Redação Enem

Redação Enem! Sem dúvida, essa é uma das partes mais importantes do exame.

É comprovado que a nota da redação no Enem tem mais influência na média final do que acertar todas as questões objetivas. Essa última possibilidade é mais difícil por conta, principalmente, do sistema de correção nomeado Teoria de Resposta ao Item (TRI). Detalharemos isso mais à frente.

Dessa forma, dedicar um tempo significativo para estudar redação, analisar temas de provas anteriores, estudar as técnicas e praticar são as melhores formas de se dar bem nessa prova.

Garoto equilibrando livros para estudar
(Gif: Giphy)

Se você está se perguntando, “Redação Enem, por onde devo começar a estudar?”, continue lendo esse texto, pois o Guia Estudo reuniu as principais informações que você precisa saber para se preparar e te ajudar a fazer uma redação nota mil.

Redação Enem: o que esperar?

Para alguns, a Redação do Enem não chega a ser considerada um problema. Para outros, conseguir colocar no papel de maneira organizada as ideias a respeito do tema proposto é um desafio e tanto.

Em ambos os casos, a prática é a melhor dica. Você pode ter muita facilidade para escrever, adorar compor, redigir poemas maravilhosamente bem, transcrever pensamentos, mas se não souber usar as técnicas adequadas de redação, o resultado não será o esperado.

No Enem, é apresentado uma frase-tema, normalmente sobre algum assunto que tenha um impacto na sociedade, e é exigido do candidato uma proposta de intervenção. Geralmente, o enunciado é acompanhado por textos de apoio, como quadrinhos, ilustrações, pesquisas científicas ou notícias.

O objetivo da redação do Enem é avaliar a capacidade de análise crítica, argumentação e articulação de soluções do candidato sobre temas importantes. Portanto, para conseguir uma boa pontuação é imprescindível estar atualizado sobre o que está acontecendo no Brasil e no mundo e conseguir pôr no papel ideias e pensamentos sobre determinado assunto seguindo as regras.

Plano de estudos

Conforme dissemos, a preparação para a Redação do Enem requer muita leitura e prática. Além disso, é fundamental conhecer as técnicas do texto dissertativo-argumentativo, que é o tipo textual cobrado no exame.

Vamos relembrar essa estrutura?

Veja também:

Texto dissertativo
Redação
Veja dicas de como estudar para a prova
Aprenda como estudar mais

Dissertação argumentativa

Esse tipo de texto cobrado na Redação do Enem se caracteriza pela defesa de um ponto de vista sobre determinado tema. Para isso, é necessário usar argumentos, fatos ou dados que reforcem e justifiquem as ideias apresentadas.

A dissertação argumentativa pode ser:

Objetiva: as ideias são apresentadas de forma impessoal, sugerindo uma imparcialidade e, por isso, é escrita na terceira pessoal do plural.

Subjetiva: é utilizada a primeira pessoa do singular (eu), mostrando de forma explícita que os argumentos são decorrentes da opinião pessoal de quem escreve.

No Enem, recomenda-se a utilização da dissertação objetiva. É importante que você escolha mantenha o mesmo estilo até o fim do texto. Se o texto começou de forma objetiva, ele deve ser todo escrito dessa forma.

Definido o estilo do texto, chegou o momento de reunir as ideias sobre o tema exposto e os argumentos para defender sua ideia de maneira clara e organizada. Esses argumentos também podem ser classificados em quatro tipos:

Argumento de autoridade: é quando se utiliza o conhecimento de um especialista para reforçar a ideia apresentada, trazendo credibilidade para o texto.

Argumento de consenso: a ideia exposta não precisa de uma fonte, pois é um consenso global, como por exemplo, a importância do investimento na educação para o desenvolvimento de um país.

Comprovação pela experiência ou observação: quando são apresentados dados, pesquisas que comprovem a veracidade do que foi afirmado, como estudos do IBGE, por exemplo.

