Miguel de Cervantes

Autor do best-seller Dom Quixote de La Mancha

Miguel de Cervantes Saavedra foi um expoente da literatura espanhola e ficou famoso graças a sua obra “Dom Quixote de La Mancha”, escrita em 1605.

Além de escritor, Miguel de Cervantes foi dramaturgo e poeta. Nascido na Espanha, era natural da cidade de Alcalá de Henares . O ano provável de seu nascimento foi 29 de setembro de 1547.

Antes ganhar a vida com as letras, trabalhou arduamente em outras atividades profissionais, inclusive no serviço militar.

Biografia

Sétimo filho entre o casal Rodrigo e de Leonor de Cortinas, a família vivia em uma situação de desconforto financeiro mesmo com profissão de médico cirurgião do seu pai. Em 1551, com apenas quatro anos de idade, Cervantes e toda família mudaram-se para a cidade de Valladolid em busca de melhorias de vida.

Na época, Valladolid alocava a Corte Espanhola e durante uma década a família permaneceu na cidade. Foi ainda nessa cidade os primeiros anos de estudo do escritor. Segundo alguns historiadores, desde de criança Miguel de Cervantes já demostra gosto e empenho pela leitura.

Posteriormente, a família mudou-se novamente para a cidade de Serrilha, em 1563.Os ensinamentos recebidos pelos padres jesuítas em Serrilha contribuíram massivamente para sua formação como escritor, principalmente os estudos de gramática e latim.

Foi nessa cidade que também conheceu o teatro de Lope de la Rueda, o que muito influenciou para a escrita de famosas novelas teatrais.

Prestação no serviço militar

Em 1569, aos 22 anos, Miguel de Cervantes ingressou no serviço militar da Espanha e passou a morar na Itália.Sua primeira experiência como soldado oficial foi na Batalha de Lepanto.

No campo de batalha entraram em confronto a Liga Santa contra os soldados da República de Veneza, reino espanhol, e os cavaleiros de Malta e dos estados pontifícios contra o exército dos turcos otomanos, em 7 de outubro de 1571.

Ao fim da batalha, Cervantes regressou com graves lesões. Durante o confronto recebeu um tiro que o deixou mutilado da mão esquerda e com ferimentos no peito. Por conta dessa tragédia,  passou a ser chamado de “Manco de Lepanto”.

Entretanto, a limitação física não o impossibilitou de dá continuidade aos serviços militares. Em 1574, participou da malograda expedição Goleta, da batalha naval de Navarino e da expedição contra Túnis.

Em seguida, atuou nas guarnições militares de Palermo e Nápoles. Destaca-se ainda que a paixão pelas letras o levou a conhecer a literatura italiana durante a prestação no serviço militar.

Em 1574, enquanto regressava para sua terra natal, um novo incidente aconteceu. Dessa vez, o navio da tripulação foi atacado por piratas mouros e o soldado foi capturado e levado para a cidade de Argel, capital da Argélia.

Prisão

Enquanto esteve na cidade dos inimigos, Cervantes foi escravizado por Dali Mami. Na tentativa desesperada de fuga, foi lançado e um calabouço.

As habilidades literárias não demoraram a aparecer mesmo na condição de prisioneiro,visto que, durante os cincos em que esteve em Argel, tornou-se professor e escritor de poemas religiosos.

Nesse meio tempo, a família e integrantes da Igreja Católica negociavam a sua libertação. A soltura de Cervantes foi concedida graças à liberação de 500 peças de ouro. Isso aprofundou ainda mais as dificuldades financeiras da família do escritor.

Miguel de Cervantes
Miguel de Cervantes imortalizou-se com a sua obra literária Dom Quixote. (Foto: Wikimedia Commons)

Vida literária de Miguel de Cervantes

Já experiente e mais alinhado com a língua escrita da sua pátria, Cervantes literalmente seguiu os caminhos da literatura. 

