Martinho Lutero

Monge alemão responsável pela Reforma Protestante

Martinho Lutero foi um monge agostiniano e professor de teologia alemão que se tornou símbolo da Reforma Protestante, realizada na Europa no século XVI.  Ele se posicionou contra os dogmas da Igreja Católica, contestando a doutrina do comércio de cargos eclesiásticos, a venda de dispensas, de indulgências e de relíquias sagradas.

A oposição às ideias católicas resultou nas famosas 95 Teses, publicadas em 1517. No documento, Lutero refutava grande parte dos dogmas eclesiásticos e a Igreja exigiu uma retratação. Sua recusa em se retratar levou-o a ser acusado de heresia.

Lutero foi perseguido pela Inquisição, foi excomungado da Igreja Romana e condenado como um fora-da-lei pelo imperador do Sacro Império Romano Germânico.

Biografia

Martinho Lutero, cujo nome em alemão era Martin Luther, nasceu no dia 10 de novembro de 1483 em Eisleben, Alemanha. Filho de Hans Luther e Margarethe Lindemann, cresceu em uma família de camponeses católicos e foi alvo de uma disciplina rígida.

Martinho Lutero
O Papa Leão X excomungou Lutero em 3 de janeiro de 1521, na bula “Decet Romanum Pontificem”. (Foto: Wikipédia)

Desde criança, aprendeu a orar aos santos e reverenciar  a Igreja. Aos cinco anos começou estudar latim e aos 12 anos iniciou os estudos na escola da Irmandade Religiosa em Magdeburgo.

Aos 17 anos, Lutero entrou na Universidade de Erfurt, onde recebeu a titulação de mestre em Artes e, cinco anos depois, começou a estudar Direito.

Pouco tempo após iniciar seus estudos de Direito, resolveu tornar-se monge e entrou no Mosteiro Agostiniano de Erfurt. Ordenado em 1507, ele deixou o mosteiro para dar aulas de filosofia moral na Universidade de Wittenberg.

Martinho Lutero recebeu a titulação de doutorado em Teologia. Na mesma ocasião foi eleito cônego do convento de Wittenberg. A partir desse período, passou a se dedicar às atividades pastorais e ao ensino de Teologia, quando tornou-se conhecido por sua doutrina sobre a salvação pela fé.

Em 1517, revoltado com a exploração da Igreja, publicou as 95 teses contra a venda de indulgências. Suas ideias questionadoras e polêmicas o levaram à excomunhão, em 1521. Quatro anos mais tarde casou-se com a monja Katharina Von Bora, com quem teve seis filhos.

Seus ideais de protestantismo perpassaram a Alemanha, chegando a países como Suécia e Dinamarca. Outras doutrinas seguiram seus princípios, criando igrejas nacionais, como o Anglicanismo na Inglaterra e o Calvinismo na Suíça.

As concepções de Lutero abriram caminho para protestos políticos e sociais em diferentes regiões do mundo. Seus questionamentos à Igreja Católica transformaram a fé cristã e serviram de base para a criação e desenvolvimento de diversas outras vertentes do cristianismo.

Matinho Lutero publicou cerca de 400 obras, entre elas, comentários bíblicos, catecismos, sermões, tratados e hinos para a Igreja. A maioria delas estão publicadas em diferentes línguas modernas. Lutero faleceu em Eisleben, sua cidade natal, em 18 de fevereiro de 1546, aos 62 anos.

Martinho Lutero e a Reforma Protestante

No século XVI a Igreja Romana pregava que algumas pessoas possuíam mais méritos do que tinham necessidade para serem salvas e por isso poderia “vender a salvação” para aquelas cujo a salvação era duvidosa.

A prática chamada de indulgência consistia na remissão parcial ou total do castigo temporal, imputado a alguém por conta dos seus pecados, mediante pagamento.

Inicialmente, o papa concedeu indulgência para todos que doassem uma quantia para a reforma da Basílica de São Pedro. Mas, posteriormente, a prática se transformou em uma campanha de venda quando o frade Johann Tetzel foi recrutado para viajar territórios episcopais oferecendo indulgências.