Fundamentação lógica: os argumentos são baseados na análise lógica de determinado fato, como causa e consequência. Se as florestas são fundamentais para o equilíbrio do meio ambiente, não se pode concordar com o desmatamento, por exemplo.

Essas são algumas possibilidades de como fazer uma boa Redação no Enem. Vale rememorar também que a estrutura de uma redação dissertativa-argumentativa é composta de título, introdução, desenvolvimento e conclusão. Vamos rever um pouco mais sobre cada uma dessas partes.

Título

Na Redação do Enem, o título não é obrigatório. Porém, ele pode ser um diferencial no seu texto se você souber aproveitá-lo a seu favor, conseguindo chamar a atenção. Quer saber como? Veja algumas dicas!

  • O título é a síntese do tema abordado, portanto, tente usar palavras que definam a ideia central do seu texto;
  • Ele deve ser curto e objetivo e não deve ser maior que a metade da linha;
  • Não copie o tema dado pela banca;
  • O título pode ser uma expressão sem verbo, sem necessariamente, ser uma oração completa;
  • Abuse da criatividade. Fuja de frases prontas ou chavões, porém, lembre-se que a simplicidade é fundamental;
  • Por fim, não utilize ponto final (no caso de uma oração sem verbo) e use letras maiúsculas apenas nas palavras que a exijam;
  • Você pode deixar para fazer o título após escrever todo o texto. Com todas as ideias expostas pode ficar mais fácil elaborar um título que impressione a banca examinadora.

Introdução

Como começar uma redação? A introdução é a parte inicial do texto. É nela que o leitor vai ter noção do que será apresentado no desenrolar da redação. Portanto, o tema deve ser exposto já na primeira frase, que também deve conter, resumidamente, a linha de raciocínio do autor.

#ficaadica! A introdução é a apresentação do que vai ser exposto. A argumentação deve ser colocada no desenvolvimento, que será explicado mais abaixo. Então, não misture introdução com desenvolvimento.

O ideal é que a introdução tenha de quatro a seis linhas. Uma estratégia que pode facilitar é fazer a seguinte pergunta: o que eu penso sobre esse tema? Isso te dará um norte sobre o seu posicionamento em relação ao assunto proposto.

Desenvolvimento

É no desenvolvimento que serão colocados todos os argumentos para defender a ideia, a linha de raciocínio a respeito do tema proposto e é a parte que possui mais critérios de avaliação e onde serão explicadas cada frase da introdução.

Pegue a folha de rascunho e escreva tudo que vier à sua mente sobre o tema e em seguida esquematize as ideias, enumerando o que deverá ser colocado no texto e de que forma. Comece pela ideia central, suas possíveis causas e consequências e, em seguida, apresente os argumentos de acordo com o seu ponto de vista.

O desenvolvimento deve ter de dois a quatro parágrafos e é imprescindível seguir uma ordem lógica, para que as frases tenham coerência e passem a ideia que se deseja. Dessa forma, podemos dividir o desenvolvimento em três partes:

Tópico frasal: ideia central que será defendida, suas possíveis causas e consequências.

Comprovação: apresentação dos dados, fatos, pesquisas ou exemplos que reforcem e/ou justifiquem o ponto de vista.

Fechamento: é a finalização do parágrafo.

Conclusão

A conclusão é o encerramento do texto e deve entre quatro e seis linhas. Essa última parte da redação deve resumir todos os argumentos apresentados, sem ser repetitivo, além de propor uma intervenção social viável para o assunto abordado.

Para finalizar o texto com consistência, você pode fazer três perguntas? O que fazer para resolver a situação? Quem poderá executar? De que forma? Esses questionamentos podem te ajudar a elaborar uma conclusão de forma mais fácil, sem deixar lacunas, com clareza e objetividade.

