Lenin

Maior e mais importante líder comunista

Considerado o pai da Revolução Russa, Lenin foi um político revolucionário. Inspirado em sua autêntica e ortodoxa interpretação marxista, foi o principal líder da Revolução de 1917 e o primeiro governante da Rússia socialista.

Biografia

Vladimir Ilitch Ulianov nasceu em 22 de abril de 1870 na cidade de Simbirsk (atual Ulianovsk), na Rússia. Oriundo de uma família classe média alta, desde a infância Lenin teve contato com ideologias políticas.

Seus pais, Ilia Ulianov e Maria Alexandrovna Blank, eram monarquistas e conservadores liberais, mas a maior influência de Lenin foi na companhia do irmão Alexandre Uilanov.

Revolucionário Lenin
Lenin, o revolucionário russo. (Foto: Wikipédia)

Alexandre, o qual Lenin chamava de Sasha, era aluno da Universidade de São Petersburgo e integrava um grupo da cidade chamado de “Pervomartovtsi”. Essa organização política de extrema esquerda lutava contra a monarquia absoluta do czar reacionário Alexandre III. 

Sasha estudou diversos escritos de esquerdistas e organizou protestos contra o governo. O Pervomartovtsi foi responsável pela tentativa de assassinato do czar Alexandre III que resultou na prisão e julgamento do grupo em 1887.

Alexandre Uilanov foi condenado e executado por enforcamento. Tal fato causou certo trauma emocional em Lenin, que se convenceu de que o anarquismo não era a forma mais apropriada para derrubar o czarismo na Rússia.

No mesmo ano ingressou na Universidade de Kazan para cursar Direito. No decorrer deste período estudantil que o jovem socialista passou a ter contato com as ideologias que mudariam seu futuro.

Ele não permaneceu no curso até o fim, pois foi expulso sob a acusação de desordem ao participar das manifestações contra as restrições do governo.

Marxismo

Exilado na propriedade de sua família juntou-se ao círculo de estudos revolucionário de Nikolai Fedoseev, o pioneiro do marxismo na Rússia.

Nesse momento Lenin conheceu o livro “O Capital” (1867) de Karl Marx, despertando o interesse pelo marxismo, uma teoria sociopolítica que alega que a sociedade desenvolveu-se através da luta de classes e que a sociedade capitalista acabaria cedendo à sociedade socialista e depois à sociedade comunista.

A partir desse princípio teórico Lenin transformou a história da Rússia. Ao mudar-se com a família para a cidade de Samara, o revolucionário juntou-se ao círculo de discussão socialista de Alexei Sklyarenko.

Ambos adotaram o marxismo e Lenin passou a estudar os problemas econômicos da Rússia. Em 1895, passou um tempo na Suíça e fez contato com exilados russos, entre eles o revolucionário e teórico marxista Gueorgui Plekhanov.

O mais novo marxista fundou uma célula denominada “social democrata”, promovendo a ideologia dentro do movimento socialista. Ao retornar para a Rússia foi preso por estar envolvido na produção do periódico “Causa dos Trabalhadores”.

Em fevereiro de 1897 foi condenado, mesmo sem julgamento, a viver exilado na Sibéria Oriental, local onde permaneceu por três anos.

Depois do exílio viveu em Londres, Munique, Paris e Genebra. Tomando por base as doutrinas de Marx e Friedrich Engels, aprofundou-se no desenvolvimento de suas próprias teorias.

Bolchevique x Menchevique

Em 1900, produziu o jornal “Iskra” (Faísca), que entrava clandestinamente na Rússia e propagava as ideologias e  lutas do Partido Social Democrata Russo contra o czarismo.

Em julho de 1903 foi realizado o II Congresso do Partido Operário Social-Democrata Russo, que resultou as divergências entre os partidários de Lenin e os de Julius Martov sobre as posturas que deveriam ser tomadas no movimento revolucionário.

Desta forma ocorreu uma divisão dentro do partido. Os partidários de Lenin de caráter mais radical eram maioria, passando a se chamar “Partido Bolchevique” (“maioria”, em russo bol’sheviki).

Esses acreditavam que as mudanças na Rússia deveriam acontecer através de uma revolução imediata. Já os oponentes do “Partido Menchevique“, que o processo deveria ser mais moderado e com atuação da burguesia.

Revolução de 1905

A eclosão espontânea e sem liderança da Revolução de 1905 contra o governo em vigência abalou o prestígio do czar Nicolau II, servindo de marco inicial para a queda do regime.

Com o fim da revolução,  Lenin teve novamente que fugir da Rússia, já que o czar Nicolau II  aproveitou-se  da desintegração dos reformadores para reafirmar seu poder. 

Revolução de 1917

Anos mais tarde, Lenin voltou para a Rússia e junto com Trotski passou a planejar, de forma mais organizada, a queda do governo provisório. O Partido Menchevique começou a implementar medidas que causariam mudanças na tradicional estrutura do país.

Com a promessa de “pão, paz e terra”, o revolucionário russo conquistou muitos adeptos da causa Bolcheviques. Em novembro de 1917 os bolcheviques tomaram o poder e declararam a formação de um novo governo.

Governo Lenin

Apesar da recusa inicial, Lenin foi eleito presidente do Conselho dos Comissários do Povo (“Sovnarkom“). Em meio ao processo de revolução combateu os grupos socialistas rivais e puniu com execução o czar deposto Nicolau II, juntamente com sua família.

O revolucionário evitou o uso de termos marxistas e socialistas para não alienar a população russa e, ao invés disso, falou de um país controlado pelos trabalhadores. No entanto,  seu governo enfrentou as seguintes dificuldades:

  • O Tratado de Brest-Litovski, que resultou em perdas territoriais maciças à Rússia e foi extremamente impopular;
  • O Terror Vermelho, inaugurado pelos Sovnarkom,  tratava-se de um sistema repressivo organizado pela Cheka;
  • A Guerra Civil Russa, um conflito armado múltiplo entre os exércitos Vermelho e Branco e grupos de camponeses locais;
  • Fome russa, consequente da interrupção da produção agrícola. Resultou na morte de milhões de pessoas.

Para evitar um declínio total da economia estabeleceu a Nova Política Econômica (NEP), utilizando mecanismos da economia de mercado que reunia princípios socialistas com elementos capitalistas.

Em 1923, depois da reconquistar áreas do império czarista, que haviam formado suas próprias repúblicas, participou da criação e formalização da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

 Morte

No período de criação da União Soviética , Lenin foi vítima do terceiro Acidente Vascular Cerebral (AVC) , que causou a perda da capacidade de fala. Contudo, permaneceu empenhando-se em um lento processo de recuperação da mobilidade, fala e habilidades.

Ele chefiou o governo até o último dia de vida, falecendo em 21 de janeiro de 1924 na sua residência em Gorki Leninskiye. A causa oficial da morte foi registrada como doença incurável dos vasos sanguíneos.

Seu corpo foi embalsamado e permanece até hoje exposto no Mausoléu da Praça Vermelha, em Moscou.

Legado

Lenin tornou-se uma figura de influência global. A doutrina política e econômica (leninismo), baseada no marxismo, resultou no rompimento político com o “economicismo” da social democracia europeia no começo do século XX, influenciou o Partido Comunista e se espalhou em várias partes do mundo. 

Citações

A liberdade é uma coisa tão preciosa que devia ser racionada.

Há décadas em que nada acontece e há semanas em que décadas acontecem.

O partido é a mente, a honra e a consciência da nossa época.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

BRITO, Samara. Lenin; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/lenin >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 20:18.

Copiar referência