Dom Pedro I

O Imperador que deu o grito de Independência do Brasil

Dom Pedro I foi o primeiro Imperador do Brasil e Rei de Portugal. Seu nome original era Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon.

Dom Pedro I foi o responsável por proclamar a independência brasileira da corte portuguesa e por outorgar a primeira Constituição do país, em 1824.

Biografia

Dom Pedro I
Dom Pedro I foi o primeiro Imperador do Brasil. (Foto: Wikimédia Commons)

Dom Pedro I nasceu no dia 12 de outubro de 1798, no Palácio Real de Queluz, em Portugal. O nome Pedro foi dado em homenagem a São Pedro de Alcântara. Era o quarto filho de Dom João e Dona Carlota Joaquina. Em 1801, com a morte do seu irmão mais velho, ele se tornou o herdeiro do seu pai, recebendo o título de Príncipe da Beira.

Com apenas nove anos de idade, em novembro de 1807, Napoleão Bonaparte e o seu exército invadiram Portugal, obrigando a fuga da família real de Lisboa. Em março do ano seguinte, após uma longa viagem de navio, a corte desembarcou no Rio de Janeiro, atual capital do Brasil, e a maior colônia de Portugal. A família se hospedou na Quinta da Boa Vista.

Além do latim, Dom Pedro I estudava inglês, francês, música e praticava equitação. Tocava vários instrumentos, como piano, flauta e violão, e tinha boa voz para o canto. Também mostrava talento para o desenho e o artesanato.

Com enorme fama de conquistador, casou-se em 1817 com a Imperatriz Leopoldina. A Arquiduquesa Leopoldina Carolina Josefa Francisca Fernanda de Habsburgo-Lorena, era filha do Imperador Francisco I, da Áustria, e foi escolhida para ser esposa de Dom Pedro I por conta de negociações diplomáticas. Os dois se casaram a distância, por procuração. Só em 1822 que a Imperatriz passou a viver com o marido, no Rio de Janeiro. O casal teve juntos sete filhos: Maria da Glória, Miguel, João Carlos, Januária, Paula, Francisca e Pedro de Alcântara.

Em 1826 Leopoldina morreu, depois de perder um bebê e sofrer com o desgosto e falta de amor do marido. Em 1829 ele casou-se novamente, com Amélia Eugênia Napoleão de Leuchtenberg, com quem teve uma filha.

Depois de nove anos como Imperador do Brasil, Dom Pedro I abdicou do trono no dia sete de abril de 1831, deixando em seu lugar o seu filho com Leopoldina, Pedro de Alcântara, que no momento só tinha cinco anos de idade e se tornou Dom Pedro II, novo Imperador do Brasil.

De volta à Portugal, recebeu o título de Duque de Bragança. No dia 27 de setembro de 1834, Dom Pedro I morreu, vítima de uma tuberculose, no mesmo local onde nasceu, no Palácio de Queluz, em Portugal. Ele foi sepultado no Panteão de São Vicente de Fora, com as honras de um simples general, como foi decidido por ele.

Dia do Fico

A Revolução Liberal do Porto, em 1820, mostrou para o mundo a grave crise social e política que acometia Portugal. Por conta disso, no dia 26 de abril de 1821, Dom João VI retornou à Portugal com a sua corte, deixando Dom Pedro I como Príncipe Regente do Brasil. O que a corte de Lisboa queria, entretanto, era que o Príncipe também voltasse para Portugal, deixando o Brasil novamente como sua colônia.

O pedido de Portugal não agradou os brasileiros, que fizeram um abaixo-assinado com oito mil assinaturas, pedindo a permanência do Príncipe no Brasil. No dia 9 de janeiro de 1822, ele declarou que ficaria no país, dizendo o seguinte:

Como é para o bem de todos e felicidade geral da nação, estou pronto. Diga ao povo que fico.

Esse dia ficou conhecido então como o “Dia do fico”, e representa mais um rompimento com Portugal. Por conta disso, o país deixou de fazer o pagamento dos rendimentos para Dom Pedro I.

Veja um pouco mais sobre o Príncipe no vídeo:

Independência ou Morte

O Brasil passava por um momento de desgaste econômico, por conta das imposições de Portugal, que restringiu os gastos e aumentou os impostos. Isso acontecia porque o desejo de Portugal era que o Brasil voltasse a ser uma colônia da Coroa Portuguesa. Além disso, a elite política brasileira lutava para conquistar os seus poderes e ter autonomia política no seu próprio país.

Depois do “Dia do fico”, Dom Pedro I começou a tomar algumas medidas para a preparação do país para a sua Independência, como organizar a marinha de guerra e convocar uma Assembleia Constituinte. Ele determinou o retorno das tropas portuguesas e fez visitas aos locais onde a população estava mais agitada com o que vinha ocorrendo no país, como São Paulo e Minas Gerais.

Em uma viagem de Santos para São Paulo, Dom Pedro recebeu da Coroa Portuguesa uma carta exigindo a sua volta à Portugal imediatamente, e anulava a Constituição encabeçada por ele. Por conta disso, às margens do Rio Ipiranga, o Príncipe deu o seu grito de Independência: “Independência ou Morte”.

Independência do Brasil
A Independência do Brasil ocorreu no dia 7 de setembro de 1822. (Foto: Wikipédia)

Sendo assim, no dia 7 de setembro de 1822 aconteceu a Independência do Brasil. O país deixou de ser uma colônia de Portugal, e passou a ter mais autonomia nas suas decisões. Após a Independência, Dom Pedro I foi coroado Imperador do Brasil.

Curiosidades sobre Dom Pedro I

  • Dom Pedro I mantinha a fama de conquistador e sustentou diversas amantes ao longo da sua vida. A mais famosa delas é Domitila de Castro Canto e Mello. Eles se conheceram em 1822, dias antes da proclamação da Independência do Brasil. Ela se tornou a mais importante e duradoura amante do Príncipe e chegou a ser nomeada como viscondessa de Santos, e depois marquesa de Santos. O relacionamento dos dois era muito mal visto pela sociedade, por conta do sofrimento que causava na Princesa Leopoldina. Os dois só romperam os laços em 1829, com o segundo casamento de Dom Pedro.
  • Dom Pedro era muito agitado e efusivo. Estava sempre fazendo alguma coisa, sem parar para descansar. Apesar de ser considerado inteligente e um leitor assíduo, ele não tinha muita paciência para as aulas, sempre dispensando os seus professores para ir fazer algo que ele considerava mais importante, como montar a cavalo, por exemplo.
  • Apesar da hiperatividade, Dom Pedro I sofria com crises de epilepsia. Os ataques epiléticos aconteciam desde a sua infância, e existem relatos de que ele chegou a ter três ataques sucessivos em um único dia.

Citações

Aqui têm a minha abdicação. Estimarei que felizes. Retiro-me para Europa e deixo um país que sempre amei e que amo ainda.

Viva a independência e a separação do Brasil. Pelo meu sangue, pela minha honra, pelo meu Deus, juro promover a liberdade do Brasil. Independência ou morte!

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Pina, Cíntia. Dom Pedro I; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/dom-pedro-i >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 14:38.

Copiar referência