Dois Irmãos

Os intensos conflitos entre os gêmeos de origem libanesa

Dois Irmãos” é um romance de Milton Hatoum que apresenta um drama familiar centralizado nos dois filhos de um casal de imigrantes libaneses, os gêmeos Yaqub e Omar. Narrado por um personagem com posição bastante privilegiada, o fausto e a ruína dessa família é contada em uma história isenta de lições moralizantes ou advertências.

Resumo

A história dos dois irmãos tem início no século XX, quando o município de Manaus, capital da borracha, recebeu alguns estrangeiros, entre eles o jovem Halim, aprendiz de mascate, e Zana, uma menina que chegou sob a asa do pai, o viúvo Galib, dono de um restaurante perto do porto.

Mais tarde, Halim e Zana se casam. Zana era uma mulher linda e forte que, antes do nascimento dos filhos, vivia um amor ardente e despido de culpa com o marido Halim, que a amava incondicionalmente e fazia qualquer coisa para assegurar a felicidade da esposa.

Halim não pretendia ter filhos por temer que com a maternidade, Zana o deixasse de lado e não continuasse amando-o na mesma intensidade que até então o deleitava. Mas, mesmo essa ideia não estando nos seus planos, aceitou ter filhos para satisfazer o desejo da esposa.

Dessa união nasceram três filhos: os dois irmãos, Yaqub e Omar, e Rânia, a mais nova de todos. Apesar de serem gêmeos, Omar é considerado o caçula por ter nascido alguns minutos depois de Yaqub.

Ainda que tivessem a aparência completamente parecidas, chegando a confundir a própria mãe, os dois irmãos eram extremamente diferentes. No decorrer da narrativa é possível identificá-los da seguinte forma:

  • Yaqub é estudioso, tímido, conservador e racional, construiu sua vida independentemente de ajuda.
  • Omar era o protegido pela mãe, mimado, beberrão boêmio, irresponsável, vagabundo e conquistador.

Os Dois Irmãos: Omar x Yaqub

A angústia dos irmãos, desde a infância, decorre da disputa pelo amor e atenção da mãe, motivo para viverem permanentemente em conflito. As diferenças entre os personagens, que parecem vir do berço, tornam-se cada vez mais acentuadas ao longo dos anos.

Capa do livro Dois Irmãos
Livro “Dois Irmãos” de Milton Hatoum. (Foto: Saraiva)

Um dos principais embates entre os gêmeos tem como pivô Lívia, uma jovem garota pela qual os dois se apaixonam. Em uma primeira ocasião, durante um baile de jovens, Zana ordena que Yaqub seja o responsável por levar a irmã Rânia para casa, mais uma de suas artimanha para favorecer Omar.

Mas durante outro encontro dos jovens da região, desta vez em uma sessão de cinematógrafo na casa dos vizinhos, Yaqub e Lívia são pegos trocando caricias após uma pane no equipamento projetor que deixou a sala completamente escura e, em seguida, acendeu inesperadamente.

Como sempre agressivo, Omar se vinga de Yaqub cortando seu rosto com uma garrafa, deixando uma cicatriz para o resto da vida. A marca em forma de meia-lua torna-se o diferencial e o símbolo do ódio entre os gêmeos.

Para evitar uma tragédia familiar e amenizar essa rivalidade, o pai decide mandar os dois para o Líbano. No entanto a mãe intervém para que Omar fique em Manaus, justificando que este tem saúde mais frágil.

Assim, Yaqub é enviado para uma aldeia no sul do Líbano e constata a predileção da mãe por Omar. Longe da convivência familiar, retorna ao Brasil cinco anos depois. Agora um homem triste, sempre pensativo e principalmente misterioso.

Sem conseguir perdoar a família, Yaqub muda-se para São Paulo para dedicar-se aos estudos, revelando um excelente aluno. Anos mais tarde, Yaqub formou-se em engenharia, prosperou profissionalmente e casou-se com Lívia sem a família saber.

Enquanto isso, Omar enganava aos pais dizendo que o dinheiro que pedia era para os estudos, embora gastasse tudo com festas e mulheres.

Mesmo sendo a figura problemática e indisciplinada de sempre, a mãe o defendia cegamente, provocando ciúmes em Halim, já que Zana venerava o filho. O pai torcia para que o caçula se casasse logo, sonhando em ter de volta o amor da esposa, mas Zana via as pretendentes de Omar como uma ameaça e afastava todas.

Um Halim velho e nostálgico contou sobre o passado ao narrador. Devido aos dissabores da vida, Halim saía para beber e sumia por horas. Assim, Nael, o filho da emprega da família, era incumbido de ir atrás dele e levá-lo para casa, a pedido de Zana.

