Mosaico

Arte milenar feita com junções de pedaços que formam algum tipo de figura

Mosaico é uma palavra de origem grega – mousaikón –, que significa "das musas", mesmo sentido da palavra música, por ser arte bela e especial. Essa inspiração vem das nove filhas de Mnemósine (Memória) e Zeus, que eram chamadas de Musas. 

Os mosaicos modernos são feitos por artistas profissionais, artistas de rua, assim como elaborados também como artesanato popular. Podem ser utilizados muitos materiais diferentes de tesselas tradicionais compostas de pedra e cerâmica, incluindo conchas, vidro e grânulos.

Origem do mosaico

A técnica é uma arte decorativa utilizada desde a Antiguidade até os dias atuais. Existem vestígios da técnica do mosaico desde a Civilização Mesopotâmica feita pelos sumérios, há cerca de 3500 anos a.C. Mas foi com os greco-romanos que a técnica artística foi aprimorada e usada em grande quantidade na decoração de pisos e paredes.

Mosaico Bizantino
Os temas mais explorados pelos artistas que compunham a arte musiva na Antiguidade eram cenas cotidianas, sagradas, de guerra, históricas, mitológicas e paisagens. (Foto: Wikipédia)

Eram utilizadas formas geométricas que revelavam inspiração na arte da tapeçaria. O mosaico também deixou sua marca na Arte Bizantina, com uma vasta coleção da arte.

Em todo Império Bizantino, a população fazia suas devoções, por isso, a arte musiva não tinha a função apenas de adornar as paredes e abóbadas (estrutura arquitetônica de cobertura curvada), mas orientar os fiéis com cenas que retratassem a vida de Cristo, dos profetas e dos imperadores.

Bastante difundido durante o reinado de Justiniano (imperador bizantino), os mosaicos representavam pessoas de frente e verticalizadas, com o objetivo de criar certa espiritualidade.

A perspectiva e o volume não foram valorizados no mosaico bizantino. A principal cor utilizada era o dourado, devido à sua associação a um dos maiores bens materiais, o ouro.

No início do século XIX, na França, em pleno Neoclassicismo foi inaugurada uma escola imperial de mosaicos, em que a atividade principal era a imitação e restauração de obras antigas.

De acordo com os historiadores, foi no período da Antiguidade que nasceu a arte cristã e, por sua localização geográfica, ela foi influenciada por Roma, Grécia e Oriente, principalmente pelos povos persas. E assim, dessa mescla surgiu um estilo novo, rico e colorido vinculado ao Cristianismo, privilegiando o espiritual.

Estandarte de Ur

O Estandarte de Ur (3500 a.C.) é considerado pela maioria dos historiadores como o mosaico mais antigo de que se tem conhecimento. Foi encontrado na cidade de Ur, na região da Mesopotâmia, pelo arqueólogo britânico Sir C. Leonard Wooley, quando escavava o Cemitério Real de Ur, local em que eram enterradas as realezas sumérias, atual Iraque.

Trata-se de dois painéis retangulares de 55 cm, feitos em mármore, arenito avermelhado, lápis-lazúli com concha. Na antiga Civilização Egípcia,  haviam preciosos trabalhos feitos em sarcófagos de antigas múmias; existiam também mosaicos que decoravam colunas e paredes de templos.

Características do mosaico

A técnica da arte musiva consiste na colocação de tesselas, que são pequenos fragmentos de pedras, como mármore e granito, pedras semipreciosas, pastilhas de vidro, seixos e outros materiais, sobre qualquer superfície.

Muitos mosaicos são encontrados em tetos e painéis de parede, de templos ou palácios, que atestam a íntima relação entre determinados padrões e a arte da decoração.

O objetivo do artista é encontrar um certo tipo de simetria ornamental com o emprego de figuras relativamente simples, cuja repetição e interação formem um todo harmonioso e estético.

Mosaico e Pintura

O mosaico é considerado uma “pintura para a eternidade”, em face da durabilidade dos seus materiais. A técnica de arte milenar e a pintura sempre tiveram um relacionamento muito próximo, também difícil e não privado de contradições.

