Energia eólica

Recurso que transforma o vento em energia elétrica

A energia eólica é uma maneira sustentável de transformar o vento em eletricidade, sendo o exemplo de energia renovável mais recomendado em substituição às fontes não renováveis que fazem o uso de combustíveis fósseis.

Origem da energia eólica

A utilização da energia eólica tornou-se mais forte após a crise do petróleo que atingiu a Europa no anos 70. Nessa época, o medo de uma possível escassez do petróleo fez com que os europeus buscassem outras fontes de energia.

No entanto, a origem da energia eólica data de tempos mais antigos, quando as civilizações perceberam que a força do vento poderia ser utilizada para gerar energia em sistemas de moagem de grãos, movimentação de barcos, bombeamento de água, dentre outros.

Como funciona?

O vento é transformado em energia elétrica com a ajuda de um equipamento chamado de “aerogerador”, uma turbina com formato semelhante ao de um cata-vento. Ele funciona a partir da comunicação que é feita com um eixo central e este, por sua vez, é acoplado a uma caixa multiplicadora (Gearbox), na qual  é incrementada a velocidade da rotação.

Os aerogeradores são colocados estrategicamente em zonas ventosas, que normalmente são as zonas de maior altitude. Assim, a força do vento faz com que as pás (hélices) das turbinas se movimentem.

Existem três tipos principais de sistema eólico. São eles:

  • Sistema híbrido: esses sistemas produzem energia elétrica simultaneamente com outra fonte eletroprodutora. Tal fonte poderá ser de origem fotovoltaica, ou de geradores elétricos de diesel e biodiesel;
  • Sistema isolado: são todos os sistemas privados de energia elétrica originários da rede pública. Ele é usado para abastecer algumas regiões, pois esse sistema armazena a energia do aerogerador em baterias estacionárias, evitando que falte energia quando a turbina parar;
  • Sistema interligado à rede: sistemas que inserem a energia que eles mesmo produzem na rede elétrica pública. A maioria destes aerogeradores são os de alta tensão. Além disso, o sistema apresenta uma economicidade de energia, visto que o produtor lança de volta na rede o que não foi consumido, resultando em uma grande eficiência energética.

A um aglomerado ou concentração de geradores dá-se o nome de parque eólico. O espaço que ele ocupa pode ser marítimo, chamado de offshore ou terrestre, denominado onshore.

Atualmente, a maior turbina eólica do mundo encontra-se instalada no Havaí. Ela tem cerca de 20 andares e pás, que correspondem ao tamanho de um campo de futebol.

Vantagens e desvantagens

Como todo recurso, a energia eólica apresenta vantagens e desvantagens. Entre as vantagens estão: a diminuição na emissão de gases poluentes; não gera resíduos; redução da dependência de combustíveis fosseis; retorno rápido do investimento, visto que em 6 meses é possível recuperar o que foi investido na instalação.

Como desvantagem a energia eólica pode apresentar uma certa poluição visual, visto que são instalados em áreas livres; impactos sobre a fauna, quando se trata da possível colisão com aves e morcegos e poluição sonora. Porém, nesse último caso, os fabricantes alegam que os modelos mais recentes não fazem tanto barulho.

Segundo uma estimativa feita pelo Ministério das Minas de Energia, o consumo médio de energia de uma residência é de aproximadamente 166 KWh/mês. Para o órgão, uma única turbina seria capaz de produzir energia suficiente para abastecer até 300 casas.

Diante disso, a energia dos ventos tornou-se alvo dos grandes países que se importam com os impactos ambientais causados pelas fontes de energias não renováveis. À nível global, ela apresenta um crescimento de cerca de 25% por ano.

Hoje em dia, mais de 80 países adotaram a energia eólica como estratégia para a produção de energia elétrica. Entre eles estão os países da Europa, a exemplo de Portugal, Itália e França, a China, dona de 1/4 da capacidade eólica mundial, Estados Unidos, índia, Canadá, Suécia, Austrália, Reino unido, Brasil, etc.

Energia eólica no Brasil
Parque eólico em Osório, Rio Grande do Sul. (Foto: Wikipedia)

Energia eólica no Brasil

O Brasil, conforme um relatório emitido pela Global Wind Energy Council (GWEC), é o décimo quinto país com o maior potencial eólico instalado no mundo. No país, a exploração comercial de energia eólica teve início em 1992, momento em que foi instalado o primeiro aerogerador em Fernando de Noronha (PE).

 A partir da criação do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa), em 2002, foi que o setor elétrico apresentou um rápido crescimento, pois o incentivo proporcionou a instalação de novos geradores em diversas locais.

No final de 2006, o país já tinha uma capacidade de produção de 237 MW. Segundo a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEE), somente em 2012, 38 novos parques eólicos foram instalados, alcançando um total de 108 empreendimentos.

Atualmente, a matriz conta com 298 usinas eólicas instaladas, o que torna o país líder do setor no mercado sul-americano. Os estados que ajudaram o país a conquistar esse título foram: Rio Grande do Sul, liderando a produção, Bahia e Ceará.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

MENDONÇA, Camila. Energia eólica; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/energia-eolica >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 22:29.

Copiar referência

Outros Artigos de Biologia

Celoma

O Celoma tem origem do latim “cele” que significa “cavidade”. […]

Cavalo Marinho

O Cavalo Marinho é da espécie do Hippocampus, um gênero […]

Cavalo

O Cavalo é um animal mamífero que pertence a um […]

Caule

O Caule é o órgão que conduz as seivas das […]