Júlio Verne

Escritor francês pioneiro em ficção-científica

Júlio Verne foi um escritor responsável por obras conhecidas mundialmente como “Vinte Mil Léguas Submarinas” e “Viagem ao Centro da Terra”. Nascido na França em 1828, o autor é considerado como o “pai” da ficção científica, pois se interessava muito sobre assuntos como viagens interplanetárias e avanços científicos.

Apaixonado por viagens, principalmente as de navio, Júlio Verne quando criança pensava em ser marinheiro, mas logo fundiu seus interesses e começou a escrever sobre a vida relacionada ao mar.

Inspiração de muitos autores e diretores do cinema, Júlio Verne teve muitas de suas obras transformadas em filmes famosos do século XX. Também escrevia contos, romances e peças de teatro.

O escritor viveu 77 anos e é tido como um dos maiores autores com trabalho reconhecido internacionalmente. Suas obras estão traduzidas em cerca de 150 línguas diferentes.

História de Júlio Verne

Júlio Verne, nome em português de Jules Gabriel Verne, nasceu e cresceu no interior da França, na cidade de Nantes, com seus pais, três irmãs e um irmão. Como sua cidade tinha uma proximidade com um porto e várias docas, desenvolveu um interesse pela vida marítima.Porém, seu pai, que era magistrado, nunca o apoiou em seguir carreira como marinheiro.

Júlio Verne, escritor francês
Júlio Verne foi um escritor francês considerado o inventor da ficção científica. (Foto: Wikipedia)

Mais tarde, Júlio Verne transferiu seu interesse pelo mar pela paixão em criar histórias pautadas em suas fantasias e imaginação. Contudo, sem o apoio novamente do pai, foi cursar retórica e filosofia no Liceu de Nantes e depois formou-se em Direito.

Se apaixonou por sua prima Carolina, e inspirado por essa paixão, escreveu seu primeiro trabalho, um tipo de tragédia em versos que sua família não gostou.

Enquanto cursava Direito, compôs um drama, depois pequenos livros de operetas e relatos de viagens. Quando teve conhecimento disso, seu pai cortou todos os recursos financeiros que o auxiliavam.

Em Paris, o autor conhece os escritores Victor Hugo e Alexandre Dumas. Sua primeira peça de teatro, intitulada “As palhas rompidas” estreia graças ao apoio de Dumas no ano de 1850, no Teatro Histórico.

Depois de apresentar sua tese e tornar-se advogado, seu pai pede que volte à Nantes para exercer a carreira jurídica. Porém, Júlio Verne decide pela carreira literária. Ensinava como professor e escrevia para se manter.

Alguns anos mais tarde conhece sua futura esposa, Honorine de Viane Morel, que era viúva e já tinha duas filhas. O casal tem o único filho, Michel Jean Pierre Verne.

Sua relação com seu filho sempre foi complicada. Michel era rebelde e não aceitava os direcionamentos e orientações que o pai passava. Verne foi atingido por dois tiros que seu sobrinho, diagnosticado como doente mental, disparou contra ele. Teve alguns ferimentos e dessa forma ensaiou uma reconciliação e reaproximação com seu filho.

O escritor também teve uma fase em que investiu em uma sociedade na bolsa de valores de Paris, em uma casa de câmbio, em parceria com seu pai e seu sogro. Fez viagens para a Escandinávia, Inglaterra, Escócia e Noruega. A partir de 1872 seu ápice de sucesso literário aconteceu, lhe trazendo muito dinheiro e fama.

Em meio ao sucesso, Júlio Verne compra dois iates e vai para os Estados Unidos a bordo de um deles. Na volta, escreveu Vinte Mil Léguas Submarinas em alto mar.

No últimos anos de vida, Verne teve muitas perdas: seus pais, irmão e parceiro de publicações morreram. Encarou uma depressão nesse período e faleceu em 1905, com sua visão debilitada em decorrência de uma catarata.

Carreira literária

O destaque na carreira literária de Júlio Verne começou quando ele se associou ao editor Pierre-Jules Hetzel, um nome forte na época que trabalhava com autores como George Sand e Victor Hugo.

A primeira obra de sucesso de Verne publicada por Hetzel se chamavaCinco semanas em um balão, que conta a história de uma suposta viagem à África feita de balão. A novela mostra coordenadas geográficas, animais e aspectos culturais da região. A história agradou muito o público, que se perguntou na época se os relatos contidos no livro eram verídicos.

O fato é que Júlio Verne nunca tinha viajado de balão, mas tinha uma imaginação fértil, estudava e pesquisava antes sobre todos os assuntos que se propunha a escrever.

Conhece o famoso fotógrafo Félix Nadar através de Hetzel, e o homenageia com um de seus textos pela construção de um personagem inspirado nele.

Nadar era muito ligado na prática do balonismo e em navegação aérea, foi a partir daí que Júlio Verne conheceu e fez parte de um círculo de cientistas que o inspiraram a entender mais para escrever sobre ficção científica.

O alcance de Cinco semanas em um balão não só rendeu fama como muito dinheiro. Hetzel publicava muitos livros de Verne, todos grandes sucessos como “Vinte mil léguas submarinas” e “Viagem ao centro da terra”. A parceria deles durou 20 anos.

Júlio Verne era um escritor aventureiro. Gostava de falar sobre viagens extraordinárias, experiências e tinha uma vertente visionária em seu pensamento. Não se pode colocar sua obra em escolas literárias específicas.

Muito à frente de seu tempo, o autor falava de realidades que ainda iriam acontecer como a chegada do homem à lua e a utilização de submarinos, por exemplo. Também falava de tecnologia e a relação com os impactos no meio ambiente.

Detalhes das obras mais famosas 

Em “Vinte Mil Léguas Submarinas, a ideia de um submarino autônomo movido a eletricidade é apresentada ao público pela primeira vez.

Em “Viagem ao Centro da Terra”, um garoto conta em primeira pessoa, seu percurso aventureiro para o centro da Terra. Foi uma obra inovadora, pois mostrou muitos termos científicos desconhecidos até então.

Em “Cinco Semanas em um Balão, o autor conta sobre sua suposta aventura em sobrevoar vários países da África em cima de um balão.

Curiosidades

Em 1863, Júlio Verne escreveu “Paris no século XX” que fugia da receita de sucesso que ele costumava escrever. Em vez de contar as aventuras de suas viagens, esta obra continha um caráter mais melancólico, profundo e triste.

O editor Jules Hetzel disse que não era a melhor opção publicar este trabalho naquela época. Verne concordou e guardou o manuscrito em um cofre. Um século depois, o bisneto do escritor encontrou o manuscrito guardado e publicou a obra em 1989.

Principais obras

  • Cinco semanas em um balão, 1863
  • Paris no século XX, 1863
  • O capitão Hateras / Aventuras do capitão Hatteras 1864-1867
  • Viagem ao centro da terra, 1864
  • Da Terra à Lua, 1865 (eBook)
  • Os Filhos do Capitão Grant, 1866-1868
  • À roda da Lua (pt) / À volta da Lua (br), 1869
  • Vinte mil léguas submarinas, 1870
  • Os conquistadores, 1870
  • Uma cidade flutuante, 1871
  • Três russos e três ingleses, 1872
  • A volta ao mundo em oitenta dias, 1872
  • A ilha misteriosa, 1873-1875
  • As Índias Negras, 1876-1877
  • Martin Paz, 1877
  • Um capitão de quinze anos, 1878
  •  História das grandes viagens e dos grandes viajantes, 1878

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Magalhães, Alissa. Júlio Verne; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/julio-verne >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 20:35.

Copiar referência