Ensaio

Texto com ponto de vista do autor de forma subjetiva, lógica e organizada

Ensaio é um tipo de texto em que o autor expõe o seu ponto de vista, faz críticas e argumenta acerca de um assunto. É um dos gêneros textuais cobrados em trabalhos acadêmicos, porém com menos frequência em relação à dissertação.

Neste tipo de produção de textos o autor assume uma opinião e defende-a em uma estrutura lógica e organizada. O ensaio caracteriza-se por ser discursivo, argumentativo e expositivo. Apresenta escrita subjetiva e pode ser formal ou informal.

No ensaio a reflexão do autor sobressai a qualquer autoridade externa e é regida por três fatores principais: o autoexercício das faculdades, a liberdade pessoal e o esforço constante pelo pensar original. Outras características são o encerramento de experiências e a criticidade.

O ensaio tornou-se popular pelo fato de ser um texto de fácil leitura, de produção rápida e sem necessidade de provar o que é dito.

Os primeiros registros deste tipo, identificados oficialmente, foram escritos no século XVI. Em 1580 a obra “Ensaios”, de Michel Montaigne, destacou-se dentre as produções literárias ensaístas.

Como escrever um ensaio

Antes de começar a escrever um ensaio, precisa-se saber para quem será redigido e qual linguagem será adotada. Por exemplo, se for para um site, poderá ser escrito com uma linguagem informal, mas se for para uma revista, a preferência é adotar uma posição mais formal.

O texto deve ser escrito com clareza, obedecendo a coerência, coesão e respeitando as regras da gramática. A estrutura do texto de ensaio assemelha-se ao dissertativo, pois também apresenta tema, título, desenvolvimento com introdução e conclusão, e bibliografia – este último tópico não aparece nas dissertações.

Em síntese, o ensaio divide-se em:

  • Tema: trata-se do assunto que será explorado e problematizado pelo autor.
  • Título: uma palavra ou frase de destaque relacionada com o tema que será abordado.
  • Corpo de Texto: é a parte da análise e do desenvolvimento do texto. Possui introdução, desenvolvimento e conclusão. Na introdução, apresenta-se o tema que será escrito. No desenvolvimento, o texto é escrito com argumentos, reflexões e pontos de vista sobre o tema. Na conclusão, o autor do ensaio apresenta um desfecho criativo e original sobre o que escreveu.
  • Bibliografia: aparece no final do texto, com informações sobre as obras consultadas durante a produção. É listada em ordem alfabética seguindo as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).
Ensaio gênero textural
Um ensaio apresenta o ponto de vista de quem escreve. (Foto: Pixabay)

Dicas para escrever um ensaio

Para a produção de um ensaio é preciso ter coerência no discurso e uma lógica, mas nem todo mundo tem habilidade com a escrita. Por isso, recomenda-se iniciar o texto com uma informação impactante ou alguma frase chamativa, que ajude a prender a atenção do leitor. Este espaço é importante para ganhar confiança e instigar a leitura do restante do texto.

Por exemplo, em um ensaio sobre a poluição dos oceanos, pode-se introduzir o texto com dados sobre a quantidade de mortes de tartarugas marinhas por causa de dejetos eliminados nos oceanos.

Após incluir elementos que prendem a atenção do leitor, deve-se prosseguir com um discurso que conecte com o parágrafo anterior.

Ensaístas famosos

  • Aldous Huxley
  • Ayn Rand
  • C.S. Lewis
  • Eduardo Lourenço
  • Elina Patanè
  • George Bernard Shaw
  • George Orwell
  • Gilbert Keith Chesterton
  • Henry David Thoreau
  • José Saramago
  • J.M. Coetzee
  • Leo Tolstoy
  • Machado de Assis
  • Mario Vargas Llosa
  • Marguerite Yourcenar
  • Michel de Montaigne
  • Plutarco
  • Ralph Waldo Emerson
  • Richard Dawkins
  • Stephen Jay Gould
  • Susan Sontag
  • Voltaire
  • Yevgeny Zamyatin

Ensaios de George Orwell

Muito conhecido por escrever a obra “A revolução dos bichos” e “1964”, George Orwell (1903– 1950) também escreveu outros ensaios como Shooting an Elephant, Por Que Escrevo e A Hanging.

Ele foi um escritor indiano cujo nome verdadeiro era Eric Arthur Blair. Suas obras têm como características marcantes as críticas com inteligência perspicaz, bom-humor, consciência das injustiças sociais e oposição ao totalitarismo.

Ensaio A revolução dos bichos

Escrito em 1945, esta obra critica, de forma subliminar, a relação de poder por meio de metáforas. O ensaio elucida questões atuais como corrupção, traição e golpe.

A história é narrada tendo como ambiente principal uma granja de animais. No enredo, os bichos sonham com uma sociedade justa e se revoltam com os humanos.

Os animais da granja iniciam uma revolução contra o dono da fazenda e, então, os porcos assumem a liderança, pois são os únicos que sabem ler e escrever.

A crítica fica evidente quando um dos líderes passa a comandar de forma autoritária, indo de encontro com os desejos dos outros animais. Entre impasses, o líder é considerado traidor e acaba sendo expulso da granja.

Ficou curioso (a)? Faça o download da obra completa.

Ensaios de José Saramago

As obras do escritor português José Saramago renderam-lhe o Prêmio Camões (1995) e o Nobel de Literatura (1998). Publicou mais de 20 obras, das quais destacam-se “Ensaio sobre a Lucidez”, “Ensaio sobre a cegueira” e “Ensaio sobre a guerra”.

Suas obras caracterizam pelo estilo único de escrever. Têm frases e períodos compridos, ausência de travessão nos diálogos das personagens e muitas das suas frases são tão longas que ocupam mais de uma página. É considerado por críticos como um mestre no tratamento da língua portuguesa.

Ensaio sobre a cegueira

Nesta obra de sucesso, de 1995, Saramago faz críticas aos problemas sociais e às relações humanas. O escritor usa a cegueira como metáfora para satirizar a inércia social perante as mazelas que afligem a sociedade. Retrata de forma metafórica a natureza humana e critica o desinteresse pelo coletivo.

O autor menciona, de forma subliminar, o egoísmo humano. Isto fica evidente em um dos trechos, quando um homem se envolve em acidente de trânsito e vai ao hospital em estado de gravidade. Em paralelo ao acontecimento, um sujeito que aguarda para ser atendido demonstra insensibilidade e atitude egoísta ao reclamar do acidentado que recebe atendimento prioritário.

No lançamento da obra, o autor descreveu o livro como “terrível” e disse esperar pelo sofrimento do leitor. Para Saramago, Ensaio sobre a Cegueira é uma tortura, violenta e uma das experiências mais dolorosas da sua vida.

A obra deu margem para tradução em diversos idiomas e adaptação para cinema, sob a realização do cineasta brasileiro Fernando Meirelles.

Para conhecer a obra, faça o download do “Ensaio sobre a cegueira”.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Chérolet, Brenda. Ensaio; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/ensaio >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 22:57.

Copiar referência

Outros Artigos de Língua Portuguesa

Trovadores apresentando em forma de cantiga o que foi escrito em seus textos com seus instrumentos.

Características do Trovadorismo

As características do Trovadorismo estão relacionadas com todas as particularidades […]

Chegada dos portugueses.

Características do Quinhentismo

As características do Quinhentismo, primeira manifestação literária do Brasil, estão […]

Características do Classicismo

As características do Classicismo eram baseadas na representação de elementos […]

Características do Arcadismo

As características do Arcadismo surgiram em meio ao período que […]