Michelangelo

Pintor e escultor, foi um dos mais influentes artistas do período do Renascimento

Michelangelo di Ludovico Buonarroti Simoni nasceu dia 6 de março de 1475, na cidade de Caprese, Itália. Ainda criança foi levado por seus pais, Francesca e Ludovico, para Florença.

Michelangelo
Michelangelo (Foto: Wikimedia Commons)

Sua mãe morreu quando tinha 6 anos, assim Michelangelo foi entregue a uma ama-de-leite cuja família trabalhava cortando pedras, fato que mais tarde o artista atribui a sua paixão e vocação como escultor. 

Nascido em uma família de certa posição social, seu pai não aceitava sua vontade de ser artista. Naquela época, os artistas eram vistos como artesões comuns, assim como pedreiros ou pintores de parede.

Aos 13 anos, abandonou a escola e se tornou aprendiz no estúdio de Domenico Ghirlandaio, já classificado um pintor com prestígio em Florença. Lá teve uma boa base sobre desenhos, pinturas e afrescos.

Dono de uma personalidade forte, Michelangelo não era um aluno comum, era um autodidata que percorria as igrejas da cidade fazendo desenhos baseados nas obras de Giotto di Bondone e Masaccio Quattrocento.

Após um curto período com o mestre Ghirlandaio, Michelangelo ingressa nas aulas do escultor Bertoldo di Giovanni, que trabalhava para o mecenas Lorenzo de Medici.

Passou a conviver no meio da elite, foi influenciado por diversos artistas e intelectuais da época, bem como se identificou com as ideias do Renascimento Italiano. Ao lado de Rafael Sanzio e Leonardo da Vinci, Michelangelo foi um dos principais artistas do Renascimento.

Em 1492, Michelangelo produz “A batalha dos Lápitas” e “Madonna da Escada”, relevo esculpido em mármore que já caracteriza a dramaticidade do jovem artista.

Estas duas obras definiram sua dualidade temática: os contrastes entre os objetos da antiguidade clássica e cristandade.

Madonna na Escada de Michelangelo
“Madonna na Escada”, de Michelangelo (Foto: Wikipédia)

Ainda neste período, concluiu as obras “Batalha dos Centauros” e “Hercules”, feitas a pedido de Pierro de Medici. Essa fase da vida de Michelangelo também é marcada pela morte de Lorenzo de Medici.

A perda de seu grande incentivador foi um delicado momento na vida do artista. Confuso diante dos acontecimentos, Michelangelo deixa Florença e se refugia em Bolonha. Lá decide dar uma pausa na carreira para se dedicar a anatomia.

Curioso sobre o que havia por baixo da pele, concentrou-se em descobrir como funcionava o corpo humano. Passava horas dissecando cadáveres ilegalmente com apoio do superior do Convento do Espírito Santo.

Queria delinear precisamente cada contorno do corpo e logo passou a dar vida ao corpo humano através da sua arte.

Capela Sistina

Em 1508, o Papa Júlio II incumbiu ao artista a responsabilidade de pintar o teto e abóbada da Capela Sistina, na Catedral de São Pedro. Mesmo diante dos protestos de que era escultor e não pintor, Michelangelo dedicou-se durante quatro anos nesse projeto exaustivo, trabalhando sozinho.

Durante o dia, subia diariamente nas estruturas de madeira construídas para pintar a abóboda. A noite realizava os desenhos dos cartões que lhe serviriam de molde para as pinturas da manhã seguinte.

O resultado final deste empreendimento foram 300 figuras em uma representação da história do mundo do ponto de vista cristão

Capela Sistina por Michelangelo
Capela Sistina pintada por Michelangelo (Foto: Wikimedia Commons)

Entre 1534 e 1541, Michelangelo também pintou na mesma capela “O Juízo Final”, um grande afresco na parede do altar. Porém nesse afresco religioso, o artista só pintou “nus” o que gerou muita discussão. Na época o Papa Paulo IV pensou em destruir a obra, mas decidiu apenas cobrir os nus mais ousados.

Após finalizar “O Juízo Final”, Michelangelo só realizou a pintura de mais dois afrescos para a Capela Paulina.

