Eufemismo

Figura de linguagem que ameniza o sentido de uma palavra ou expressão

Eufemismo é uma figura de linguagem utilizada quando se deseja suavizar uma palavra ou expressão, sem que haja mudança no conteúdo da mensagem. Isso porque algumas palavras, quando usadas em determinados contextos, podem ser consideradas pesadas. O termo vem do grego “euphémein”, que quer dizer “pronunciar palavras agradáveis”.

Ao anunciar a morte de alguém, por exemplo, pode-se usar a expressão “ele entregou a alma a Deus” em vez de “ele morreu”, que poderia demonstrar frieza e causar mais dor ao receptor.

Trata-se, portanto, de um recurso linguístico utilizado tanto na linguagem coloquial, como nos textos literários, sempre com o sentido de amenizar o sentido de palavras que poderiam ser assimiladas de maneira desagradável.

Formas de utilização

O eufemismo pode ser usado tanto na linguagem formal como na informal. Algumas maneiras mais comuns de utilização são para se referir aos seguintes assuntos:

  • Questões sociais complexas, como violação dos direitos humanos, violência, desigualdade social;
  • Temas polêmicos, como futebol, religião e política;
  • Assuntos que são tabu, como drogas, sexo, entre outros;
  • Situações tristes como divórcio, morte, doença;
  • Palavrões e palavras de baixo calão;
  • Aspectos desvalorizados pela sociedade, como deficiências, gordura e idade.

Abordar esses assuntos por meio do eufemismo pode evitar atitudes negativas e causar menos impacto aos ouvintes.

Imagem Eufemismo
O eufemismo é utilizado na linguagem informal e formal, como na literatura, com o intuito florear e dar mais expressividade ao texto. (Foto: Pixabay)

Eufemismo no dia a dia

Alguns exemplos de aplicação do eufemismo no cotidiano com o sentido real da frase em parênteses:

  • Aquele aluno é desprovido de inteligência. (Burro)
  • Aquela família está carenciada. (Pobre)
  • Maria já é mocinha. (Menstrua)
  • Meu instrutor de geografia é de cor. (Negro)
  • Ela está omitindo a verdade. (Mentiu)
  • Após tanto sofrimento, finalmente entregou a alma a Deus. (Morreu).
  • Tenho uma senhora que me ajuda na limpeza da casa. (Empregada)
  • Seu tio ficou rico por meios ilícitos. (De maneira ilegal)
  • Sua mulher deu à luz ontem. (Pariu)
  • Hoje é dia de beber água que passarinho não bebe. (Bebida alcoólica)
  • A moça era desprovida de beleza. (Feia).
  • O governo procederá ao reajuste de taxas. (Aumento)
  • Sua prima está muito cheinha. (Gorda)

Eufemismo na poesia

Além do objetivo de suavizar o discurso, muitos escritores e poetas utilizavam-se do eufemismo para substituir palavras consideradas tabu ou até mesmo dissimular sentimentos desagradáveis.

Veja alguns exemplos:

“Alma […], que te partiste
Tão cedo desta vida …
Repousa lá no Céu …
E viva eu cá na Terra sempre triste.”
(Luís de Camões- Soneto)

Observe que o autor se refere a alguém que faleceu de maneira delicada, com o intuito de suavizar a tristeza causada pela morte.

“Quando a Indesejada das gentes chegar
(Não sei se dura ou caroável),
talvez eu tenha medo.
Talvez sorria, ou diga:
– Alô, iniludível!
O meu dia foi bom, pode a noite descer.
(A noite com os seus sortilégios.)
Encontrará lavrado o campo, a casa limpa,
A mesa posta,
Com cada coisa em seu lugar.”
(Manuel Bandeira)

Também nesse exemplo, o autor está se referindo à morte por meio da expressão “indesejada das gentes”.

