Muralha da China

Patrimônio Mundial da UNESCO

Atualmente com uma extensão de 8.850 km, segundo historiadores, a Muralha da China já chegou a ter o comprimento de aproximadamente 22 mil km. É considerada um dos monumentos arquitetônicos mais marcantes já feito pelo homem. A Muralha possui também 7,5 metros de altura e 3,75 metros de largura.

História da Muralha da China

Muralha da China
Anualmente, milhares de turistas visitam a Muralha da China. (Foto: Pixabay)

Há algumas divergências no que se refere ao principal objetivo da construção da Muralha da China. Para alguns, ela foi criada para proteger o território chinês de povos externos, mas para outros a ideia principal era garantir trabalho a uma população que crescia e permanecia sem emprego, além da tentativa de manter as forças militares fora da capital.

A obra foi iniciada 220 a.C e finalizada somente durante a dinastia Ming, no século XVI.

Seguindo como base uma das teorias históricas, a construção foi uma idealização do império de Qin Shihuang, que tinha o desejo de mostrar a China como uma região única. O intuito militar da obra era impossibilitar a entrada de povos nômades, oriundos da Mongólia e da Manchúria.

A Grande Muralha também tinha como finalidade controlar a fronteira, impondo o direito sobre todas as mercadorias que passavam por ela, principalmente a seda.

Persistindo durante a Dinastia Zhou (1046 a 256 a.C.), Dinastia Han (206 a.C. até 220 d.C.) e Dinastia Ming (1368 a 1644), a construção resultou na morte de aproximadamente 300 trabalhadores, em virtude das condições de trabalho impostas pelos governantes.

Os detalhes da construção variavam de acordo com cada localidade. Foram utilizados diversos materiais como: tijolos, granito, terra compactada, madeira e calcário. Algumas pedras chegavam a pesar uma tonelada e medir cerca de dois metros. Para facilitar a movimentação de armamentos, ao invés de construir escadas foram feitas rampas.

China

A República Popular da China, também conhecida como China, é o maior país da Ásia Oriental e o mais populoso do mundo, com mais de 1,38 bilhão de habitantes.  Em extensão, é o terceiro maior do mundo, ficando atrás da Rússia e Canadá.

Banhado pelo oceano Pacífico, a China faz fronteira com 15 países: Afeganistão, Butão, Cazaquistão, Coreia, Índia, Japão, Laos, Mianmar, Mongólia, Nepal, Paquistão, Quirguistão, Rússia, Tadjiquistão e Vietnã.

Atualmente,  possui 23 províncias que são: Anhui, Fujian, Gansu, Guangdong, Guizhou Hainan, Hebei, Heilongjiang, Henan, Hubei, Hunan Jiangsu, Jiangxi, Jilin, Liaoning Qinghai Shaanxi, Shandong, Shanxi, Sichuan Taiwan, Yunnan, Zhejiang.

Além disso, mantêm cinco regiões autônomas (Região Autônoma da Mongólia Interior, Região Autônoma do Tibet, Região Autônoma da Nacionalidade de Guangxi, Região Autônoma da Nacionalidade Hui de Ningxia, Região Autônoma da Nacionalidade Uigur de Xinjiang), quatro municípios centrais (Beijing, Chongqing, Tianjin e Xangai) e duas regiões administrativas especiais (Hong Kong e Macau).

Dados gerais:

  • Capital: Beijing (Pequim)
  • Extensão territorial: 9.600.005 km²
  • Habitantes: 1.376.048.943 (dados de 2015)
  • Clima: Predomina o clima seco e frio no inverno, e quente e úmido no verão
  • Idioma: Mandarim
  • Religião: Predomina o Taoismo
  • Moeda: Renminbi
  • Sistema Político: Socialismo

Ruínas da Muralha da China

Com a falta de manutenção durante anos, a construção tão antiga foi se deteriorando, principalmente em virtude da variação de materiais durante a criação da obra. Além disso, com a depredação e roubos de tijolos, especialistas afirmam que aproximadamente 14 mil quilômetros da Muralha estão comprometidos.

Ao longo do percurso da muralha cerca de mil fortes estão interligados, acompanhados de janeiras e troneiras que eram espaços para canhões. Também existem algumas torres de Almenara, que eram utilizadas para a comunicação entre os militares.

As partes que atualmente são livres para visitação foram restauradas como estratégia turística do governo. As obras de restruturação começaram nos anos 80.

Como chegar na Muralha saindo de Pequim

De trem

A estação de trem mais próxima da Muralha fica em Badaling, a 80 km de Pequim. A viagem dura cerca de 1h30.

Para chegar à estação de trem de Badaling é necessário pegar o trem da linha S2 na estação Huangtudian, saindo de Pequim.

Do aeroporto

É possível pegar o trem expresso do aeroporto até a estação de metrô de Dongzhimen (35 minutos), e de lá seguir para Huoying.

Mas para quem tem pouco tempo de conexão em Pequim, o ideal é visitar a seção de Mutianyu, que fica a 60 km do Beijing Capital International Airport.

Infelizmente não há transporte público disponível saindo do aeroporto para a área da Muralha em Mutianyu. O ideal é reservar algum tour antecipadamente ou ir de táxi – a corrida custará algo em torno dos 150 a 200 yuan (R$75 a R$100) por trecho.

Funcionamento

Em Badaling, há horários específicos para visitar a Muralha da China. Confira:

  • De 06:30 às 19:00 (alta temporada) ou 07:30 às 18:00 (baixa temporada).
  • Tempo estimado de visita: 2 a 3 horas
  • Valor: Ingressos a 40 yuan (R$ 20) na alta temporada [abril a outubro] e 35 yuan (R$ 17,50) na baixa temporada [novembro a março].

 

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

BARBOSA, Elson. Muralha da China; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/muralha-da-china >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 22:01.

Copiar referência

Outros Artigos de História

Ciclo do Pau-Brasil

O Ciclo do Pau-Brasil foi um período histórico da nação […]

Ciclo do ouro, um dos ciclos importantes do Brasil.

Ciclo do Ouro

O Ciclo do Ouro também era chamado de “ciclo da […]

Um dos ciclos econômicos do Brasil, foi o ciclo do café.

Ciclo do Café

O Ciclo do Café foi a atividade econômica mais importante […]

Ciclo do Algodão no Brasil

O Ciclo do Algodão no Brasil aconteceu entre a segunda […]