Gênero Lírico

Poesia usada para expressar sentimentos e emoções

O gênero lírico é uma classificação de gênero literário que se refere ao tipo de texto que tem como enfoque a subjetividade, por expressar sentimentos e emoções do chamado sujeito lírico.

Os gêneros literários são importantes na literatura, pois são eles que definem a categoria que um determinado texto se encontra. E assim como qualquer outro (novela, romances, conto, etc), o lírico possui diretrizes e regras para sua construção.

Surgimento

Originalmente, o gênero lírico, do latim “lyricu”, se refere aos poemas que eram cantados ao som de uma lira. Esse instrumento, popular na Grécia Antiga, era comumente utilizado para acompanhar poesias cantadas por gerar sons extremamente delicados e sentimentais.

Os chamados rapsodos, aqueles que declamavam os versos na Grécia, dedilhavam a lira enquanto liam as composições.

O gênero lírico é um tipo popular que evidencia as emoções do indivíduo em seu cotidiano, sendo o mais cultivado da Grécia Antiga à contemporaneidade.

É fundamentalmente focado nos sentimentos, não necessariamente emoções positivos, podendo expressar também emoções de fúria, raiva, ódio, etc.

Por ter o objetivo de expressar emoções e sentimentos, o gênero lírico faz uso da função poética da linguagem, marcada por pronomes e verbos na primeira pessoa, assim como a forte presença de figuras de linguagem e sentido conotativo das palavras.

Trecho de uma poesia do gênero lírico
Trecho de uma poesia, uma das estruturas mais belas pertencentes ao gênero lírico. (Foto: Wikipédia)

Características do gênero lírico

  • Não existe narrador, mas uma voz poética (eu lírico);
  • Tem caráter subjetivo, por expressar sentimentos e emoções;
  • Presença de muitas figuras de linguagem;
  • Constante uso da linguagem conotativa;
  • Possui estrofes, rimas e versos;
  • Possui musicalidade (geralmente associado a métrica);
  • Exteriorização de um universo interior, individual;
  • Possui poesia escrita em versos (poemas).

Observação: O gênero lírico não está exclusivamente associado aos poemas, pois pode haver lirismo em um texto em prosa, basta que haja enfoque nos sentimentos.

Subgêneros do gênero lírico

Os subgêneros do gênero lírico estão associados a métrica, pois na Idade Média os poemas e as poesias eram divididos pela medida de um verso (métrica).

As medidas dos versos eram definidas pela quantidade de sílabas poéticas, e assim expunham o quão complexo era o poema.

A combinação das rimas, do número de sílabas poéticas, das aliterações e das palavras originaram a musicalidade do lirismo. E essas estruturas formadas de acordo com a métrica gerou as subdivisões do gênero lírico.

Os subgêneros são soneto, ode e hino, sátira, elegia, écloga, haicai, idílio e epitalâmico.

Soneto

Do italiano “sonetto”, que significa “pequeno som”, “musicalidade”, o soneto é um poema formado por 14 versos, sendo dois quartetos (formado por quatro versos) e dois tercetos (formado por três versos), todos estritamente rimados.

O soneto surgiu no século XIV, criado por um italiano e se consagrou na Língua Portuguesa pelo poeta Luís de Camões, sendo o soneto cultuado até os dias atuais.

Exemplos:

“Amor é fogo que arde sem se ver”
(Luís de Camões)
Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Ouvir estrelas (Olavo Bilac)
Ora, direis, ouvir estrelas! Vejo
Que estás beirando a maluquice extrema.
No entanto o certo é que não perco o ensejo
De ouvi-las nos programas de cinema.

Não perco fita; e dir-vos-ei sem pejo
Que mais eu gozo se escabroso é o tema.
Uma boca de estrela dando beijo
É, meu amigo, assunto pra um poema.

Direis agora: — Mas enfim, meu caro,
As estrelas que dizem? que sentido
Têm suas frases de sabor tão raro?

— Amigo, aprende inglês para entendê-las,
Pois só sabendo inglês se tem ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas.

Ode e hino

Ode, de origem grega quer dizer “canto”, é um poema de exaltação e alegria para algo, geralmente personagens, ou alguém.

O hino também é um poema de exaltação, mas de louvor a alguém, geralmente voltado a glorificação de nações e pátrias.

Exemplo Hino Nacional Brasileiro. Veja um trecho:

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas
De um povo heroico o brado retumbante
E o sol da liberdade, em raios fúlgidos
Brilhou no céu da pátria nesse instante

Se o penhor dessa igualdade
Conseguimos conquistar com braço forte
Em teu seio, ó liberdade
Desafia o nosso peito a própria morte!

Ó Pátria amada
Idolatrada
Salve! Salve!

Sátira

A sátira é um poema que tem o intuito de ridicularizar situações ou pessoas, podendo ter temas sociais, econômicos, políticos, etc.

É um poema que critica e ironiza problemas de um lugar, defeitos ou vícios de pessoas, etc. E seu objetivo é atingir alguém diretamente, mesmo que esteja falando de alguma situação.

Elegia

É um poema que expressa sentimentos de tristeza, principalmente com temáticas relacionadas a morte e ao amor não correspondido.

Originado na Grécia, a elegia é um poema melancólico sobre acontecimentos tristes.

Écloga

É um poema que retrata a vida pastoril, a vida bucólica do campo. Sendo muitas vezes, um poema composto por diálogos.

Haicai

Geralmente, o haicai é usado no Japão, já que sua origem é japonesa e apresenta temática sobre a natureza.

O haicai é um poema breve formado por dezessete sílabas (três versos).

Idílio

Bem parecido com a écloga, o idílio também é uma poesia com temática pastoril, só que com a presença de diálogos.

Epitalâmico

É um poema lírico criado para a celebração do casamento. É uma homenagem ao vínculo conjugal que está sendo estabelecido entre os noivos.

Gênero lírico: eu lírico X autor

É importante que o estudante saiba diferenciar o eu lírico do autor do poema. O autor é aquele que escreve a poesia, é a pessoa real.

O eu lírico, também chamado de sujeito lírico ou eu poético, é a voz poética que desenvolve a poesia. É como uma entidade fictícia criada pelo autor que faz o papel de narrar o poema.

É importante se atentar a um detalhe: ao falar narrador, refere-se a voz poética (voz da poesia), pois em textos de gênero lírico não existe narrador. Além disso, essa entidade fictícia pode ser tanto feminina quanto masculina, ou até mesmo sem definição estabelecida.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Lima, Cleane. Gênero Lírico; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/genero-lirico >. Acesso em 30 de janeiro de 2020 às 01:18.

Copiar referência

Outros Artigos de Língua Portuguesa

Trovadores apresentando em forma de cantiga o que foi escrito em seus textos com seus instrumentos.

Características do Trovadorismo

As características do Trovadorismo estão relacionadas com todas as particularidades […]

Chegada dos portugueses.

Características do Quinhentismo

As características do Quinhentismo, primeira manifestação literária do Brasil, estão […]

Características do Classicismo

As características do Classicismo eram baseadas na representação de elementos […]

Características do Arcadismo

As características do Arcadismo surgiram em meio ao período que […]