Marilyn Monroe

Atriz se tornou símbolo sexual do século XX

Marilyn Monroe foi uma atriz, modelo e cantora da América do Norte. Com nome de batismo Norma Jeane Mortenson, nasceu no dia 1º de junho de 1926 e morreu no dia 4 de agosto de 1962, ambos em Los Angeles.

Foi um dos maiores símbolos sexuais no século XX e estrela de cinema de Hollywood, sendo conhecida por seus cabelos loiros e as suas formas voluptuosas.

Mesmo com apenas uma década no auge da carreira, seus filmes arrecadaram mais de 200 milhões de dólares e é considerada, até os dias atuais, como um dos maiores ícones da cultura popular mundial.

Vida de Marilyn Monroe

Nascida e criada na cidade de Los Angeles, Marilyn Monroe foi a terceira filha de Gladys Pearl Monroe (1902–1984). Teve três irmãos mais velhos, frutos do primeiro casamento de sua mãe com John Newton Baker, em 1917. Com o divórcio, Baker levou as crianças com ele para a cidade de Kentucky.

Depois, Gladys se casou com Edward Martin Mortensen, em 1924. Mas eles se separaram meses depois, antes dela ter ficado grávida de Marilyn.

A identidade do seu pai biológico é desconhecida, e durante toda infância Marilyn utilizou Mortensen e Baker como seus sobrenomes.

Estando financeiramente despreparada para cuidar de uma filha, Gladys entregou Marilyn para os pais adotivos, Albert e Ida Bolender, após seu nascimento.

Nos primeiros meses Gladys viveu com a família para cuidar da própria filha, mas teve que sair, em 1927, e se mudar para Hollywood, após sua carga horária no trabalho se intensificar. Somente em 1933 que Gladys conseguiu levar Marilyn Monroe para morar com ela.

Contudo, alguns meses depois, já em 1934, a mãe de Marilyn teve um colapso mental e foi hospitalizada. Gladys foi diagnosticada com esquizofrenia paranoide e passou o resto de sua vida em hospitais.

Com isso, foi declarada sob a guarda do Estado. Grace McKee Goddard, uma amiga de sua mãe, assumiu a responsabilidade sobre Marilyn.

Desde então ela viveu com a família Atkinsons até junho de 1935, assumindo mais tarde que foi abusada sexualmente por um deles quando tinha oito anos de idade. Depois passou a morar com Grace e seu marido, Erwin Goddard, e mais duas famílias, até ser colocada em um orfanato. Em 1937 Grace conseguiu retirá-la do orfanato após tornar-se sua guardiã legal.

Em 1942 a empresa que Goddard trabalhava obrigou-o a mudar-se para a Virgínia Ocidental. Entretanto, as leis da Califórnia impediam que eles levassem Marilyn Monroe. Para evitar que ela voltasse para o orfanato, Marilyn, aos 16 anos, teve que se casar com o filho de um dos vizinhos, James Dougherty, que tinha 21 na época.

De acordo com biografias sobre a vida de Marilyn Monroe, ela não gostava de ser dona de casa e se sentia entediada durante este casamento. Segundo Marilyn: “meu marido e eu quase não conversávamos. Isso não acontecia porque estávamos sempre com raiva, nós só não tínhamos nada a dizer. Eu morria de tédio”.

Em 1943, Dougherty alistou-se na Marinha e foi levado para servir no oceano Pacífico. Nesta época, Marilyn foi morar na casa dos pais dele e começou a trabalhar em uma fábrica que auxiliava na Segunda Guerra Mundial.

Primeiros papéis

Marilyn Monroe conheceu o fotógrafo David Conover no final de 1944, quando ele foi até a fábrica onde ela trabalhava com o intuito de fotografar imagens moralizadoras de trabalhadoras.

Apesar de suas fotos não serem utilizadas, Marilyn saiu da fábrica para trabalhar como modelo para Conover e para os seus conhecidos. Nesta época ela usava cabelos encaracolados e escuros, quando decidiu pintá-los de loiro para atrair a atenção dos publicitários.

Ela tornou-se conhecida principalmente em propagandas e revistas direcionadas para o público masculino, no modelo conhecido como modelagem pin-up.

Em junho de 1946 conseguiu um contrato em uma agência de publicidade, quando conheceu Ben Lyon, um executivo da 20th Century-Fox, que arranjou um teste de cinema para ela.

Apesar do executivo principal, Darryl F. Zanuck, não ter se entusiasmado com o teste, ofereceu a Marilyn um contrato de seis meses para evitar que ela fosse contratada no estúdio rival, RKO Pictures, cujo proprietário, Howard Hughes, já havia manifestado interesse após vê-la na capa de uma revista.

Foi neste momento que começou a usar o nome artístico de Marilyn Monroe. A ideia do primeiro nome veio de Lyon, que retirou o nome de Marilyn Miller, uma estrela da Broadway. Já Monroe foi retirado do sobrenome de solteira de sua mãe.

