Narração

Texto que narra histórias reais ou fictícias

A narração é um tipo de texto que descreve histórias reais ou fictícias. Essa tipologia apresenta personagens inseridos em um determinado tempo e espaço. São exemplos: crônica, novela, romance, lenda, fábula, dentre outros.

A narração: como é organizado o texto

Como vimos, a narração conta uma história real ou imaginária e apresenta organização específicas que são:

  • Apresentação: essa é a etapa inicial do texto e nela são apresentados os personagens, local e tempo da história;
  • Desenvolvimento: essa fase da história a ação é iniciada. É a etapa em que os acontecimentos são esboçados e prepara o leitor para o clímax do enredo;
  • Clímax: é o auge da narrativa. É a etapa onde a história promove emoções;
  • Desfecho: é a fase final da história. É a ocasião em que a narrativa tem finalização. 

Os elementos da narração

A narração possui elementos fundamentais. Eles são: narrador, personagens, enredo, tempo e espaço. 

Narrador

O narrador é aquele que conta a história. Há três tipos de narrador que são: narrador-personagem, narrador-observador e narrador-onisciente.

O narrador-personagem é quem narra a história e, ao mesmo tempo, participa dela. Portanto, a narrativa é contada na primeira pessoa. O narrador-personagem costuma apresentar relação com os outros personagens.

Esse tipo de narrador pode ainda ser protagonista ou testemunha. Este vive a história contada, no entanto, não é o personagem principal. Aquele, por sua vez, é a figura destaque da narrativa, ou seja, o enredo gira entorno dele.

Abaixo o fragmento do texto “A partida” que exemplifica o narrador-personagem.

A partida

Acordei pela madrugada. A princípio com tranquilidade, e logo com obstinação, quis novamente dormir. Inútil, o sono esgotara-se. Com precaução, acendi um fósforo: passava das três. Restava-me, portanto, menos de duas horas, pois o trem chegaria às cinco. Veio-me então o desejo de não passar mais nem uma hora naquela casa. Partir, sem dizer nada, deixar quanto antes minhas cadeias de disciplina e de amor.
Com receio de fazer barulho, dirigi-me à cozinha, lavei o rosto, os dentes, penteei-me e, voltando ao meu quarto, vesti-me. Calcei os sapatos, sentei-me um instante à beira da cama. Minha avó continuava dormindo. Deveria fugir ou falar com ela? Ora, algumas palavras… Que me custava acordá-la, dizer-lhe adeus?
(LINS, O. A partida. Melhores contos. Seleção e prefácio de Sandra Nitrini. São Paulo: Global, 2003). 

Narrador-observador

É aquele que narra os acontecimentos, mas não participa da história. Abaixo o trecho do livro Vidas Secas mostra o exemplo de um narrador-observador.

A cachorra baleia estava para morrer. Tinha emagrecido, o pelo caíra-lhe em vários pontos, as costelas avultavam num fundo róseo, onde manchas escuras supuravam e sangravam, cobertas de moscas. As chagas da boca e a inchação dos beiços dificultavam-lhe a comida e a bebida. Por isso Fabiano imaginara que ela estivesse com um princípio de hidrofobia e amarrara-lhe no pescoço um rosário de sabugos de milho queimados. Mas baleia, sempre de mal a pior, roçava-se nas estacas do curral ou metia-se no mato, impaciente, enxotava os mosquitos sacudindo as orelhas murchas, agitando a cauda pelada e curta, grossa na base, cheia de roscas, semelhante a uma cauda de cascavel.
(Trecho do capítulo IX “Baleia” do livro Vidas Secas).

Narrador-onisciente

Esse narrador é caracterizado por conhecer detalhes da trama e dos personagens. Ele conta a história na primeira pessoa, no entanto, pode narrar também na primeira. Isso acontece quando há o discurso indireto livre que é o aparecimento da própria fala do personagem, através do narrador. Abaixo um trecho que apresenta o narrador-onisciente.