Temas dos últimos anos

Nos últimos anos, o Enem abordou assuntos relacionados à sociedade brasileira. Para se inspirar e ajudar nos seus estudos, o Guia Estudo listou os temas dos últimos 10 anos:

  • 2017 –  “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”.
  • 2016 – “Caminhos para combater o racismo no Brasil” e “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”.
  • 2015 – “A persistência da violência contra a mulher no Brasil”.
  • 2014 – “Publicidade infantil em questão no Brasil”.
  • 2013 – “Lei Seca no Brasil”.
  • 2012 – “Movimento imigratório para o Brasil no século 21”.
  • 2011 – “Viver em rede no século 21 – os limites entre o público e o privado”.
  • 2010 – “O trabalho na construção da dignidade humana”.
  • 2009 – “O indivíduo frente à ética nacional”.
  • 2008 – “Como preservar a floresta Amazônica”

Aproveite esses temas para praticar como seria a sua redação sobre esses assuntos.

Fique atento!

No início do texto citamos o método de avaliação do Enem, a Teoria de Resposta ao Item (TRI). Esse sistema é capaz de analisar as questões acertadas por cada candidato e dar um peso específico para cada uma delas.

O principal objetivo dessa ferramenta é evitar que o candidato seja beneficiado com os “chutes” na hora de responder a prova, valorizando ainda mais a preparação, leitura e concentração.

Você deve estar se perguntando como isso é possível. Bem, as perguntas são divididas em fáceis, médias e difíceis sem estarem sinalizadas, ou seja, o candidato não sabe qual questão pertence a determinado grupo.

Por meio das estatísticas e teorias matemáticas, o TRI analisa, por exemplo, se o aluno errou muitas perguntas do grupo “fácil” e acertou mais da categoria “difícil”, o que estatisticamente é improvável, o que subentende-se que o candidato chutou a resposta e, consequentemente, a média dele cai.

Em suma, a média não depende apenas do valor absoluto de acerto, mas das dificuldades das questões que se acertou.

No caso da Redação do Enem, esse sistema não é utilizado, daí a importância de elaborar um bom texto, que possa ajudar a aumentar a média final, pois ela é a única prova em que é possível tirar nota máxima. De acordo com a soma das cinco competências avaliadas no texto, o candidato pode receber uma nota entre 0 e 200. Sendo assim, a redação é um critério de desempate na disputa por uma vaga na universidade.

Agora que você já sabe como fazer uma redação para o Enem, veja mais algumas dicas para o dia da prova!

Use o tempo a seu favor

Relógio
(Gif: Giphy)

Agora que você já sabe a importância da Redação do Enem, já conheceu todas as técnicas do texto dissertativo-argumentativo, acompanha os principais acontecimentos do Brasil e do mundo, você precisa também calcular o tempo que precisará para escrever a redação, afinal de contas, ela exigirá um período significativo.

Você pode começar a praticar em casa da seguinte forma:

  • Planejamento: use entre cinco e oito minutos;
  • Parágrafos: se o texto for estruturado em quatro parágrafos (um para a introdução, três para o desenvolvimento e um para a conclusão), tente escrever cada um em 10 minutos, totalizando 40 minutos, podendo variar para mais ou menos em alguns parágrafos;
  • Revisão: separe sete minutos para revisar todo o texto no rascunho para identificar possíveis erros de gramática ou ortografia;
  • Passar a limpo: em 25 minutos para você passar o rascunho a limpo.

Praticando dessa forma, você conseguirá aproveitar o seu tempo de prova com mais tranquilidade.   

Esperamos ter ajudado nesse processo de preparação para a redação do Enem! Com foco, determinação e prática é possível realizar um texto interessante e consistente, que fará toda a diferença no resultado final do exame. Isso vale também para as provas demais disciplinas.

Estude com dedicação todos os assuntos que constam no edital, analise as habilidades exigidas para cada prova e tente desenvolvê-las. Pode parecer algo “de outro mundo”, mas não é.

Se muitos conseguem fazer uma boa prova e conseguir uma vaga na universidade, você também é capaz de conseguir!