Enfim ou em fim

Advérbio e locução adverbial que expressam ideias distintas

Saber quando usar “enfim” ou “em fim” é a dúvida de muitos estudantes, que geralmente recorrem à internet para esclarecer essa confusão. Esse não é um caso de erro de grafia, pois os dois termos existem na gramática da Língua Portuguesa.

Usar “enfim” ou “em fim” da maneira adequada é importante não só para pontuar na redação de vestibulares e concursos. Ambas as palavras têm finalidades diferentes, portanto se forem usadas em contextos equivocados darão sentido errado à frase.

Independentemente de optar por escrever “enfim” ou “em fim”, essas palavras podem ser classificadas como homônimas do tipo homófonas porque apresentam pronúncia igual. Seu entendimento na frase, principalmente no discurso oral, depende do contexto.

Quando usar “enfim” ou “em fim”?

A palavra “enfim” é um advérbio de tempo, cujo significado é de “finalmente”, “principalmente” e “por fim”. Essa forma de grafia refere-se, também, a uma conclusão de pensamento possuindo sinônimo de “em suma”, “por último” e “em síntese”. É usada para referir-se a conclusões de discurso.

Exemplos de frases com enfim

  • Enfim Maria e João saíram da casa da bruxa.
  • Após tanto trabalho poderei, enfim, descansar.
  • Enfim, o pedreiro realizou as tarefas conforme o prazo combinado.
  • Após tantas dificuldades, enfim você poderá comprar o carro que tanto sonhou.
  • Enfim poderei descansar em Fernando de Noronha nesse final de semana.
  • Após tanto trabalho, podemos enfim viajar para o Havaí.
  • Enfim agressores de mulheres estão sendo punidos com base na Lei Maria da Penha.

Nota: A palavra “enfim” não deve ser confundida com “en fim”, pois essa última forma não existe na gramática, por isso é incorreta e jamais deverá ser usada.

Já a expressão “em fim” é uma locução adverbial formada pela preposição “em” e o substantivo “fim”. Na dúvida sobre quando usar esse termo, deve-se identificar se no contexto a palavra admite o sentido de “no final” ou “no fim de”.

Exemplos de frases com “em fim”:

  • Pedro conviveu com Margarida durante 25 anos e está em fim de casamento.
  • Aquele artista da novela das 21h está no hospital em fim de vida.
  • Magali é uma grávida em fim de tempo e muito ativa.
  • Em fim de ano, todo mundo faz promessa para o ano vindouro.
  • Em fim de eleição, a verdade vem à tona.

Importância da semântica no entendimento de “enfim” ou “em fim”

Na gramática existe uma área chamada semântica, que visa estudar o significado das palavras conforme a sua interpretação. Por meio dela torna-se possível compreender as palavras homônimas – como é o caso de enfim e em fim.

A semântica estuda as palavras, frases, os sinais e símbolos conforme as suas respectivas representações no sentido denotativo da palavra. Por denotativo entende-se que é o termo com o seu significado real, aquele conforme o dicionário. É o oposto do conotativo, em que a palavra apresenta-se no sentido figurado.

A semântica é o oposto da sintaxe e divide-se em:

  • Sinonímia: duas palavras ou mais apresentam significados iguais ou semelhantes, ou seja, são sinônimas. Exemplo: cômico – engraçado.
  • Antonímia: duas palavras ou mais que apresentam significados contrários, ou seja, são antônimas. Exemplo. bem – mal.
  • Polissemia: quando uma mesma palavra apresenta vários significados. Exemplo: o almoço saiu de graça. / Os fiéis agradecem a graça recebida.
  • Hiperônimo: quando a palavra que pertence ao mesmo campo semântico de outra apresenta sentido mais abrangente. Exemplo: flor – está associada a todos os tipos de flores: rosa, dália, violeta etc.
  • Hipônimo: é quando a palavra tem vários significados mas com mais restrição do que os hiperônimos. Exemplo: Observar, examinar, olhar e enxergar são hipônimos de ver.
  • Paronímia e Homonímia: são palavras que possuem mesma pronúncia ou grafia semelhante, com significados diferentes. Englobam os termos enfim e em fim, por isso são escritas com mais detalhes no parágrafo a seguir.