José Ribamar é, no colégio, o menino que usa dentes de fora, monstruoso e intempestivo, assassino frio de gatos, canários e sabiás, matador de gambás, preás e outros bichos que só de ver, brrr! Nos dão calafrios. A própria imagem do terror: ele tira partido de sua própria aparência má, mostrando ainda pior. Faz com que a própria mãe espere sôfrega, a hora de abrir o colégio e a professora, ainda mais sôfrega, a hora de fechá-lo.
(José Ribamar Rainho – O Monstro – Millor Fernandes)

Personagens

Os personagens da narração são aqueles que compõem a história. Eles podem ser classificados como:

  • Protagonista: esse é o personagem principal da história;
  • Antagonista:  é o personagem que é contra ao protagonista;
  • Coadjuvante: é um personagem secundário que pode ou não ser ligado ao enredo principal.

Enredo

O enredo é o momento em que há o desencadeamento da narrativa. Ele pode ser linear ou não linear, psicológico ou cronológico.

Tempo

Na narração, o tempo, como o nome sugere, é a data ou instante que acontece a narrativa. O tempo é classificado em:

  • Psicológico: diz respeito as emoções, memórias e lembranças de um personagem;
  • Cronológico: esse tempo é marcado pelo relógio. Corresponde aos dias, semana, mês, ano, século, dentre outros.
Narração possui narrador, personagem, enredo, tempo e espaço.
Os elementos fundamentais da narração são o narrador, o enredo, as personagens, o espaço e o tempo. (Foto: Pixabay)

Espaço

O espaço é o lugar em que acontece a história. Por exemplo: a Obra literária “O Cortiço” do autor Aluísio de Azevedo acontece em um cortiço. O espaço está classificado como: real ou psicológico.

Os tipos de texto da narração

Existem vários tipos de texto narrativo. Os mais conhecidos são: conto, novela, romance, fábula e crônica.

Conto

Tem como característica uma narrativa breve, com desenvolvimento rápido. Portanto, o conto é curto e apresenta poucos personagens. Outro ponto aspecto importante é o cenário. O espaço geográfico é limitado, ou seja, não costuma variar os locais em que acontecem a narrativa.  Já o tempo, também é curto.

Existem vários tipos de contos, eles podem ser: infantil, terror, realistas, populares, dentre outros. A estrutura é composta por: introdução, desenvolvimento, clímax e desfecho.

Novela

A novela é um tipo de texto narrativo longo. Nela várias histórias são desencadeadas. Comparado ao conto possui mais personagens. Em relação ao espaço geográfico pode apresentar variações e o tempo costuma ser maior.

Romance

Esse tipo de texto da narração é composto por núcleos, sendo um deles o principal. É formado por enredo, temporalidade, ambientação e personagens.

O vídeo abaixo, mostra a diferença de conto, romance e novela.

Fábula

A fábula é também um tipo de texto narrativo caracterizado por ser fantasioso e com aspectos lúdicos. Geralmente ele é aplicado para o público infantil, mas também são escritos para adultos.

Um dos autores brasileiros mais conhecidos por produzir fábulas é o escritor Monteiro Lobato (1882- 1948).

Crônica

Esse tipo de texto é caracterizado por ser curto. Geralmente são publicados nos meios de comunicação como jornais e revistas. Machado de Assis, Luís Fernando Veríssimo e Carlos Drummond de Andrade são exemplos de cronistas brasileiros.

Faça a referência deste conteúdo seguindo as normas da ABNT:

ALVES, Jéssica. Narração; Guia Estudo. Disponível em

< https://www.guiaestudo.com.br/narracao >. Acesso em 29 de janeiro de 2020 às 21:41.

Copiar referência

Outros Artigos de Língua Portuguesa

Trovadores apresentando em forma de cantiga o que foi escrito em seus textos com seus instrumentos.

Características do Trovadorismo

As características do Trovadorismo estão relacionadas com todas as particularidades […]

Chegada dos portugueses.

Características do Quinhentismo

As características do Quinhentismo, primeira manifestação literária do Brasil, estão […]

Características do Classicismo

As características do Classicismo eram baseadas na representação de elementos […]

Características do Arcadismo

As características do Arcadismo surgiram em meio ao período que […]