Durkheim

O sociólogo dos fatos socias

Émile Durkheim
Émile Durkheim. (Foto: Wikipédia)

Durkheim foi um dos homens mais importantes da sociologia moderna positivista. Junto com Karl Max e Max Weber formam os grandes nomes do estudo da sociedade e do trabalho.

Ele foi um antropólogo, cientista político, psicólogo social e filósofo francês. Nasceu em 15 de abril de 1858 e faleceu em 15 de novembro de 1917.

Émile Durkheim foi também um sociólogo, um dos mais positivistas da França, isso porque sofreu grande influencia do pai da sociologia e criador do positivismo, Augusto Comte. Durkheim também teve tradição nas escolas do funcionalismo e evolucionismo.

Os principais conceitos abordados pelo francês foram: fato social, consciência coletiva, anomia, divisão do trabalho e suicídio.

História

Durkheim nasceu em Épinal, antiga região da Lorena, na França. Sua família tinha uma grande tradição religiosa judia, isso é provado pelo fato de seu pai, avô e bisavô terem sido rabinos.

Ele estudou em uma escola rabínica, ou seja, sua família queria prepará-lo para seguir o mesmo caminho do pai. Entretanto, Durkheim não se agradou de conduzir a vida assim e decidiu cedo mudar de escola.

Ao contrário do que os familiares desejavam, ele tinha uma visão secular dos acontecimentos da vida e buscava mostrar que os fenômenos religiosos eram resultados da sociedade e não de fatores divinos.

Apesar de seguir a vida contrária às crenças da família, o estudioso não cortou os laços sanguíneos e nem se separou por completo do judaísmo. Inclusive, ao longo da vida, teve muitos alunos judeus por causa da sua proximidade com a religião.

Com 21 anos, Émile Durkheim entrou na Escola Normal Superior de Paris, uma das mais renomadas da capital francesa. Foi durante sua passagem por lá que ele conheceu a literatura de Augusto Comte e passou a se interessar pelo positivismo.

Além de Comte, Durkheim teve acesso a escritores como Herbert Spencer, conhecido por representar o liberalismo clássico. Na Escola Normal Superior de Paris ele estudou sob a direção de Numa Denis Fustel de Coulanges e escreveu sua dissertação, em latim, sobre Montesquieu.

Hoje, Émile Durkheim é nomeado como um dos patronos da sociologia, mas em sua vida foi professor de filosofia e dedicou-se muito a renovar, até então, a recém criada sociologia.

Busto de Émile Durkheim
Busto de Émile Durkheim. (Foto: Wikipédia)

Durkheim na Alemanha

Depois de estudar na França e ter os primeiros contatos com os ideais de Augusto Comte, o filósofo foi para Alemanha onde descobriu mais sobre o empirismo (método de pesquisa através da experiência prática).

Ainda em sua estadia na Alemanha, Durkheim fez inúmeros artigos sobre a sociedade alemã. Por lá ele deu aulas na Universidade de Bordeaux, iniciou o curso de ciências sociais da universidade.

Émile Durkheim participou de um processo de reconhecimento das ciências humanísticas, que cresceu muito quando se tornou professor de ciências sociais em Bordeaux.

Visão política e morte

Durante o ano de 1892, o cientista humanista publicou sua obra Da Divisão do Trabalho Social, que foi sua tese de doutorado. Isso ajudou a revelar sua inclinação política para a esquerda, admirava o socialismo.

Nesse período a direita francesa crescia e a Primeira Guerra Mundial dava indícios de que iria acontecer. Ambos os acontecimentos influenciaram muito para o final da vida do sociólogo: a direita o perseguia e a guerra alistou muitos dos seus alunos.

Diversos estudantes estavam nas trincheiras guerreando pela França, inclusive um filho do filósofo, André Durkheim.

Todo o momento social que o mundo vivia mais a morte do filho na guerra, levou ao humanista ficar emocionalmente devastado. Tudo isso culminou em um AVC, Acidente Vascular Cerebral, do qual não resistiu e faleceu. Ele foi enterrado no cemitério de Montparmasse, em Paris.

A sociologia de Émile Durkheim

O primeiro passo para entender a sociedade na visão de Durkheime é conhecer o conceito do termo “fatos sociais”, que ele define na obra “As Regras do Método Sociológico“:

Consiste em modos de agir, pensar e sentir externo ao indivíduo, que são investidos com um poder coercivo capaz de exercer um controle sobre o mesmo.

A visão sociológica de Durkheim é formada a partir do distanciamento do indivíduo quando quer entender e estudar a sociedade.

Para ele era necessário estudar os fatos sociais como coisas. E quando o sociólogo se distancia da sociedade para entendê-la, consegue fugir do senso comum.

Ele entendia também que o estudo da sociedade depende do estabelecimento de regras e de linhas de estudo.

Portanto, entender a sociedade, segundo Émile Durkheim, significa se limpar dos valores morais e fazer uma análise sem preconceitos.

O sociólogo acreditava ainda que a sociedade é um organismo, ou seja, tem vida própria e se auto conduz, independente das pessoas em geral, que são os indivíduos sociais.

Solidariedade

Para construir o pensamento e conceituar o que se chama de fato social, e compreender que a sociedade independe do indivíduo, Durkheim falou também sobre o conceito de sociedade: orgânica e mecânica.

A sociedade orgânica é referente à vida mais complexa, de maneira que as funções sociais dos indivíduos são especializadas e interdependentes. A divisão do trabalho e o poder econômico também são complicados.

Já a sociedade mecânica é conceituada como simples, já que não há divisões de trabalho. E por tudo isso o poder econômico é descomplicado.

Em um exemplo prático, Émile Durkheim acreditava que uma sociedade indígena era mecânica, assim como qualquer grupo tribal. Enquanto a sociedade em que ele viveu, e que existe hoje, a capitalista é orgânica.

Suicídio

O Suicídio foi o título de uma das obras literárias de Durkheim. Ele tratava o tema como fato social que devia ser analisado dentro de três perspectivas:

Suicídio

Descrição

Anômico

Acontece quando a sociedade está em crise e se degrada. Logo o indivíduo perde as esperanças. Exemplo: pessoas que se mataram no confisco das poupanças, que ocorreu no Governo de Collor, no Brasil.

Egoísta

Quando o indivíduo não se sente parte da sociedade em que vive, independente da degradação ou colapso do meio em que ele está. Exemplo: uma pessoa que tira a vida por não ter uma sexualidade heteronormativa.

Altruísta

É o suicídio feito por quem quer defender a sociedade que pertence. Exemplo: soldados que vão à frente de guerras para defender a sua pátria.

Citações

A construção do ser social, feita em boa parte pela educação, é a assimilação pelo indivíduo de uma série de normas e princípios — sejam morais, religiosos, éticos ou de comportamento — que balizam a conduta do indivíduo num grupo. O homem, mais do que formador da sociedade, é um produto dela.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Oliveira, Ana Cláudia. Durkheim; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/durkheim >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 14:58.

Copiar referência