George Washington

Primeiro presidente dos Estados Unidos

George Washington foi o primeiro presidente eleito dos Estados Unidos da América. Considerado o “pai da nação americana”, teve importância essencial na fundação do país, elaboração da constituição americana e independência dos Estados Unidos.

Foi um presidente eleito de forma unânime, aprovado por praticamente todos os americanos, fato explicado por sua postura equilibrada e neutra frente às guerras que aconteciam nos países da Europa.

Foi pioneiro na criação de um modelo de governo com características até hoje praticadas nos Estados Unidos, como por exemplo, o discurso de posse inaugural do presidente e a instauração do gabinete com profissionais selecionados para coordenar o poder executivo americano.

George Washington: história

George Washington nasceu em 1732, no condado de Westmoreland, estado da Virgínia, na época em que os Estados Unidos ainda faziam parte das colônias britânicas. Integrante de uma família proprietária de terras, plantações e escravos, exercia a demarcação de terras rurais como profissão. Depois da morte do irmão e de seu pai, herdou alguns bens e conseguiu ingressar na carreira de soldado.

Pintura de George Washington, primeiro presidente norte-americano.
George Washington foi o primeiro presidente dos Estados Unidos. (Foto: Wikipédia)

A carreira militar teve rápida ascensão. Foi promovido a oficial das forças coloniais no início da guerra entre britânicos e franceses ,a partir de 1754, e depois foi coronel, exercendo o cargo de chefe comandante do Exército Continental na guerra da independência.

Um dos marcos da sua carreira como militar foi a expulsão dos britânicos na cidade de Boston, em 1775. Ele perdeu a cidade de Nova York em uma batalha, mas depois conseguiu reconquistar outros territórios, ganhando assim popularidade entre os americanos patriotas.

George Washington não teve educação sofisticada, porém se dedicava às pesquisas, o que o fez ganhar conhecimento para se inserir no contexto político e militar da época.

No entanto, após o fim da guerra que trouxe a independência aos Estados Unidos, ele quis abandonar a vida política e retomar sua privacidade, o que não foi possível, pois ganhou a tarefa de elaborar a constituição americana.

Em 1758, foi eleito para a Assembleia da Virgínia, experiência que o fez perceber que os americanos não estavam satisfeitos com o fato de ainda serem uma colônia britânica.

Nesse mesmo ano, abandonou as forças armadas. Um ano depois, casou-se com Martha Dandrige Curtis, que era viúva e já tinha dois filhos. Antes de se aventurar no mundo das guerras e combates, teve a experiência da vida pacata em fazendas com sua mulher e enteados.

Mesmo sendo militar, era contrário ao uso da força desmedida e violência. Contudo, em 1774, ano que foi o representante da Virgínia no Primeiro Congresso Continental, entendeu que futuros conflitos armados com a Inglaterra seriam inevitáveis, pois os colonos desejavam a independência.

A Guerra Revolucionária Americana (1775-1783) foi a responsável  pelo término da colonização da maioria dos territórios ocupados. Durante esse processo, George Washington foi promovido e cresceu aos olhos do público. A declaração de independência americana foi assinada em 4 de julho de 1776.

Contribuições políticas

A posse de George Washington como presidente aconteceu em 30 de abril de 1789, em Nova York, no Federal Hall. Ocorreu um desfile de inauguração no seu primeiro dia de presidência, atraindo mais de dez mil pessoas.

Em seu discurso, o então presidente proferiu na câmara do Senado:

“Que o Todo Poderoso que governa o universo consagre as liberdades e a felicidade do povo dos Estados Unidos”.

De início recusou um salário, mas depois aceitou cerca de vinte e cinco mil dólares (um valor que hoje chegaria próximo do que vale setecentos mil dólares) para manter o cargo e as  responsabilidades financeiras que a presidência demandava.

George Washington tinha como ideal de vida política a certeza de que começaria uma nova história e deixaria um legado para os futuros políticos norte-americanos.  Por ser completamente republicano, sugeriu que a forma de ser chamado e mencionado fosse“Senhor Presidente” – nomenclatura utilizada até hoje para se referir ao atual chefe de Estado – e recusou outros nomes majestosos que o Senado propôs na época.

O ex-presidente dos Estados Unidos também foi pioneiro na criação do modelo de gabinete vigente até hoje. Os primeiros departamentos executivos foram criados, separados em Tesouro, Estado e Guerra. Pela constituição, o gabinete funcionava como uma consultoria e não uma obrigatoriedade de governo.

George Washington é considerado um dos criadores dos Estados Unidos, por ter um espírito patriota, encarado mudanças e ter sido pioneiro em várias questões políticas e militares. Ele morreu em 14 de dezembro de 1799, aos 67 anos.

Curiosidades

  • George Washington era contrário à formação de partidos políticos, pois tinha receio que a divisão prejudicasse o republicanismo.
  • Os políticos nomeados para o gabinete do presidente acabaram divergindo e se separaram. Eles criaram partidos políticos antagonistas, que se tornaram rivais. George Washington não se colocava nessas questões, mas sempre buscava fazer os chefes cumprirem suas respectivas funções.
  • Foi George Washington que idealizou o Dia de Ação de Graças, em 26 de novembro, como meio de reafirmar seu pensamento: “É dever de todas as nações reconhecer a providência do Deus Todo Poderoso, obedecer a sua vontade, ser grato por seus benefícios e humildemente implorar por sua proteção e favor”.
  • A influência direta na independência dos Estados Unidos, papel de congressista e comandante do exército, fez George Washington ser considerado até hoje como “pai da nação” estadunidense.
  • Atuou como delegado pelo estado da Virgínia, em 1774, no Primeiro Congresso da Filadélfia.
  • No seu primeiro mandato obteve votação por unanimidade no Congresso americano, no segundo recebeu vantagem de 77 a 50 votos.
  • Em 1793, assinou a Lei do Escravo Fugitivo, que permitia que os “proprietários” se deslocassem até depois das fronteiras para recuperar o escravo.
  • Ao fim do seu segundo mandato, pediu aposentadoria e instaurou o modelo que apenas permitia dois mandatos por presidente.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Magalhães, Alissa. George Washington; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/george-washington >. Acesso em 20 de setembro de 2019 às 15:21.

Copiar referência