Durante o período moderno o mosaico perdeu sua força, se comparada a outras formas de manifestações artísticas como a pintura e a escultura, por exemplo. Por um longo tempo, efetivamente, o mosaico perdeu força para a pintura e foi necessário um movimento desesperado na tentativa impossível de imitá-la.

Durante o Renascimento, os maiores centros de produção de mosaico se encontravam em Veneza e em Roma. Na cidade lagunar forneceram modelos para serem transformados em mosaico pintores famosos como Tiziano, Lotto, Tintoretto e Veronese.

Antoni Gaudí e o mosaico

Um dos maiores representantes da arte musiva e arquitetônica moderna é o artista catalão Antonio Gaudí (1852-1926). O arquiteto realizou verdadeiras obras-primas com cacos de cerâmica, azulejos e ladrilhos.

Ele foi um arquiteto da maior importância do Modernismo catalão (Catalunha-Espanha), ramo do movimento Art Nouveau, que fazia uma integração entre arte, arquitetura e natureza.

Suas construções até hoje impressionam pelas formas originais. Além disso, Gaudí usou a técnica de mosaico de uma forma livre e inventiva no revestimento de suas construções.

A maior parte de seus trabalhos encontra-se espalhada pela cidade de Barcelona, muitas delas no Parque Guell (1900-1914). Essas obras tornam o parque parecido com um imenso mosaico. A Igreja da Sagrada Família, um grande projeto de Gaudí, em Barcelona, foi iniciada em 1882 e até hoje está em construção.

Outras obras de Antoni Gaudí:

  • Cooperativa Mataronense (1878-1882)
  • El Capricho (1883-1885)
  • Pavilhões Guell (1884-1887)
  • Colégio Teresiano (1888-1889)
  • Palácio Episcopal de Astorga (1889-1915)
  • Casa Botines (1891-1894)
  • Torre Bellesguard (1900-1904)
  • Jardins Artigas (1905-1906)

Mosaico no Brasil

No Brasil, grandes artistas plásticos também utilizaram a técnica das tesselas para expressar a arte. Veja alguns dos mosaicista brasileiros:

  • Burle Marx: talvez seja o mais conhecido mosaicista brasileiro. É dele a criação do logotipo internacional do calçadão de Copacabana. O paisagista refez os desenhos originais dos calceteiros portugueses, realçou sua sensualidade na medida da ampliação do calçamento e manteve o paralelismo com as ondas do mar, que fora implantado na reforma de 1929.
Mosaico Calçadão de Copacabana
O calçadão de Copacabana é formado por pedras portuguesas que representam as ondas do mar. (Foto: Wikemedia Commons)
  • Lygia Clark: uma das maiores artistas brasileiras da arte contemporânea, também deixou um legado em mosaicos. É dela o painel do Edifício Mira Mar, em Copacabana, RJ.
  • Cândido Portinari: o pintor realizou três obras em mosaico. A terceira obra que Portinari concluiu foi o painel “Bandeirantes”, aplicado em uma parede interna de um hotel no centro de São Paulo, o Hotel Comodoro. Na época de sua inauguração, em 1957, o hotel era um dos mais luxuosos que existiam.
  • Tomie Ohtake: uma das principais representantes do abstracionismo informal no Brasil e no mundo fez vários painéis em mosaico, entre eles o painel na Escola Imaculada em São Paulo, realizado em 1992.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

Mendes, Elaine. Mosaico; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/mosaico >. Acesso em 18 de novembro de 2019 às 17:46.

Copiar referência

Outros Artigos de Artes

Monumento à Terceira Internacional.

Construtivismo nas artes

O construtivismo nas artes está relacionado com o movimento artístico […]

A Commedia dell’arte fazia a utilização do humor e críticas à sociedade em palcos improvisados.

Commedia Dell’Arte

A Commedia Dell’Arte iniciou-se a partir do início do século […]

Circo armado

Circo

O circo é o lugar onde acontecem expressões artísticas que […]

características das cores matiz

Características das Cores

As características das cores podem ser descritas como matiz, tonalidade […]