O Juízo Final por Michelangelo
Pintura de O Juízo Final por Michelangelo (Foto: Wikimedia Commons)

Com quase 75 anos ele retorna a produção de esculturas. As primeiras encomendas foram feitas pela família Medici para um mausoléu aos mortos do clã. Desenvolveu estátuas representando os quatro períodos do dia.

Enquanto trabalhava nesses monumentos, foi convidado a arquitetar a Biblioteca Laurenciana, na Igreja de São Lourenço. Michelangelo fez muitos estudos para esse projeto e excedeu as expectativas com seus desenhos inovadores.

Nos últimos anos de sua vida, aos 88 anos, elaborou com um pouco de dificuldade uma Pietá, até ser acometido por uma doença, contudo permaneceu lúcido.

Michelangelo morreu em 18 de fevereiro de 1564, na cidade de Roma, com 89 anos após sofrer um derrame.

Esculturas de Michelangelo

Muitas pinturas, arquiteturas e esculturas de Michelangelo ganharam destaque. Produzir escultura sempre foi a sua paixão e seu ideal de beleza, sua busca pela perfeição e a ideia de que através dessa arte se chegaria a Deus, fez parte de seu desenvolvimento profissional.

Confira abaixo algumas das mais famosas artes de Michelangelo:

“Madonna da Escada”

Foi a primeira escultura de Michelangelo concluída antes de completar 17 anos, em 1492.

A Madonna da Escada é um baixo relevo em mármore esculpido e representa a Virgem sentada em umas escadas segurando e cobrindo seu filho com um manto.

As escadas completam a obra e, em segundo plano, vemos duas crianças brincando enquanto uma terceira está debruçar no corrimão.

Atrás da Virgem também aparece mais uma criança, ajudando a criança debruçada a esticar um lençol, em uma alusão ao sudário da Paixão de Cristo.

“Pietà do Vaticano”

Pietá de Michelangelo
“Pietá”, de Michelangelo (Foto: Wikipédia)

A Pietà do Vaticano de Michelangelo é uma escultura em mármore feita executada entre 1498 e 1499 a pedido do cardeal francês Jean Bilhères de Lagraulas para a Basilica di San Pietro no Vaticano.

Nela, a Virgem Maria está retratada mais jovem que o seu filho que se encontra morto em seu colo, rompendo o convencional.

O corpo de cristo e a expressão serena de Maria são anatomicamente perfeitos e é uma das obras com mais aproximação no campo da arte à completa perfeição.

“Moisés”

Faz parte da coleção de obras que integram a decoração do túmulo parietal. Nesta escultura se destacam o olhar e a bravura. Acariciando sua barba, Moisés parece transmitir através de sua expressão a observação de que nada escapa dos seus olhos.

“Davi”

Entre os anos de 1501 e 1504 Michelangelo trabalhou na escultura de Davi, uma estátua encomendada com mais de 4 metros de altura.

Nesta obra a representação de Davi é feita antes do confronto com o gigante Golias.

Quando concluída foi decidido por uma comissão de artistas que incluía Botticelli, Perugino, Andrea dela Robbia e Leonardo da Vinci, que deveria ser colocada na Piazza dela Signoria ao invés da catedral.

A obra Davi se tornou um símbolo para a cidade de Florença, hoje faz parte do acervo da Galleria dell’Academia.

“As últimas Pietàs”

Última Pietá por Michelangelo
“Última Pietá”, por Michelangelo (Foto: Wikimedia Commons)

A Pietà e a Pietà Rondanini são dois mármores inacabados.

Pietá Rondanini por Michelangelo
“Pietá Rondaninipor”, de Michelangelo (Foto: Wikipédia)

Na Pietà Rondanini, Michelangelo esculpiu o rosto da Virgem carregando o filho morto com seus próprios traços.

Michelangelo, durante toda a sua vida, buscou em suas obras retratar a abandono dos ideais de beleza. É reconhecido como um dos maiores artistas do Renascimento.

Citações

Como faço uma escultura? Simplesmente retiro do bloco de mármore tudo que não é necessário.

Alguns fazem muitas aquisições, outros aprendem perdendo.

Para nos tornarmos pessoas de mérito e de valor, o que há de mais certo em nós é confiarmos em nós mesmos.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

BRITO, Samara. Michelangelo; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/michelangelo >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 20:24.

Copiar referência