Mitologia grega

Conjuntos de histórias de crenças da Grécia antiga

A mitologia grega é um misto de histórias da Grécia Antiga, que fala sobre deuses que viveram ao lado de pessoas comuns.

Quando deuses tinham filhos com aqueles que não eram um deus ou deusa, nasciam os semideuses, que tinham poderes sobrenaturais e pontos fracos fisicamente.

Deuses da mitologia grega
Os principais deuses reunidos no Olimpo. (Foto: Wikipédia)

Como Grécia e Roma Antiga foram impérios contemporâneos existe certa semelhança entre as divindades, apenas mudando os nomes. Quando se procura pela deusa Ártemis, por exemplo, já se acha Diana, que é o nome dela na mitologia romana.

A história

Não há uma data certa de quando surgiram as histórias da mitologia grega. Os indícios levam a crer que no século 5, antes de Cristo, já haviam registros em desenhos e nos objetos da arte grega.

O estudo passou a ser feito e a maior investigação do conteúdo que se tem hoje foi em 1873, quando o arqueólogo Heinrich Schliemann descobriu a cidade Troia.

Os deuses gregos ficavam no Olimpo, o mais alto monte da Grécia. O portão ficava nas nuvens, devido a altura desse monte. Toda mitologia grega explica a existência do mundo, das estrelas e dá o nome até para condições psicológicas como o narcisismo, por exemplo, que vem do mito de Nasciso.

A origem do mundo

A mitologia grega é dividia em várias fases, a primeira delas conta a história de como surgiu o mundo. Tudo era vazio e escuro, no infinito havia o Caos. Caos criou Gaia (Mãe Terra), Eros (o amor), Nyx (a noite), e o Tártaro (uma espécie de inferno, ficava nas maiores profundezas da terra).

Gaia criou Urano, que era o céu. Eles se tornaram amantes e tiveram 18 filhos: 12 titãs, 3 ciclopes e 3 hecatônquiros.

Urano temia o poder e a fúria violenta de seus filhos e que um dia eles tomassem o seu trono. Então ele prendeu todos os filhos no ventre de Gaia.

Gaia por sua vez sentiu muita dor e raiva. Então ela tramou com seus filhos uma vingança: soltou o filho Cronos e disse a ele para arrancar os testículos de Urano, dessa forma o patriarca não teria poder para reinar, nem para ter filhos.

Assim Cronos fez, porém, o sangue de Urano gerou outros filhos: Tisífone, Megera e Alecto. Eles significavam: castigo, rancor e ódio.  

Cronos então se tornou soberano e a cronologia do tempo passou a existir. Porém ele não libertou sua mãe, Gaia, das dores e manteve-a sofrendo.

Conheça abaixo todos os filhos de Gaia com Urano e, em seguida, a continuação da história do mundo na visão da mitologia grega.

Titãs

Os belos e poderosos filhos de Gaia e Urano eram os Titãs. Eles representavam parte do mundo, como oceanos e sentidos de direção como norte e sul.

Conheça cada um deles e suas representações:

  • Oceano – o rio do mundo;
  • Céos – senhor do norte;
  • Crio – universo, cosmo, constelações e sul;
  • Hiperião – luz, fogo astral e leste;
  • Jápeto – oeste;
  • Cronos – tempo;
  • Febe – lua, coroa de ouro;
  • Mnemosine – memória;
  • Réia – rainha dos titãs;
  • Têmis – justiça, ordem, leis e normas;
  • Tétis – mar;
  • Teia – luz e visão.

Eles tiveram filhos: Zeus, Hera, Poseidon, Hades, Hestia, Demeter, Quíron, Oceânides, Potamoi, Hélio, Selene, Eos, Lelantos, Latona, Astéria, Atlas, Prometeu, Epimeteu, Menoécio, Astreu, Palas e Perses.

Ciclopes

Seres grandes e com apenas um grande olho no centro da testa, os ciclopes eram violentos e podiam, com seu único olho, desintegrar tudo que avistassem.

Os três primeiros eram: Steropes (relâmpago), Arges (brilho) e Brontes (trovão).

Hecatônquiros

Os hecatônquiros, assim como os ciclopes, seus irmãos, eram criaturas diferentes, possuíam várias cabeças e muitos braços: cem mãos e cinquenta cabeças.

Seus nomes eram Giges (o de grandes membros), Coto (o furioso) e Briareu (o vigoroso).

A forma assustadora dos hacatônquiros causou horror em Urano, o pai, que os prendeu no Tártaro.

