Fimose

Condição que atinge homens e em alguns casos mulheres

A fimose masculina é caracterizada pelo estreitamento do prepúcio, impedindo a exposição da glande (cabeça do pênis). Essa condição é considerada normal nos primeiros meses de vida de bebês do sexo masculino, uma vez que, naturalmente existe uma aderência do prepúcio à glande.

Com o desenvolvimento da criança, a tendência é que aderência diminua até os 3 anos de idade. Contudo, se na adolescência o problema persistir pode ser necessária uma cirurgia simples para remover o excesso de pele.

Uma das principais complicações da fimose é a infecção na região da glande. Em homens adultos, podem surgir problemas relacionados ao desempenho sexual, parafimose (estrangulamento da glande pelo prepúcio) e câncer de pênis.  

Partes do pênis

Fimose pênis
Partes do pênis. (Foto: Wikipédia)

Na imagem ao lado podemos observar as partes do pênis, órgão que compõem os sistemas excretor e reprodutor masculino. Tal órgão é dividido em três partes: cabeça, corpo e raiz.

A cabeça do pênis é chamada de glande, uma estrutura bulbosa e coberta por uma camada de pele retrátil, o prepúcio. Este último, serve para proteger a parte sensível do pênis do ambiente externo.

Em condições normais, quando o pênis fica ereto, o prepúcio move-se para trás e a glande fica exposta.

No topo da glande há um orifício, que corresponde ao óstio externo da uretra, responsável por conduzir a urina do interior da bexiga para fora do corpo. Nos homens, esse canal também serve como passagem para o esperma durante a ejaculação.

O que causa a fimose?

Como já dito, a aderência do prepúcio à glande é comum em recém-nascidos. De acordo com estimativas do Ministério da Saúde, com seis meses de idade, 20% das crianças já apresentam o prepúcio retrátil; aos três anos, os casos cresce para 50% e aos 17 anos, o número chega a 99%.

Uma das causas para a complicação é a chamada fimose fisiológica, que acontece ainda no desenvolvimento fetal. Nesse caso, o prepúcio está anelado e a glande não consegue se expor com facilidade.

A segunda causa, chamada de fimose secundária, surge ao longo da vida do indivíduo. Geralmente é ocasionada por episódios contínuos de infecção na região da cabeça do pênis, provocando o estreitamento do anel prepucial em função dos processos cicatriciais.

Fimose
Diferenças entre um pênis normal e com fimose. (Foto: Guia Estudo)

Graus

De natureza fisiológica ou secundária, a fimose pode se manifestar de maneiras diferentes. Existem cinco graus de acordo com a classificação de Kikiros et al. São eles:

  • Grau 5: não existe nenhuma retração do prepúcio. Em alguns casos, a abertura é tão pequena quanto um buraco de agulha;
  • Grau 4: leve retração, mas orifício urinário continua encoberto;
  • Grau 3: retração parcial e orifício urinário visível, contudo o restante da glande continua encoberta;
  • Grau 2: exposição parcial da glande. O prepúcio pode até ser retraído, mas não passa da corona;
  • Grau 1: retração total do prepúcio, mas a base da glande é apertada.

Consequências

Com incapacidade de expor completamente a glande em função da fimose, a higiene íntima pode ficar comprometida e, consequentemente, ocasionar um acúmulo de sebo na região. Esse é um ambiente propício para desenvolvimento de vírus, fungos e bactérias.

  • Parafimose
  • Ardência e inchaço da região peniana;
  • A fimose também pode apresentar sintomas como:
  • Crescimento do risco de infecção urinária;
  • Dor durante as relações sexuais;
  • Secreções no pênis;
  • Maiores chances de contrair Dst’s (HPV, Aids, etc.).

Tratamento

Os três tratamentos mais comuns para a fimose são: pomadas, exercícios e cirurgia. O método utilizado varia em função do grau, idade e tipo de fimose do indivíduo.

As pomadas indicadas são à base de corticoide e com propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e antibiótica. Elas são capazes de amolecer e afinar o prepúcio, possibilitando que a pele deslize pela glande.

Os exercício de retração são indicadas para meninos com mais de 5 anos de idade. A prática consiste em movimentar o prepúcio até a glande, sem forçar demais ou gerar dor. Esses movimentos devem ser realizados quatro vezes ao dia ou conforme orientação do médico.

A cirurgia, chamada de circuncisão ou postectomia, é indicada quando os outros métodos de tratamento não surtiram efeito. Nesse caso, será realizada a remoção da pele e da mucosa onde está localizada o anel prepucial.

A cirurgia deve ser realizada em um centro cirúrgico, devidamente equipado e com profissionais capacitados como o urologista. A intervenção é indolor, não são realizados cortes ou injeções na glande, bem como modificações na uretra.

Em adultos, a cirurgia é realizada com aplicação spray anestésico, gel de xilocaína e anestésico local. Já o procedimento realizado em crianças, o indicado é o uso de anestesia geral. 

Fimose feminina

Em casos raros, a fimose também pode acometer mulheres. Essa condição caracteriza-se pela aderência dos pequenos lábios da vagina, que cobrem a abertura vaginal.

As causas para a fimose feminina não são bem claras, mas deduz-se que está relacionada à baixa produção do hormônio estrogênio.  As consequências são semelhantes ao caso masculino: infecções, dores ao urinar, mau cheiro, corrimento e irritação da genitália.

O tratamento pode ser realizado através de pomadas que possuem em sua composição o estrogênio. A intervenção cirúrgica é indicada quando entrada vaginal está completamente fechada.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

CAIUSCA, Alana. Fimose; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/fimose >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 19:45.

Copiar referência

Outros Artigos de Biologia

Celoma

O Celoma tem origem do latim “cele” que significa “cavidade”. […]

Cavalo Marinho

O Cavalo Marinho é da espécie do Hippocampus, um gênero […]

Cavalo

O Cavalo é um animal mamífero que pertence a um […]

Caule

O Caule é o órgão que conduz as seivas das […]