Cansada das aventuras amorosas de Omar, a mãe decide mandá-lo para morar em São Paulo. O irmão não aceita hospedá-lo em sua casa, mas o gêmeo caçula arruma uma forma de se aproximar da empregada do engenheiro para frequentar sua casa, neste momento descobre a identidade da esposa de Yaqub.

A ruína da família

Halim, o patriarca da família, morreu desgostoso. Seguidamente, Yaqub retorna a Manaus com intuito de construir um hotel na cidade, mas o irmão o acusa de roubar seu projeto, o agride e acaba preso.

Nesse tempo, ocorre a morte de Zana. O casarão que habitavam era servido por Domingas, a empregada índia, e também pelo filho de pai desconhecido que ela terá. Assim, Rânia passa p quartinho nos fundos da casa para posse de Nael.

Por fim, o narrador cita a morte de Yaqub. Omar sai da cadeia pouco antes de cumprir sua pena, já velho, se depara com a casa vendida e a mãe falecida. Na última cena do romance, chove torrencialmente e o caçula aparece diante do narrador.

Olha-o fixamente, parece estar prestes a pedir perdão, mas recua e então desaparece sem deixar pistas.

O narrador da história

O narrador de toda história da família libanesa é um mistério a ser descoberto com o decorrer da narrativa. Em dado momento fica claro que quem conta essa história é Nael, o filho da empregada.

Trinta anos depois dos acontecimentos, ele conta os dramas que testemunhou calado com o intuito de descobrir qual dos dois irmãos era realmente seu pai. Estimava Yaqub e buscava nele todos os sinais possíveis para confirmar o parentesco.

Mas, só põe fim a sua dúvida após todos os acontecimentos narrados, quando Domingas fica doente e antes de morrer revela que fora estuprada por Omar. Nael fica desconsolado porque era filho do gêmeo que não admirava. O narrador continua morando no quartinho dos fundos, sua única herança, agora independente.

Análise do livro “Dois Irmãos”

O romance de Milton Hatoum, publicado em 2000, tem como plano de fundo a história de imigrantes que se dedicam ao comércio, em um local que vê aprofundar-se sua decadência, após o período de grande efervescência econômica e cultural vivido no início do século XX.

Além disso, o autor retrata o imigrante como um sujeito dividido, que sofre uma espécie de dualidade de pátria, realizando uma metáfora dessa dualidade através dos dois irmãos. Omar identifica-se com o Brasil, já Yaqub sente-se um estrangeiro, diferente, mesmo nascido no Brasil.

Centrada nos conflitos familiares, a obra de Hatoum aborda algumas temáticas como:

  • a história do imigrante de origem árabe no Brasil;
  • a expansão comercial da região norte;
  • o retrato de uma sociedade pequena e burguesa.

Sem seguir uma cronologia linear, os problemas vão sendo revelados ao leitor aos poucos, conforme o narrador rememora os fatos e os apresenta com o intuito de esclarecer as perguntas que vão se formando em torno da história.

Com o romance “Dois irmãos”, Milton ganhou o Prêmio Jabuti de 2000, da Academia Brasileira de letras (ABL), confirmando a aprovação do público e da crítica. Além disso, a obra foi adaptada para o teatro, quadrinhos e televisão.

Principais personagens da obra

  • Yaqub: primeiro gêmeo, estudioso, inteligente, racional, retraído e introspectivo. Casa-se com Lívia, sua paixão de infância;
  • Omar: segundo gêmeo (considerado o caçula), mimado, protegido de Zana, boêmio, mulherengo, sedutor com a mãe e a irmã;
  • Zana: esposa de Halim e mãe dos gêmeos. Figura responsável por moldar o destino do marido e dos filhos;
  • Halim: imigrante, melhorou de vida ao se casar com Zana. Perdeu o amor da esposa para o filho caçula e morreu de desgosto;
  • Rânia: irmã dos gêmeos e filha caçula da família. Não se casa e dedica-se inteiramente ao comércio;
  • Lívia: moça por quem os dois irmãos são apaixonados e mais tarde casa-se escondido com Yaqub;
  • Domingas: órfã que veio do interior trazida por uma freira e tornou-se empregada da família. Mãe de Nael, o narrador da história;
  • Nael: narrador-personagem da história. Filho de Domingas, empregada da família, apaixonado por Rânia e filho de um dos gêmeos, mas não tem certeza de qual deles.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

BRITO, Samara. Dois Irmãos; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/dois-irmaos >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 15:42.

Copiar referência