Observe mais alguns exemplos:

“…Para o porto de Lúcifer.” (Em vez de inferno)
(Gil Vicente)

“Verdades que esqueceram de acontecer” (em lugar de mentira)
(Mário Quintana)

“Vamos todos numa linda passarela de uma aquarela que um dia enfim… Descolorirá”. (Vinicius de Moraes)

“(…) até que um dia deste o grande mergulho nas trevas (…)”
(Machado de Assis)

Eufemismo na música

O eufemismo também é muito utilizado nas canções com o intuito de tornar a linguagem mais atraente para os ouvintes. Veja abaixo alguns exemplos:

“O jeito é dar uma fugidinha com você
O jeito é dar uma fugida com você.
Se você quer saber o que vai acontecer
Primeiro a gente foge, depois a gente vê.”
(Fugidinha – Michel Teló)

A “fugidinha” na qual o compositor se refere na música é uma forma de suavizar uma traição.

“Mirem-se no exemplo
Daquelas mulheres de Atenas
Sofrem pros seus maridos
Poder e força de Atenas
Quando eles se entopem de vinho (ficam bêbados, embriagados)
Costumam buscar um carinho
De outras falenas… (De outras mulheres, prostitutas)
Mas no fim da noite, aos pedaços (sujos, desvirtuados)
Quase sempre voltam pros braços
De suas pequenas, Helenas.”
(Chico Buarque – Mulheres de Atenas)

Eufemismo e figuras de linguagem no Enem

As figuras de linguagem, incluindo o eufemismo, aparecem com frequência na prova de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Por isso, é importante revisar as características de cada uma e suas principais diferenças. Além do eufemismo, as que caem com mais recorrência são:

Metáfora: substituição de um termo por outro numa relação de analogia;

Ex: Ele é um leão! (Quer dizer forte, feroz)

Hipérbole: exagero de uma ideia;

Ex: Já disse isso a você um milhão de vezes!

Metonímia: substituição de um termo por outro com afinidade ou relação de sentido;

Ex: Sei que ela adora Fernando Pessoa. (Autor pela obra)

Paradoxo: palavras com sentidos opostos num mesmo enunciado;

Ex: Estou cego e vejo.

Comparação: aproximação de dois termos com relação de semelhança.

Ex: Amou como se fosse máquina.

Antítese: aproximação de dois termos de sentidos opostos na mesma frase;

Ex: Um misto de alegria e tristeza tomou conta de Jonas.

Sinestesia: mistura de sensações diferentes percebidas pelos órgãos do sentido.

Ex: Gosto quando mamãe canta. Ela tem uma voz macia e doce.

Personificação ou prosopopeia: quando se atribui qualidades de seres humanos a seres inanimados.

Ex: O Sol amanheceu triste e escondido hoje.

Silepse: quando há relação de concordância com um termo oculto na frase que é subentendido.

Ex: “Dizem que os cariocas somos poucos dados aos jardins públicos.” (Machado de Assis) (termo oculto – nós)

Pleonasmo: usado quando se deseja intensificar o significado de uma palavra ou a ideia contida nela.

Ex: “Ó mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal.” (Fernando Pessoa)

Ironia: é quando se diz o contrário do que se deseja com a intenção de satirizar ou criticar.

Ex: Aquele menino dela é um santo. Só derrubou minha coleção de discos de vinil três vezes.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

LOPES, Adriana. Eufemismo; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/eufemismo >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 21:23.

Copiar referência

Outros Artigos de Língua Portuguesa

Trovadores apresentando em forma de cantiga o que foi escrito em seus textos com seus instrumentos.

Características do Trovadorismo

As características do Trovadorismo estão relacionadas com todas as particularidades […]

Chegada dos portugueses.

Características do Quinhentismo

As características do Quinhentismo, primeira manifestação literária do Brasil, estão […]

Características do Classicismo

As características do Classicismo eram baseadas na representação de elementos […]

Características do Arcadismo

As características do Arcadismo surgiram em meio ao período que […]