Lutero protestou contra a venda indulgências, afixando uma série de críticas na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg. Seu protesto contra a autoridade do Papa negava, entre outras coisas, o ensino do “mérito extra” que estava por trás das indulgências.

A Igreja Romana acusou Lutero de heresia e exigiu uma retratação, ordenando que o sacerdote se apresentasse em Roma para responder às acusações. Sob a proteção do Príncipe da Saxônia, Frederico o Sábio, Lutero recusou mudar de opinião e iniciou uma campanha aberta dentro da própria Igreja, se refugiando em Augsburgo.

Em pouco tempo ficou claro que as ideias de Lutero representavam o sentimento de boa parte da população e dos príncipes que mantinham relações tensas com Roma. Assim, logo encontrou adeptos em todas as regiões da Alemanha, e em outras da Europa.

Diante da situação, o papa emitiu uma bula papal ameaçando Lutero de excomunhão, caso não se retratasse. Em protesto, Lutero sustentou que as indulgências não haviam sido instituídas por Cristo e queimou publicamente a bula.

Martinho Lutero foi excomungado pelo papa Papa Leão X em janeiro de 1521, perseguido pela inquisição e preso. Durante um ano na prisão, o monge se dedicou a traduzir o Novo Testamento para um idioma alemão de fácil entendimento. Essa tradução da bíblia foi um sucesso e esgotou em poucos meses.

Em 1529, Carlos V e outros príncipes católicos aprovaram um decreto que aumentava a pressão dos estados católicos contra Lutero e seus seguidores. Em contrapartida, Lutero contava com o apoio da Ordem dos Agostinhos e do corpo docente da Universidade de Wittenberg.

As 95 teses

As 95 Teses de Martinho foram afixadas na porta da igreja de Wittemberg, no dia 31 de outubro de 1517. O documento é considerado o marco inicial da Reforma Protestante.

As teses apresentavam as posições de Lutero contra a venda de indulgências, prática que o monge considerava abusiva. Nas teses, Lutero afirmou que o arrependimento exigido por Jesus Cristo envolvia o arrependimento espiritual interior e não apenas uma confissão sacramental externa.

Em seus argumentos, afirmou que as indulgências levavam os cristãos a não se preocuparem com verdadeiro arrependimento e com atos de misericórdia, por acreditar que os certificados de indulgência eram suficientes.

Doutrina luterana

A principal e mais conhecida obra de Lutero são as 95 teses. No entanto, ele publicou outras obras nas quais reafirma sua doutrina de que a salvação é feita apenas pela “justificação da fé”. Lutero redigiu três célebres tratados que estabeleciam a base do luteranismo e o início da reforma: “A Nobreza Cristã da Nação Alemã”, “Da Servidão Babilônica da Igreja” e “Da Liberdade de um Cristão”.

Seu pensamento possuía alguns pontos que se tornaram os princípios da Reforma Protestante. Embora tenha mantido alguns elementos da doutrina católica, Lutero buscou estabelecer uma igreja independente.

Entre as principais alterações da doutrina luterana na católica estão: alteração do cerimonial da missa, substituindo do latim pelo alemão; rejeição das hierarquias eclesiásticas; e a ideia que o homem comum poderia comunicar-se diretamente com Deus.

Além disso, Lutero rejeitou a interpretação oficial da Bíblia, pregando que cada um poderia fazer suas próprias interpretações e concedeu permissão para os sacerdotes contraírem o matrimônio.

Citações

O coração do homem é como um moinho que trabalha sem parar. Se não há nada para moer, corre o risco de se triturar a si mesmo.

Há tantas razões para nos vangloriar-nos de nossa ascendência, quanto há para satanás o de se orgulhar de sua linhagem angelical.

Deve-se doar com a alma livre, simples, apenas por amor, espontaneamente!

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

DIAS, Fabiana. Martinho Lutero; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/martinho-lutero >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 16:54.

Copiar referência