Literatura da Informação

Textos informativos segmentados do Quinhentismo

A Literatura da Informação é um segmento do Quinhentismo que corresponde às primeiras manifestações literárias encontradas em terras brasileiras.

Todas as obras foram criadas na época do Brasil Colônia e são um conjunto de escritos feito por portugueses no decorrer no século XVI. Os textos tinham a intenção de informar tudo o que eles estavam descobrindo sobre as novas terras desbravadas.

Esse caráter informativo encontrado nos conteúdos é o que torna esse conjunto de obras a chamada literatura da informação.

Tudo que era escrito tinha sua construção em forma de prosa e era bem aceito em Portugal e Espanha, devido as paisagens e os costumes exóticos que eram inerentes aos moradores do Brasil.

Os conteúdos que formam a literatura da informação também podem ser chamados de Literatura dos Cronistas e Viajantes.

Literatura da Informação

Esse é um estilo de literatura ligado ao Quinhentismo e integram todos os escritos feitos no Brasil ao longo do século XVI.Teve seu nascimento no território brasileiro e durou de 1500 até o ano de 1601.

Várias pessoas que vieram da Europa para o Brasil durante o período da colonização, no século XVI, colocaram nos textos tudo que estavam observando sobre a nova terra.

As produções eram feitas na forma de depoimentos e relatos, para poder mostrar a população o pouco do que já haviam conseguido entender da novo território.

Cada dia aumentava o interesse dos europeus pelas terras que acabaram de ser descobertas. Por isso, existiam muitas viagens para o Brasil feitas por comerciantes e militares a fim de que pudessem ver e divulgar notícias.

De forma geral, toda a produção textual que era feita exemplificava as qualidades da terra descoberta, bem como os negócios que poderiam ser feitos e a facilidade de enriquecimento. 

Na literatura da informação também existiam escritores que mostravam as dificuldades que poderiam ser encontradas para os que tivessem vontade em conhecê-la, como impasses na locomoção, transporte, comunicação e a orientação do local. 

Os autores não demonstravam muito envolvimento emocional com os aspectos humanos e sociais, visto que não possuíam conhecimento da cultura que os moradores nativos possuíam.

É importante saber que a literatura da informação tem grande importância na fundação da literatura brasileira e sua divisão foi feita em três classes: prosa, poesia e teatro.

 

Características Gerais

Os textos que compõem a literatura da informação e que foram escritos durante o século XVI apresentavam características próprias, isso fazia com que tivessem identidade própria.

Os conteúdos eram produzidos de acordo com os padrões estéticos medievais e também apareciam fragmentos do Classicismo.

As composições eram lidas principalmente na Espanha e em Portugal, a fim de que pudessem cessar as curiosidades sobre a  nova localidade.

Comerciantes, militares e viajantes europeus eram os escritores da literatura da informação, que na maioria das vezes desejam utilizar da nova terra para conquista de riquezas. 

Algumas das características, muitas vezes fáceis de serem percebidas, eram as opiniões dos autores que ficavam explícitas. Eles sempre deixavam claro que esse novo território poderia ser uma grande fonte de renda para os cofres de Portugal.

Autores e Obras

Algumas pessoas destacaram-se dentro da literatura da informação, pois as obras possuíam certa relevância dentro desse movimento literário.

Conheça quais são e exemplos de seus escritos:

  • Pero Vaz de Caminha: tido como o principal representante da literatura da informação, foi escrivão da equipe de Pedro Álvares Cabral. Foi ele quem redigiu um pouco do que seria o Brasil.  Dentre as obras escritas, a que mais teve evidência foi a carta destinada para Dom Manuel sobre o descobrimento do Brasil.
Carta escrita por Pero Vaz de Caminha enviada ao rei D. Manuel
Carta de Pero Vaz de Caminha. (Foto: Wikipedia)
  • Padre Manuel de Nóbrega: escreveu através de cartas um pouco do que percebeu sobre o início da história do povo brasileiro.

Sua primeira obra, o "Diálogo sobre a conversão dos gentios", uma prosa direcionada para o padre Simão Rodrigues, abordava o modo como os tupinambás se portavam e seus costumes. 

  • Hans Staden: conhecido como aventureiro e mercenário, o alemão contava em seu livro todas as aventuras vividas no território brasileiro. Por isso, os relatos tornaram-se relevantes para os estudos históricos, sociológicos, antropológicos, linguísticos e culturais dos originários brasileiros.

Ele possui como principal obra o livro “Duas Viagens ao Brasil”, que também é conhecido pelo extenso nome de “História Verdadeira e Descrição de uma Terra de Selvagens, Nus e Cruéis Comedores de Seres Humanos,  Situada no Novo Mundo da América, Desconhecida antes e depois de Jesus Cristo nas Terras de Hessen até os Dois últimos Anos, Visto que Hans Staden, de Homberg, em Hessen, a Conheceu por Experiência Própria e agora Traz a Público com essa Impressão”.

  • José de Anchieta: foi um dos pioneiros da literatura brasileira, escreveu a primeira gramática da língua tupi e foi o primeiro dramaturgo, gramático e poeta que nasceu nas Ilhas Canárias.

Suas principais obras foram “De gestis Mendi Saa” (Os feitos de Mem de Sá) e “Arte de Gramática da Língua mais Usada na costa do Brasil”.

  • Gabriel Soares de Sousa: foi um empresário e agricultor português que conseguiu escrever textos que contavam a história do Brasil.

Um dos principais relatos feitos por ele se chama “Notícia do Brasil”, que também é conhecido como “Tratado Descritivo do Brasil.”

  • Pêro de Magalhães Gândavo: foi historiador e cronista português que esteve no Brasil entre 1558 e 1572 para trabalhar na fazenda do governo da Bahia.

Seu livro chama-se “Tratado da Província do Brasil e Tratado da Terra do Brasil” e teve o objetivo de impulsionar o crescimento da emigração portuguesa. 

Ao analisar as obras dos principais autores da literatura da informação é perceptível que o valor literário perde espaço para o valor histórico que está contido em cada uma delas. Isso acontece pela abordagem historiográfica que ocorre, o modo como tudo foi “estudado” e o contato que os portugueses nutriam com os indígenas para conseguir detalhes fundamentais.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Lima, Vinicius. Literatura da Informação; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/literatura-da-informacao >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 18:25.

Copiar referência

Outros Artigos de Língua Portuguesa

Trovadores apresentando em forma de cantiga o que foi escrito em seus textos com seus instrumentos.

Características do Trovadorismo

As características do Trovadorismo estão relacionadas com todas as particularidades […]

Chegada dos portugueses.

Características do Quinhentismo

As características do Quinhentismo, primeira manifestação literária do Brasil, estão […]

Características do Classicismo

As características do Classicismo eram baseadas na representação de elementos […]

Características do Arcadismo

As características do Arcadismo surgiram em meio ao período que […]