do […]