Palavras parônimas e homônimas

Na gramática existem palavras que possuem sonoridade igual, mas são escritas de formas diferentes e também têm significados distintos como “cem” e “sem”. A esse tipo de palavras dá-se o nome de homônimas.

Quanto às palavras que são escritas de formas parecidas, mas têm som e significados diferentes, cabem-lhes a classificação de parônimas, como é o caso de “comprimento” e “cumprimento”.

Emfim ou em fim na língua portuguesa
Emprego de “emfim” ou “em fim” ainda gera muitas dúvidas. (Foto: Pixabay)

As palavras homônimas são divididas em homógrafas quando são iguais na escrita, mas diferentes na pronúncia; homófonas quando possuem pronúncia igual, mas com diferença na escrita e no significado e as homônimas perfeitas são iguais tanto na escrita como na pronúncia.

Exemplos

  • Governo (substantivo) / governo (verbo) – homônimas do tipo homógrafa
  • Cheque (ordem de pagamento) / xeque (lance de xadrez) – homônimas do tipo homófona
  • Senso (qualidade) / censo (recenseamento) – homônimas do tipo homófonas
  • Viagem (substantivo) / viajem (flexão do verbo viajar) – homônimas do tipo homófona
  • Verão (flexão do verbo ver) / verão (substantivo) – homônimas perfeitas
  • Banco (instituição financeira) / banco (assento) – homônimas perfeitas
  • Iminente (pendente, próximo para acontecer) / eminente (ilustre) – parônimas
  • Ratificar (confirmar) / retificar (corrigir) – parônimas
Enfim ou em fim
Enfim deve ser usado com sentido de “finalmente” como na frase “Foram anos de muito estudo e enfim Joana formou-se em Direito”. (Foto: Shutterstock)

“Enfim” ou “em fim”?

O “enfim” é um advérbio de tempo. O termo pode significar palavras como “por fim”, “finalmente” e “por último”.

Exemplo:
“Enfim” saquei o FGTS.
“Finalmente” saquei o FGTS.

A expressão “em fim” é uma locução adverbial. Pode-se substituir a expressão pelo uso de “no final”, por exemplo.

Exemplo:
“Em fim” de filme romântico, todo mundo chora.
“No final” de filme romântico, todo mundo chora.

Pegadinhas

Embora enfim e em fim existam no vocabulário brasileiro e estejam corretas, algumas questões de exames sobre esse assunto costumam ser como “pegadinhas” para o candidato desatento. Sem contextualização as duas expressões são aceitas, mas o que irá definir o acerto da questão está relacionado com o contexto em que irá pedir o uso de enfim ou em fim.

O mesmo acontece com outros homônimos como sessão, secção, seção ou cessão; trás ou traz; por que ou porque; encima ou em cima; mal ou mau e mais ou mas.

Uma dica que ajuda a identificar a expressão correta para utilizar, seja enfim ou em fim ou outra expressão que cause dúvida semelhante, é usar a substituição de palavras. Fazendo isso, será mais fácil perceber qual termo usar e evitará erros.

De forma resumida, a substituição de enfim ou em fim pode ser feita por “finalmente” para o caso da primeira opção e “no final’ para o segundo caso. Assim, se na frase for possível encaixar “finalmente”, a opção a ser escolhida será enfim, mas se só for possível substituir a palavra por “no final”, a melhor opção será “em fim”.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Chérolet, Brenda. Enfim ou em fim; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/enfim-ou-em-fim >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 23:16.

Copiar referência

Outros Artigos de Língua Portuguesa

Trovadores apresentando em forma de cantiga o que foi escrito em seus textos com seus instrumentos.

Características do Trovadorismo

As características do Trovadorismo estão relacionadas com todas as particularidades […]

Chegada dos portugueses.

Características do Quinhentismo

As características do Quinhentismo, primeira manifestação literária do Brasil, estão […]

Características do Classicismo

As características do Classicismo eram baseadas na representação de elementos […]

Características do Arcadismo

As características do Arcadismo surgiram em meio ao período que […]