Personalidades da mitologia

Existem inúmeras personalidades na mitologia grega. Além dos deuses, há: os heróis, as ninfas, as sereias, os centauros, os sátiros e as górgonas.

Todos tinham corpo de humano, com outras características que diferenciavam das pessoas comuns. Alguns tinham os poderes divinais e outros tinham corpo de um humano misturado com uma característica animal.

Deuses da era após Zeus

Seguindo a história da origem do mundo, segundo a mitologia grega,  Cronos passou a ser soberano e Urano não tinha mais o reinado e casou-se com Réia, sua irmã.

O mesmo medo que Urano tinha de que seus filhos roubassem seu lugar, Cronos também possuía. Então todo filho que nascia ele mandava Réia lhe entregar e logo depois o devorava.

Como os deuses eram imortais, ainda que eles fossem devorados, ficavam vivos presos na barriga de Cronos.

Réia, cansada de ver seus filhos aprisionados em Cronos, quando tever seu último filho (Zeus) o escondeu com a ajuda de Gaia, que queria se vingar do filho por ter mantido ela em dores.

No lugar de Zeus, Réia entregou pedras a Cronos. Assim, Zeus cresceu e travou uma luta com seu pai. Para vencê-lo, soltou seus tios do Tártaro.

Os ciclopes o presentearam com raios e trovão, assim ele tinha poderes para matar qualquer um.Zeus conseguiu derrotar o pai. Os filhos presos na barriga de Cronos foram soltos e ficou para Zeus a missão de equilibrar o mundo.

Para que ele não fosse um deus soberano e único, Zeus resolveu dividir reinados: Poseidon ficou com os mares, Hades com o Tártaro e ele com os céus e a humanidade.

Quer mais detalhes da origem do mundo dentro a mitologia grega? Assista a esse vídeo bem ilustrativo sobre as histórias gregas e o gênese de tudo:

Heróis, centauros e sátiros

Os heróis da mitologia grega eram mortais, em sua maioria semideuses, ou seja, filhos de deuses com humanos. 

Entre eles é possível citar:

  • Aquiles, aquele que tinha a fragilidade no calcanhar;
  • Hércules, o semideus que teve de cumprir uma lista de 12 trabalhos, para se redimir do pecado de matar sua mulher e seus filhos em um momento de loucura;
  • Atalanta era uma heroína, ela foi amamentada por uma ursa. Era forte e veloz.
Um sátiro da mitologia grega
Um exemplo de sátiro. (Foto: Wikipédia)

Os centauros eram metade humano e metade animal. Viviam nas montanhas de Tessália e divididos entre os filhos de Íxion e Nefele e Filira e Cronos.

Os sátiros eram homens com corpo de bode. Divindades mortais que dividiam os bosques com as ninfas. As ninfas, por sua vez, era o desejo de luxúria deles.

Ninfas, sirenas e górgonas 

As ninfas eram seres que viviam nas florestas e nos bosques. Fadas sem asas, delicadas e singelas. Representavam a graça e fecundação da natureza, na mitologia grega.

As sirenas eram ninfas amaldiçoadas. Elas se tornaram mulheres aves, que com seu canto de hipnose, levava piratas e todos aqueles que as incomodavam a se encantarem e se jogarem no mar.

O termo sereia vem das sirenes, mas essa mudança de nome e de desenho foi uma adaptação da cultura medieval, que transformou a sirene metade mulher e metade pássaro em sereia (que é metade mulher e metade peixe).

Medusa era uma górgona na mitologia grega
Medusa e seu ninho de cobra na cabeça. (Foto: Wikipedia)

Por fim, as górgonas eram mulheres ferozes, com grandes presas, e que tinham no lugar do cabelo ninhos de serpentes letais e violentas. Elas eram três: Medusa (a impetuosa), Euríale (a que está ao largo) e Esteno (a que oprime).

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Oliveira, Ana Cláudia. Mitologia grega; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/mitologia-grega >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 17:46.

Copiar referência

Outros Artigos de História

Ciclo do Pau-Brasil

O Ciclo do Pau-Brasil foi um período histórico da nação […]

Ciclo do ouro, um dos ciclos importantes do Brasil.

Ciclo do Ouro

O Ciclo do Ouro também era chamado de “ciclo da […]

Um dos ciclos econômicos do Brasil, foi o ciclo do café.

Ciclo do Café

O Ciclo do Café foi a atividade econômica mais importante […]

Ciclo do Algodão no Brasil

O Ciclo do Algodão no Brasil aconteceu entre a segunda […]