Em seus primeiros meses de contrato Marilyn não teve papéis no cinema, investindo o tempo em aulas de teatro, canto e dança. Em fevereiro de 1947 teve seu contrato renovado e recebeu os seus dois primeiros papéis na primavera daquele mesmo ano, sendo: nove linhas de diálogo como garçonete no drama “Idade Perigosa” (1947) e uma fala na comédia “Torrentes de Ódio” (1948).

Marilyn não teve o contrato renovado em agosto de 1947 e voltou a modelar. Seu segundo contrato veio em março de 1948 com a Columbia Pictures. Alguns biógrafos dizem que ela conseguiu o contrato graças ao seu amante Joseph M. Schenck, executivo da Fox e amigo pessoal de Harry Cohn, chefe executivo da Columbia.

Foi na Columbia que Marilyn Monroe pintou seu cabelo de loiro platinado. Seu único filme no estúdio foi “Mentira Salvadora” (1948), que teve seu primeiro papel principal. Apesar disso, o contrato de Marilyn não foi renovado e”Mentira Salvadora” foi lançado em outubro, não obtendo sucesso comercial.

Avanço no cinema e estrelato

No começo dos anos 50, Marilyn Monroe apareceu em outros cinco filmes. Ela teve papéis pequenos em O que Pode um Beijo, Por Um Amor e O Faísca. Além de fazer aparições em dois filmes aclamados pela crítica: “O Segredo das Jóias” de John Huston e “A Malvada” de Joseph L. Mankiewicz.

Depois do sucesso de Marilyn nos dois últimos filmes citados, sendo inclusive mencionada na revista de cinema Photoplay, em dezembro de 1950, Hyde negociou um contrato de sete anos para ela com a 20th Century Fox.

Em março de 1951, Marilyn foi apresentadora na 23ª edição do Oscar, e em setembro, a Collier's foi a primeira revista de circulação nacional a publicar um perfil completo sobre ela.

Ainda em 1951, teve papéis coadjuvantes em quatro filmes de baixo orçamento: “Em cada Lar“, “Sempre Jovem”, “O Segredo das Viúvas” e “Joguei Minha Mulher“.

De acordo com biografias, estes quatro filmes foram suficientes para criarem sua imagem de “ornamento sexy“. Também recebeu elogios positivos de críticas especializadas, como “Bosley Crowther”, do The New York Times, que a descreveu como “excelente” ou “Ezra Goodman”, do Los Angeles Daily News, que a chamou de “uma das mais brilhantes atrizes iniciantes”.

No segundo ano de contrato Marilyn Monroe já era apontada como a atriz que garantiria o sucesso de bilheteria nos filmes nos filmes que atuasse.

Em 1953 tornou-se um importante símbolo sexual e entrou no grupo dos artistas mais rentáveis de Hollywood. Neste ano ela apareceu em três filmagens: no filme “Torrentes de Paixão“, que ela aparecia como um símbolo sexual e dona de um olhar provocante; no filme “Os Homens Preferem as Loiras“, uma comédia musical, que estabeleceu sua imagem como “loira burra”; e no programa de televisão “Jack Benny Show“, interpretando a “mulher dos sonhos” de Jack, no episódio “Honolulu Trip”.

Entre 1953 e 1954, Marilyn Monroe foi considerada a estrela feminina que mais fazia dinheiro. Em 1954 ela gravou "O Pecado Mora ao Lado", que a imortalizou com sua imagem mais conhecida: a atriz está em pé sobre uma grade de metrô com ar saindo e levantando o seu vestido.

atriz marilyn monroe
Marilyn durante a famosa cena do filme O Pecado Mora ao Lado (1954). (Foto: Wikipedia)

Morte

Marilyn Monroe foi encontrada morta no quarto de sua casa em Los Angeles, em 4 de agosto de 1962. A morte foi confirmada oficialmente às 3h50 e foi notificada às 4h25 para o Departamento de Polícia de Los Angeles.

A análise toxicológica concluiu que a causa da sua morte foi intoxicação por barbitúricos. Como o nível no corpo estava muito acima do recomendado, acredita-se que tenha sido um suicídio e não uma overdose.

Citações

A imperfeição é bela, a loucura é genial e é melhor ser absolutamente ridículo que absolutamente chato.

O verdadeiro amante é o homem que pode emocionar você beijando sua testa ou sorrindo em seus olhos ou apenas olhando para o espaço.

Eu não estou interessada em dinheiro, eu só quero ser maravilhosa.

Todo mundo é uma estrela e merece o direito ao brilho.

O amor não precisa ser perfeito, só precisa ser verdadeiro.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Luiz, Victor. Marilyn Monroe; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/marilyn-monroe >. Acesso em 21 de setembro de 2019 às 02:39.

Copiar referência