Em 1584, na cidade de Madrid, conseguiu emprego na Corte Espanhola com o cargo de comissário de víveres do rei Felipe II. Foi um importante momento para o escritor porque conheceu grandes nomes da literatura espanhola da época, como o dramaturgo castelhano Luis de Gôngora e o dramaturgo e poeta espanhol Lope Félix de Veja.

Um ano depois, em 1585, realizou sua primeira publicação “La Galetea”, um romance do tipo pastoral. Houve ainda adaptação do texto para o teatro.

A princípio, mesmo sem reconhecimento no universo literário, Cervantes não desistiu da sua atividade como escritor. Dando assim continuidade a sua jornada com a escrita dos poemas dramáticos “Los Tratos de Argel” e “La Mumancia”.

Foi ainda nesse momento da vida que conheceu Catalina de Palácios e Salazar e, tempos depois, casaram-se. Anos depois, o rei espanhol o nomeou como cobrador de impostos. Essa nova atividade exigiu que percorresse constantemente as cidades de Andaluzia e La Mancha para enviar relatórios à Coroa Espanhola.

Contudo, os atrasos nas prestações de contas ao rei o levou a prisão por três vezes seguidas. Alguns historiadores acreditam que foram nesses momentos de prisão que escreveu a primeira parte do livro que lhe rendeu a imortalidade literária – Dom Quixote.

Dom Quixote de La Mancha

Miguel de Cervantes publicou a primeira parte do livro Dom Quixote de La Mancha em 1605, como o título de “EL Ingenioso Hidalgo don Quijote de la Mancha”.

Já de imediato o texto encantou o público leitor e, logo depois, tornou-se o mais traduzido para outros idiomas, ocupando o segundo lugar no ranking do mercado editorial depois da bíblia.

Dom Quixote de La Mancha ainda é considerado a primeira novela literária moderna. O personagem principal – “Dom Quixote” – era um tipo de herói revolucionário e não aceitava a realidade do mundo. Duas partes do livro foram dedicadas às aventuras incomuns do cavalheiro inusitado. 

Essa distinção dos romances de cavalaria dos demais escritores espanhóis fez com que Miguel de Cervantes saísse do “lugar comum” e o levou ao reconhecimento de um dos maiores autores da literatura espanhola.

Em 23 de abril de 1616, devido a complicações por cirrose, Miguel de Cervantes teve a vida interrompida. Coincidentemente, é a mesma data da morte de William Shakespeare.Em 2019, completa-se 403 anos de sua morte. 

Principais obras literárias

Miguel de Cervantes escreveu vários gêneros literários ao longo da sua vida. Veja abaixo suas principais obras:

Romance

  • Novelas Exemplares
  • O Amante Liberal
  • A Ciganinha
  • Rinconete e Cortadillo
  • A Espanhola Inglesa
  • O Juiz dos Divórcios
  • A Força do Sangue
  • O Ciumento estremenho
  • A Criada Ilustre
  • As Duas Donzelas
  • A Senhora Cornélia
  • O Licenciado Vidraça
  • O Casamento Enganoso
  • O Engenhoso Cavalheiro Dom Quixote de La Mancha – segunda parte
  • Os Trabalhos de Persiles e Sigismunda

Teatro

  • Tragédia de Numancia
  • A Conquista de Jerusalém
  • A Cida em Argélia
  • O Galardo Espanhol
  • O Grande Sultão
  • A Casa da Inveja e a Floresta de Ardenia
  • O Labirinto do Amor
  • A Divertida
  • Pedro de Urdemalas
  • O Rufião Feliz
  • Diálogo dos Cães

Poesia

  • Índice de todos os Primeiros Versos de Poesia
  • Índice de Primeiras linhas de Poemas Soltos
  • O túmulo do rei Filipe II em Sevilha
  • Na entrada do Duke Medina em Cadiz

Citações

Contento-me com pouco, mas desejo muito.
Elimine a causa, o efeito cessa.
Quem perde seus bens perde muito, quem perde um amigo perde mais, mas quem perde a coragem perde tudo.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

ARAÚJO, Andréa. Miguel de Cervantes; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/miguel-de-cervantes >. Acesso em 28 de outubro de 2019 às 19:51.

Copiar referência