Equinócio

Fenômeno astronômico que define o início de duas estações do ano

O equinócio acontece por causa da inclinação no eixo da Terra resultando na incidência da luz solar diretamente sobre a faixa intertropical em dois períodos do ano.

Na astronomia, equinócio é definido como o momento em que o Sol, em sua órbita aparente, cruza o equador celeste.

Fenômeno do equinócio

O termo equinócio é proveniente do latim, aequus (igual) e nox (noite), e significa noites iguais. Nesse caso o dia e a noite tem a mesma duração.

O dia começa a ser medido a partir do nascer do sol e é nesse instante que a metade do círculo solar está acima da linha do horizonte. Já o pôr do sol é o momento em que o círculo solar está metade abaixo do horizonte. O dia e a noite, no período do equinócio, têm a mesma duração: 12 horas.

O equinócio acontece nos meses de março e setembro, quando ocorrem as mudanças de estação: primavera no hemisfério norte e o outono no hemisfério sul. Em setembro acontece o inverso, o equinócio de setembro marca o início do outono no hemisfério norte e da primavera no hemisfério sul.

A data do equinócio pode mudar de um ano para o outro, pois nem todos os anos trópicos – intervalos de tempo que o Sol leva para partir de algum dos quatro pontos que definem as estações e retornar para o mesmo ponto – possuem 365 dias. Isso faz com que o horário do equinócio tenha alteração ao longo de dezoito horas.

O ano trópico tem a duração um pouco menor que 365 dias e 6 horas. Dessa forma, em um ano normal, com 365 dias e - portanto - menor, a hora do equinócio é cerca de seis horas mais tarde em comparação com o ano anterior.

A cada três anos considerados normais, as datas tendem a se adiantar cerca de seis horas a cada ano. Entre um ano comum e um ano considerado bissexto há um aparente atraso devido à intercalação do dia 29 de fevereiro.

O equinócio ocorre duas vezes por ano
O equinócio ocorre duas vezes por ano. (Foto: Wikipédia)

Verificou-se também que a cada quatro anos os equinócios tem a tendência de atrasar. Isso significa que durante um século os equinócios podem acontecer cada vez mais cedo. No século XXI, o equinócio de março só ocorreu no dia 21 em dois anos (2003 e 2007); nos outros anos o fenômeno tem acontecido em 20 de março.

A previsão é que a partir de 2044 esse fenômeno ocorra no dia 19. Essa tendência só irá se desfazer no final do século, quando vai ocorrer uma sequência de sete anos normais consecutivos, que será entre 2097 e 2013, ao invés de três como é atualmente.

Por causa da órbita da Terra, as datas em que ocorrem os equinócios não dividem o ano em um número igual de dias. Isso acontece porque quando a Terra está mais perto do Sol (periélio) viaja mais depressa do que quando está mais longe (afélio).

Curiosidades sobre o equinócio

  • Está ligado a festa da Páscoa na religião cristã;
  • É celebrado em muitas culturas como o momento de equilíbrio entre as forças da luz e das trevas;
  • As luzes do equinócio de outono provocam alterações biológicas nos seres vivos, como estímulos à hibernação, queda de folhas nas árvores e o amadurecimento de vários frutos e vegetais;
  • Nos equinócios de outono do Hemisfério Norte ocorrem os fenômenos da aurora boreal (fenômeno óptico que ocorre nos céus noturnos das regiões polares);
  • Durante os equinócios, o sol nasce exatamente no leste e se põe exatamente no oeste.

Você sabia?

Na astronomia, o periélio é o ponto da órbita de um corpo, seja ele planeta, planeta anão, asteroide ou cometa, que está mais perto do Sol. Quando um copo está no periélio, ele possui a maior velocidade de translação de toda a sua órbita. A distância entre a Terra e o Sol no periélio é de aproximadamente 147,1 milhões de quilômetros. Isso acontece uma vez por ano, por volta de quatorze dias depois do solstício de dezembro.

Já o afélio é o ponto da órbita em que um planeta ou um corpo menor do sistema solar está mais longe do Sol. As órbitas de todos os planetas são sempre elípticas, tendo sempre um ponto mais afastado (afélio) e um ponto mais próximo (periélio). A distância entre a Terra e o Sol no afélio é de aproximadamente 152,1 milhões de quilômetros. Durante o afélio o corpo tem a menor velocidade de translação de toda a sua órbita.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Oliveira, Filipe. Equinócio; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/equinocio >. Acesso em 20 de novembro de 2019 às 04:07.

Copiar referência

Outros Artigos de Geografia

As Cataratas do Iguaçu é uma das mais exuberantes belezas naturais da bacia Platina.

Bacia Platina

A Bacia Platina, também chamada de bacia do rio da […]

A bandeira do Chile representa o país internacionalmente.

Bandeira do Chile

A Bandeira do Chile possui duas listras de igual tamanho, […]

Bacia Hidrográfica do Atlântico Leste

A Bacia Hidrográfica do Atlântico Leste está entre as doze […]

A folha de bordo compõe a bandeira do Canadá.

Bandeira do Canadá

A Bandeira do Canadá é formada por uma tribanda de […]